A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Etica CAUBR 06 2015 WEB

Pré-visualização | Página 1 de 5

Código de
Ética e Disciplina
para Arquitetos
e Urbanistas
3Código de Ética e Disciplina para Arquitetos e Urbanistas
Código de Ética e Disciplina do Conselho
de Arquitetura e Urbanismo do Brasil
Sumário
04 Preâmbulo
04 • Funções Deontológicas do Código
04 • Estrutura do Código
06 Obrigações Gerais
07 Obrigações para com o Interesse Público
08 Obrigações para com o Contratante
10 Obrigações para com a Profissão
12 Obrigações para com os Colegas
14 Obrigações para com o Conselho de Arquitetura 
 e Urbanismo (CAU)
Apresentação e Agradecimentos
Apresentamos aos arquitetos e urbanistas e à sociedade brasileira o Código de 
Ética e Disciplina do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, elaborado sob a 
coordenação da Comissão de Ética e Disciplina do CAU/BR (CED-CAU/BR).
Este Código de Ética e Disciplina regulamenta os artigos 17 a 23 da Lei Nº 12.378/2010, 
em consonância com seus artigos 24 e 28. Certamente será uma ferramenta essencial 
para a qualificação da prática profissional da Arquitetura e Urbanismo no Brasil, se bem 
compreendido por todos e corretamente aplicado pelos CAU/UF e CAU/BR.
Trata-se de documento basilar, fundamento efetivo e definidor da própria 
regulamentação da profissão – talvez o de mais relevante significado entre os produzidos 
pela gestão fundadora do CAU/BR, considerando ainda seu ineditismo no Brasil e sua real 
possibilidade de renovar amplamente as relações dos arquitetos e urbanistas com a profissão 
e desta com a sociedade. 
Devemos a elaboração deste Código, especialmente, aos membros da CED-CAU/
BR que – apoiados pelo consultor convidado, assessoria técnica e empresa de pesquisa 
– organizaram com zelo e inteligência as discussões que promoveram e apreciaram as 
contribuições recebidas.
Ao longo de 18 meses, entre 2012 e 2013, muitas dezenas de colegas conselheiros dos 
CAU/UF e diversos palestrantes e debatedores convidados, apresentaram contribuições nos 
cinco seminários regionais sobre Ética em Arquitetura e Urbanismo, realizados pelo CAU/BR 
no Rio de Janeiro, em Recife, Curitiba, Goiânia e Belém, assim como no seminário nacional 
em Brasília, transmitido online para todos os interessados.
Das cinco regiões do Brasil, recebemos propostas importantes, apresentadas por 
dirigentes das entidades nacionais e regionais de arquitetos e estudantes – particularmente 
IAB, FNA, AsBEA, ABEA, ABAP, AsBAI e FeNEA – , de professores das instituições de ensino 
superior de AU e de arquitetos que se apresentaram nos seminários. Para concluir o processo, 
o texto foi apresentado à consulta pública pela Internet e recebeu sugestões e críticas finais 
de outros vários colegas.
Ao final, os conselheiros do CAU/BR discutiram o texto em duas reuniões plenárias 
consecutivas e o aprovaram, na 22ª Reunião Plenária do Conselho de Arquitetura e 
Urbanismo do Brasil, realizada em 05 e 06 de setembro de 2013.
A todos, nossos sinceros agradecimentos.
Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz 
Presidente do CAU/BR
Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR)
Conselho Diretor (2015)
Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz (DF)
Presidente
Anderson Fioreti de Menezes (ES)
1º Vice-Presidente | Coordenador da Comissão de Planejamento e Finanças 
Fernando José de Medeiros Costa (RN)
2º Vice-Presidente | Coordenador da Comissão de Ensino e Formação
Napoleão Ferreira da Silva Neto (CE) 
Coordenador da Comissão de Ética e Disciplina
Luiz Fernando Donadio Janot (RJ)
Coordenador da Comissão de Exercício Profissional
Gislaine Vargas Saibro (RS)
Coordenador da Comissão de Organização e Administração
Conselheiros Federais (2015–2017)
UF TITULAR SUPLENTE
AC Clênio Plauto de Souza Farias Anderson Lopes de Almeida
AL Heitor Antonio Maia das Dores Josemée Gomes de Lima
AM Claudemir José Andrade Gonzalo Renato Núñez Melgar
AP Jose Alberto Tostes Oscarito Antunes do Nascimento
BA Hugo Seguchi Neilton Dórea de Oliveira
CE Napoleão Ferreira da Silva Neto Antonio Luciano Lima Guimarães
DF Haroldo Pinheiro Villar de Queiroz Orlando Cariello Filho
ES Anderson Fioreti de Menezes Eduardo Pasquinelli Rocio
GO Maria Eliana Jubé Ribeiro Bráulio Vinícius Ferreira
MA Maria Laís da Cunha Pereira Alex Oliveira de Souza
MG Maria Elisa Baptista José Antônio Assis de Godoy
MS Celso Costa Luiz Carlos Ribeiro
MT Ana de Cássia Abdalla Bernardino Luciano Narezi de Brito
PA Wellington de Souza Veloso Mariano de Jesus Conceição
PB Hélio Cavalcanti da Costa Lima Fábio Torres Galisa de Andrade
PE Fernando Diniz Moreira Risale Neves Almeida
PI Sanderland Coelho Ribeiro Wellington Carvalho Camarço
PR Manoel de Oliveira Filho João Virmond Suplicy Neto
RJ Luiz Fernando Donadio Janot Pedro da Luz Moreira
RN Fernando José de Medeiros Costa Josenita Araújo da Costa Dantas
RO Roseana de Almeida Vasconcelos Ana Cristina Lima Barreiros
RR Luiz Afonso Maciel de Melo Zacarias Gondin Lins Neto
RS Gislaine Vargas Saibro Carlos Alberto Sant’Ana
SC Ricardo Martins da Fonseca Ronaldo de Lima
SE Marcelo Augusto Costa Maciel Fernando Márcio de Oliveira
SP Renato Luiz Martins Nunes Luiz Augusto Contier
TO Luis Hildebrando Ferreira Paz Flavio José de Melo Moura Vale
INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR
José Roberto Geraldine Junior Gogliardo Vieira Maragno
54 Código de Ética e Disciplina para Arquitetos e Urbanistas
Os princípios são as normas de maior abrangência, cujo caráter teórico abstrato 
referencia agrupamentos de normas subordinadas. 
As regras, que são derivadas dos princípios, devem ser seguidas de forma específica 
e restrita às circunstâncias objetivas e concretas. A transgressão às regras será considerada 
infração éticodisciplinar imputável.
As recomendações, quando descumpridas, não pressupõem cominação de sanção, 
todavia, sua observância ou inobservância poderão fundamentar argumento atenuante ou 
agravante para a aplicação das sanções disciplinares.
Preâmbulo
O Código de Ética e Disciplina define os parâmetros deontológicos que devem orientar 
a conduta dos profissionais registrados nos Conselhos de Arquitetura e Urbanismo.
As normas reunidas no Código de Ética e Disciplina impõem elevadas exigências 
éticas aos arquitetos e urbanistas, as quais se traduzem em obrigações para com a sociedade 
e para com a comunidade profissional, além de alçarem o dever geral de urbanidade. 
O conjunto normativo deste Código também expressa e reafirma o compromisso dos 
arquitetos e urbanistas em assumir as responsabilidades a eles delegadas pela Nação e pelo 
Estado brasileiro de autogestão e controle do exercício profissional – responsabilidades estas 
reivindicadas há décadas e consubstanciadas no processo de aprovação da Lei n° 12.378, em 
31 de dezembro de 2010.
A Lei, em seus artigos 17 a 23, materializa a finalidade precípua do Código de Ética e 
Disciplina, orientando o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil a instaurar, defender 
e manter as normas de conduta dos profissionais. Essa conduta foi historicamente delineada 
a partir de um propósito humanista e preservacionista do patrimônio socioambiental e 
cultural, e encontra-se intrinsecamente relacionada com o direito à cidadania e com o 
aperfeiçoamento institucional dos campos de atuação da Arquitetura e Urbanismo.
No que concerne aos aspectos legais coercitivos, este Código estabelece bases 
suficientes para proporcionar clareza na identificação circunstanciada dos fatos, na 
avaliação das infrações cometidas e na aplicação das respectivas sanções disciplinares.
A aplicação harmônica das determinações deontológicas do Código de Ética e 
Disciplina será realizada pelos CAU/BR e CAU/UF, conforme o disposto nas Resoluções que 
especificam os procedimentos processuais respectivos às etapas de instauração, instrução, 
defesa, relatório, pedido de reconsideração, recurso à instrução, decisão final, aplicação das 
eventuais

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.