trabalho sobre políticas sobre drogas
68 pág.

trabalho sobre políticas sobre drogas


DisciplinaPsicologia e Saúde Pública39 materiais266 seguidores
Pré-visualização3 páginas
As Políticas Públicas Sobre Drogas
Disciplina:Políticas de Saúde Mental
Professora:Clarissa de Antoni
Aluna:Carolina Pereira
Maio, 2013.
40 milhões de anos atrás:hipótese de macaco bêbado.
2.700AC China: Cannabis
1.300AC Assíria: Cannabis
1000AC Egito:uso de ópio
500AC Grécia:vinho
1492:Cannabis na América
Primeiros registros
 O consumo de café na Rússia já foi punido com mutilação do nariz e das orelhas. Em algumas religiões, o café, assim como o álcool, é proibido.
No tempo do descobrimento das Américas, o mate foi proibido no Paraguai, por questões econômicas.
O tabaco já foi punido com pena de morte na Alemanha, em países asiáticos e do Oriente Médio.
História das proibições
Brasil
Em 1919 a maconha foi proibida para os negros e em 1921 foi proibido o samba: formas de fazer uma segregação social.
Maconha era usada para descansar após o trabalho.
Drogas deselegantes:álcool e maconha
Elegantes:ópio,cocaína e heroína
História das proibições
Estados Unidos.
Repressão aos mexicanos (marijuana)
1914: proibição da maconha:imigração reprimida dos mexicanos.
Puritanismo:evitar qualquer tipo de prazer culminado na proibição do álcool em 1919.
Al Capone e o \u201cmercado negro\u201d
História das proibições
1971: Richard Nixon lança a \u201cGuerra as Drogas\u201d
1976: Holanda permite uso de maconha em bares licenciados.
1986:Ronald Reagan cria política para punir usuários.
1996: A maconha é legalizada para uso medicinal na Califórnia.
2006:Nova Lei no Brasil extingue a prisão para usuário.
Mudança Progressiva
2009: A Argentina descriminaliza a maconha para uso pessoal.
2012: A Colômbia descriminaliza a maconha e a cocaína em pequenas quantidades para uso pessoal
Colorado e Washington legalizam o uso recreativo de maconha
O governo uruguaio lança plano para legalizar e estatizar a produção de maconha.
Mudança Progressiva
Portugal, Espanha e República Tcheca descriminalizaram a posse de drogas para o consumo pessoal.
Em 14 países da Europa, os dependentes de drogas são tratados como pacientes,não como criminosos.
Em 16 Estados americanos, o uso medicinal da maconha foi legalizado.
46% dos eleitores da Califórnia votaram a favor da legalização da maconha
Mudanças atuais
Maconha: 8,8% 
Cocaína:2.9 %. 
O total de uso na vida de drogas ilícitas está em 13,8%. É onde a imprensa focaliza, e a polícia e a justiça estão atrás.
As drogas ou medicamentos lícitos: 24,3%, (sem contar o álcool e do tabaco) 12,3% de pessoas, nas 108 maiores cidades do Brasil, com problemas que sugerem, ou concluem, a dependência do álcool (CEBRID,2002).
O consumo de drogas
 De acordo com dados da própria ONU, em todo o mundo o tabaco mata 5 milhões de pessoas por ano; o álcool, 2,5 milhões de pessoas; as drogas ilícitas 200 mil pessoas.
Por que são lícitas?
Porta de entrada?
Útil na fase final da AIDS: ausência de fome, e no câncer: enjoo e vômitos.
ONU: nível 4 de periculosidade
A Maconha
 Estados Unidos ocupam o primeiro lugar no que diz respeito à categoria de uso na vida: maconha, cocaína e anfetaminas. 
Os norte-americanos são os que mais investem na política de guerra às drogas: gastos de mais de um trilhão nos últimos 40 anos.
 maior número de prisões por crimes relacionados ao fenômeno drogas \u2013 produção, comércio e consumo de substâncias psicoativas (SPAs): numero de presos nos EUA por violações saltou de 38 mil para 500 mil.
O resultado da \u201cGuerra às Drogas\u201d
 30 mil dólares por ano/preso (11 mil dólares ano/aluno da rede pública).
 Consumo regulamento recolheria 46 bilhões em impostos.
Obama: \u201cCombate ao tráfico\u201d
O narcotráfico movimenta mais de 400 bilhões de dólares ao ano (ONU).
O resultado da \u201cGuerra às Drogas\u201d
Grande investimento financeiro nos tratamentos e pouca atenção na prevenção e cuidados pós-tratamento. 
A grande maioria das propostas trabalha intensivamente na questão da interrupção do consumo
 Pouca atenção à manutenção do comportamento de mudança.
Condenação moral e social
Cenário atual no Brasil
No Brasil o consumo de drogas continua sendo crime.
Indefinição da quantidade de droga que diferencia um usuário de um traficante.
Em 2006 e 2008, 66% dos presos eram primários e 86% não portavam armas.
O sistema de saúde não tem estrutura para oferecer atendimento a grande maioria dos dependentes.
Cenário atual no Brasil
Escolha de uma droga como foco: Crack é usado por apenas 0,3% da população (CEBRID,2005).
 Escolha de um tratamento retrógrado dentro das políticas públicas que não prioriza o cuidado do usuário no território.
 Postura proibicionista: o medo desencoraja o uso, porém essa abordagem não vem conseguindo responder à complexidade desse fenômeno. (Sodelli, 2010). 
Cenário atual no Brasil
Diferença de tratamento
Tem como base os princípios do SUS e da Reforma Psiquiátrica
Estabelecimento e fortalecimento do trabalho em rede
Acesso facilitado aos serviços
Participação dos usuários no tratamento
Criação dos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS) e dos Centros de Apoio Psicossocial Álcool e Outras Drogas
Política do Ministério da Saúde para Atenção Integral A Usuários de Álcool e Outras Drogas
 \u201cPara fins desta lei, consideram-se como drogas as substâncias ou produtos capazes de causar dependência, assim especificados em lei ou relacionados em listas atualizadas periodicamente pelo Poder Executivo da União\u201d. 
Não pune o uso propriamente, mas o porte para o consumo pessoal e o tráfico de drogas.
 Lei 11.343/ 2006:Lei de Drogas 
\u201cQuem adquirir, guardar, tiver em depósitos, transportar ou trouxer consigo para consumo pessoal drogas, sem autorização ou em desacordo com determinação legal regulamentar, será submetido às seguintes penas: 1) advertência sobre os efeitos das drogas; 2) prestação de serviço à comunidade; 3) medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo\u201d.
 \u201cImportar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, 
transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar ao consumo ou fornecer, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com a regulamentação legal e regulamentar, a pena é de reclusão de 5 a 15 anos e pagamento de 500 a 1.500 dias/multa\u201d.
Lei 11.343/ 2006:Lei de Drogas
SISNAD
Não há um critério objetivo para fazer a distinção entre o tráfico e o uso de drogas. 
A lei diz que, para determinar se a droga se destina ao consumo pessoal, deve atender à natureza e à quantidade da substância apreendida, o local e as condições em que se desenvolveu a ação, as circunstâncias sociais e pessoais, bem como a conduta e os antecedentes do agente: Há uma espécie de culpabilidade pela conduta de vida. 
Críticas à Lei 11343/2006
Desde que a legislação entrou em vigor, dobrou o número de presos por crimes relacionados às drogas no Brasil.
A maioria desses presos nunca cometeu outros delitos, não tem relação com o crime organizado e portava pequenas quantidades da droga no ato da detenção.
 A legislação não permite que respondam em liberdade a um processo em que a acusação seja tráfico de drogas.
Críticas à Lei 11343/2006
 Crescente encarceramento em massa do setor mais pobre. http://www.youtube.com/watch?v=JvVRUkBmrac
Crimes relativos às drogas são o maior motivo de encarceramento de mulheres, o que desencadeou a maior explosão carcerária da história do Brasil. Entre 2005 e 2011, passou-se de 31.520, para 115.287 o número de detenções por conta de substâncias ilícitas. 
O custo por vaga nas prisões vai de 21 a 40 mil reais por ano, enquanto o investimento por aluno do ensino fundamental da rede pública é de 2 mil reais por ano.
Drogas e prisão
Campanha \u201cLei de Drogas:é preciso mudar\u201d
http://www.youtube.com/watch?v=0Zr6eQz_uLo
Reações à Lei 11343/2006
Semelhante ao modelo adotado em Portugal.
Descriminalizar o uso e estabelecer quantidades para cada droga, o suficiente para 10 dias.
Quem vende para manter o vício também não seria condenado.
Legalização