História da Educação no Brasil
4 pág.

História da Educação no Brasil


DisciplinaHistória da Educação no Brasil2.658 materiais33.436 seguidores
Pré-visualização2 páginas
devido ao desenvolvimento alcançado no período colonial.
	
	teve sua industrialização estimulada pela Grã-Bretanha, que investiu capitais em vários setores produtivos.
	
	extinguiu a produção colonial baseada na escravidão e fundamentou a produção no trabalho livre.
	
	se tornou dependente do capital estrangeiro, que foi introduzido no país sem trazer ganhos para a infraestrutura de serviços urbanos.
	 
	se tornou dependente da economia europeia por realizar tardiamente sua industrialização em relação a outros países.
	
	
	 8a Questão (Ref.: 201401362402)
	Pontos: 1,0  / 1,0
	Considerando a chegada da família real no Brasil e sua instalação na cidade do Rio de Janeiro, considerando as ações executadas na área de educação realizadas antes e durante sua estadia, podemos afirmar que Dom João VI:
		
	
	Uniu índios, negros e brancos na educação formal.
	
	Manteve uma educação para indígenas e negros na educação formal à época.
	
	Incluiu apenas negros, excluindo os índios da educação formal à época.
	
	Incluiu apenas índios, excluindo os negros da educação formal à época.
	 
	Manteve uma educação excludente de índios e negros.
	
	
	 9a Questão (Ref.: 201401441440)
	Pontos: 1,5  / 1,5
	A relação entre os historiadores e as fontes documentais, mais especificamente as que se encontram em arquivos, não foi sempre a mesma, como nos mostram importantes e divulgados trabalhos de historiografia. Dos que viam nos documentos fontes de verdade, testemunhos neutros do passado, aos que analisam seus discursos, reconhecem seus vieses, desconstroem seu conteúdo, contextualizam suas visões, muito se passou. Carlos Bacellar. Uso e mau uso dos arquivos. 
In: Carla Bassanezi Pinsky (Org.). Fontes históricas. São Paulo: Contexto, 2005, p. 25 (com adaptações). 
Tendo o texto acima como referência inicial e considerando as transformações ocorridas na produção historiográfica do século XIX, discuta como o historiador pode falar das transformações da educação no Brasil entre os séculos XVI e XIX.
		
	
Resposta: A educação no Brasil passou por várias transformações desde o seu descobrimento. A princípio, os padres Jesuítas e sua Companhia de Jesus, acreditavam que estavam trazendo grande benefício para os nativos retirando-os das trevas culturais onde se encontravam, desvalorizando suas caracteristicas culturais e impondo uma educação forçada para alcançar seus objetivos de catequisação. Cada período histórico evolui conforme sua necessidade de adaptação ao meio atual. A escola e a educação foi se modificando progressivamente, mudando para as aulas régias, onde cada professor, pago pelo Estado, ensinava sua disciplina isoladamente, transitando pelos modelos Liberais de Ensino, a escola Tradicional, impõe conteúdos programáticos aos alunos, a Escola Nova percebe que cada aluno é um sujeito único e valoriza o seu próprio tempo e modo de aprendizagem. Depois, a necessidade do Capitalismo resulta no modelo Tecnicista de Educação, visando a formação de mão de obra rápida para o trabalho nas indústrias e assim, cada momento histórico propõe as modificações que se fazem necessárias.
	
Gabarito: é apresentar as principais formas de conhecer a história da educação.
	
	
	 10a Questão (Ref.: 201401444003)
	Pontos: 1,5  / 1,5
	"O Regime Militar espelhou na educação o caráter anti-democrático de sua proposta ideológica de governo: professores foram presos e demitidos; universidades foram invadidas; estudantes foram presos e feridos, nos confrontos com a polícia, e alguns foram mortos; os estudantes foram calados e a União Nacional dos Estudantes proibida de funcionar; o Decreto-Lei 477 calou a boca de alunos e professores." (José Luiz Paiva Bello)
Analise a afirmativa acima.
		
	
Resposta: Durante o período da Ditadura Militar, as escolas e universidades, assim como outros locais de reuniões de intelectuais, se mostravam um perigo, por contestar o regime vigente. Os militares lutavam com todas as armas para manter a população quieta e silenciosa, sem contestações contra o regime e preferivelmente, sem manifestar nenhum tipo de produção que fosse contrária à ditadura. As escolas eram duramente fiscalizadas e as manifestações rapidamente desarticuladas com o uso da força, tortura e exílio para quem ousasse se manifestar. Foi um período de grande repressão e sofrimento.
	
Gabarito: Deve-se sinalizar a fragilidade do modelo abrangente, tornando-se segmentado, direcionado.