Direito Processual Civil I
372 pág.

Direito Processual Civil I


DisciplinaDireito Processual Civil I43.093 materiais747.919 seguidores
Pré-visualização50 páginas
de	
  tratamento	
  (art.	
  125,	
  I,	
  CPC)	
  
Reestabelecimento	
   de	
   diferenças	
   -­\u2010	
   A	
   diferença	
   econômica,	
   cultural,	
   técnica,	
  
etc.,	
  entre	
  as	
  partes	
  pode	
  impor	
  algumas	
  diferenças	
  no	
  processo	
  e	
  isso	
  deve	
  ser	
  
reequilibrado	
  materialmente	
  pelo	
  Estado	
  
Tratando	
  desiguais	
  de	
  forma	
  desigual	
   -­\u2010	
  Portanto,	
  a	
  desigualdade,	
  muitas	
  vezes	
  
prevista	
   legalmente,	
   serve	
   como	
   instrumento	
   para	
   promoção	
   da	
   igualdade	
   no	
  
processo,	
  como	
  é	
  o	
  caso	
  do	
  prazo	
  em	
  dobro	
  em	
  algumas	
  situações,	
  do	
  reexame	
  
necessário,	
  etc.	
  
Paridade	
  de	
  armas	
  -­\u2010	
  A	
  criação	
  da	
  paridade	
  de	
  armas,	
  como	
  como	
  ocorre	
  com	
  a	
  
criação	
  e	
  o	
  aparelhamento	
  das	
  defensorias,	
  a	
  inversão	
  do	
  ônus	
  da	
  prova	
  buscam	
  
diminuir	
  a	
  desigualdade	
  econômica	
  entre	
  as	
  partes	
   29	
  
Prof.	
  Me.	
  Altair	
  Rosa	
  Filho	
  
altair_silva@uniri,er.edu.br	
  
Direito	
  Fundamental	
  ao	
  Contraditório	
  
Direitos	
  Fundamentais	
  Processuais	
  
Fundamentos	
   ConsOtucionais	
   -­\u2010	
   Tem	
   fundamento	
   nos	
   Art.	
   5o.	
   LIV	
   e	
   LV,	
   con\ufb01gurando-­\u2010se	
  
como	
  o	
  elemento	
  que	
  permite,	
   de	
   forma	
  atualmente	
  mais	
   ampliada,	
   a	
   par<cipação	
  das	
  
partes	
  no	
  processo	
  
	
  
Aspecto	
  histórico	
  -­\u2010	
  Tem	
  início	
  com	
  uma	
  compreensão	
  absolutamente	
  formal	
  do	
  processo,	
  
com	
   um	
   juiz	
   passivo,	
   que	
   só	
   recebe	
   informações,	
   assumindo-­\u2010se	
   um	
   viés	
   de	
   total	
  
bilateralidade	
  
	
  
Direito	
  de	
  in\ufb02uência	
  -­\u2010	
  É	
  a	
  previsão	
  de	
  que	
  as	
  partes	
  têm	
  o	
  direito	
  de	
  atuar	
  e	
  in\ufb02uenciar	
  na	
  
decisão	
  judicial	
  
Também	
  aplica-­\u2010se	
  contraditório	
  em	
  face	
  do	
  magistrado	
  -­\u2010	
  Não	
  está	
  focado	
  unicamente	
  na	
  
manifestação	
  da	
  parte	
  contrária,	
  mas	
   também	
  na	
  manifestação	
   judicial,	
  pois	
  o	
   juiz	
  deve	
  
buscar	
  dialogar	
  equita<vamente	
  com	
  ambas	
  as	
  partes	
  
Implicações	
   \u2013	
   termina	
   por	
   implicar	
   num	
  amplo	
   acesso	
   à	
   produção	
   e	
   ao	
   debate	
   sobre	
   a	
  
prova	
   30	
  
Prof.	
  Me.	
  Altair	
  Rosa	
  Filho	
  
altair_silva@uniri,er.edu.br	
  
Direito	
  Fundamental	
  à	
  Ampla	
  Defesa	
  
Direitos	
  Fundamentais	
  Processuais	
  
Fundamento	
  ConsOtucional	
   -­\u2010	
  Tem	
   fundamento	
  no	
   art.	
   5º,	
   LV,	
   CF88,	
   permi<ndo-­\u2010se	
   às	
   partes,	
  
incialmente,	
  o	
  direito	
  de	
  efetuar	
  suas	
  alegações,	
  apresentar	
  provas	
  e	
  contraditar	
  as	
  contrárias	
  e	
  
ter	
  toda	
  essa	
  argumentação	
  valorizada	
  na	
  análise	
  jurisdicional	
  
É	
   diferente	
   de	
   contraditório	
   -­\u2010	
   Direito	
   à	
   ampla	
   defesa	
   não	
   se	
   confunde	
   com	
   direito	
   ao	
  
contraditório,	
   pois	
   esse	
   é	
   o	
   direito	
   que	
   assegura	
   à	
   parte	
   a	
   par<cipação	
   no	
   processo,	
  
in\ufb02uenciando	
  a	
  decisão	
  jurisdicional	
  e	
  garan<ndo	
  a	
  sua	
  par<cipação	
  
Direito	
  à	
  cognição	
  -­\u2010	
  Direito	
  à	
  ampla	
  defesa	
  é	
  direito	
  à	
  cognição	
  plena	
  e	
  exauriente,	
  dispondo-­\u2010se	
  
aos	
  envolvidos	
  a	
  possibilidade	
  de	
  alegar	
  toda	
  a	
  matéria	
  disponível	
  para	
  tutela	
  de	
  suas	
  posições	
  
jurídicas	
  e	
  produzir	
  provas	
  exaus<vamente	
  
	
  
RelaOvização	
   da	
   Ampla	
   Defesa	
   -­\u2010	
   Os	
   cortes	
   cogni<vos	
   (plano	
   horizontal	
   e	
   ver<cal)	
   deverão	
  
ocorrer	
  através	
  da	
  lei,	
  com	
  fundamento	
  em	
  razões	
  cons<tucionais	
  
Implicações	
   -­\u2010	
   Envolve	
   a	
   concessão	
   de	
   prazos	
   razoáveis	
   para	
   defesa	
   e	
   pronunciamento	
   das	
  
partes,	
   conhecimento	
   dos	
   elementos	
   necessários	
   para	
   os	
   atos	
   relevantes	
   do	
   processo,	
  
possibilidade	
  de	
  esclarecimento	
  de	
  fatos,	
  direito	
  de	
  omi<r-­\u2010se,	
  etc.	
   31	
  
Prof.	
  Me.	
  Altair	
  Rosa	
  Filho	
  
altair_silva@uniri,er.edu.br	
  
Direito	
  Fundamental	
  à	
  Prova	
  
Direitos	
  Fundamentais	
  Processuais	
  
Fundamento	
  ConsOtucional	
  -­\u2010	
  Direito	
  fundamental	
  à	
  prova	
  \u2013	
  Art.	
  5o.	
  LVI,	
  garante	
  
à	
   parte	
   a	
   ampla	
   produção	
   probatória,	
   principalmente	
   ao	
   determinar	
   que	
   as	
  
provas	
   ilícitas	
   são	
   inadmissíveis,	
   o	
   ordenamento	
   estaeleceque	
   são	
   admissíveis	
  
todas	
  as	
  ob<das	
  através	
  de	
  meios	
  lícitos	
  
Previsão	
  no	
  CPC	
  -­\u2010	
  A	
  legislação	
  infracons<tucional	
  (CPC,	
  art.	
  322),	
  estabelece	
  que	
  
todos	
  os	
  meios	
   legais	
  e	
  moralmente	
   legí<mos,	
  ainda	
  que	
  não	
  especi\ufb01cados	
  em	
  
lei,	
  são	
  aptos	
  para	
  provar	
  a	
  verdade	
  
Implicações	
  -­\u2010	
  Não	
  é	
  lícito	
  aqui,	
  por	
  exemplo,	
  que	
  o	
  julgador	
  inde\ufb01ra	
  determinada	
  
prova	
  em	
  face	
  do	
  seu	
  conhecimento	
  prévio	
  a	
  respeito	
  da	
  alegação	
  
	
  
32	
  
Prof.	
  Me.	
  Altair	
  Rosa	
  Filho	
  
altair_silva@uniri,er.edu.br	
  
Direito	
  Fundamental	
  à	
  Publicidade	
  
Direitos	
  Fundamentais	
  Processuais	
  
Fundamentos	
   ConsOtucionais	
   -­\u2010	
   Direito	
   fundamental	
   à	
   publicidade	
   \u2013	
   Art.	
   93,	
  
incisos	
   IV	
  e	
  X	
  CF,	
  estabelece	
  que,	
   via	
  de	
   regra,	
   todos	
  os	
   julgamentos	
  do	
  Poder	
  
Judiciário	
  são	
  públicos,	
  sob	
  pena	
  de	
  nulidade	
  
Publicidade	
  -­\u2010	
  A	
  publicidade	
  não	
  diz	
  somente	
  com	
  o	
  ato	
  ser	
  público,	
  acessível	
  aos	
  
cidadãos,	
  mas	
   também	
  de	
   informar	
   a	
   todo	
   e	
   qualquer	
   cidadão,	
   não	
   só	
   àquele	
  
que	
  na	
  audiência	
  ou	
  sessão	
  esteve	
  presente,	
  através	
  de	
  publicações	
  o\ufb01ciais	
  
Consequência	
   da	
   inobservância	
   -­\u2010	
   A	
   falta	
   dessas	
   publicações	
   é	
   mo<vo	
   de	
  
invalidade	
  processual	
  
RelaOvização	
  -­\u2010	
  O	
  direito	
  fundamental,	
  é	
  evidente,	
  é	
  rela<vizado	
  quando	
  direitos	
  
fundamentais	
   de	
  maior	
   grado	
  entram	
  em	
   choque	
   com	
  eles,	
   como	
  é	
  o	
   caso	
  da	
  
in<midade	
  (art.	
  5o.	
  LX).	
  
33	
  
Prof.	
  Me.	
  Altair	
  Rosa	
  Filho	
  
altair_silva@uniri,er.edu.br	
  
Direito	
  Fundamental	
  à	
  Motivação	
  
Direitos	
  Fundamentais	
  Processuais	
  
Fundamento	
  ConsOtucional	
  -­\u2010	
  Direito	
  fundamental	
  à	
  mo<vação	
  \u2013	
  Art.	
  93,	
  IX,	
  CF,	
  
impõe	
   que	
   o	
   pronunciamento	
   dos	
   órgãos	
   do	
   Poder	
   Judiciário	
   devem	
   ser	
  
mo<vados	
  
Livre	
  convencimento	
  moOvado	
  -­\u2010	
  Assim,	
  portanto,
Karen
Karen fez um comentário
Este material é atualizado pelo novo CPC?
0 aprovações
Carregar mais