O cérebro adolescente   Suzana Herculano Houzel
156 pág.

O cérebro adolescente Suzana Herculano Houzel


DisciplinaPsicologia69.328 materiais482.443 seguidores
Pré-visualização44 páginas
Suzana Herculano-Houzel
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2
O cérebro adolescente
 
 
A neurociência da transformação da criança em adulto
 
3
 
 
 
Suzana Herculano-Houzel foi adolescente durante uns 10 anos, como todo mundo. Deixou os pais
preocupados enquanto escalava o Pão-de-Açúcar, viajava pelo Chile de mochila nas costas, e saía
para festas, passava da hora de voltar mas não lembrava de ligar para casa. Ainda adolescente e
aflita para não perder uma oportunidade, foi para os EUA fazer pós-graduação no dia em que formou-
se bióloga pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, em 1992. Depois, fez doutorado e pós-
doutorado em Neurociências na Universidade de Paris e no Instituto Max-Planck de Pesquisa do
Cérebro em Frankfurt, na Alemanha. Voltou ao Brasil em 1999, virou professora do Instituto de
Ciências Biomédicas da UFRJ, onde pesquisa as diferenças entre cérebros grandes e pequenos de
diferentes animais, escreveu seis livros sobre neurociências para o grande público, e criou os sites O
Cérebro Nosso de Cada Dia (www.cerebronosso.com.br) e A Neurocientista de Plantão
(www.suzanaherculanohouzel.com). Suzana é colunista da Folha de São Paulo desde 2006 e da
revista Mente & Cérebro desde 2010, pesquisadora do CNPq, Cientista do Nosso Estado da
FAPERJ, e scholar da James McDonnell Foundation, e mora no Rio de Janeiro com o marido e os
dois filhos.
 
 
4
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Para meus pequenos Lucas e Luiza,
com a promessa de lembrar de tudo isso
quando vocês forem adolescentes;
 
para meus pais,
que pareciam já saber de tudo isso
quando a adolescente era eu.
 
5
Índice
 
 
AGRADECIMENTOS
CARO LEITOR
TUDO COMEÇA NO CÉREBRO: O HIPOTÁLAMO E A VEZ DOS HORMÔNIOS
MOSTRA O DEDINHO, JOÃOZINHO...
A CONEXÃO CÉREBRO-GORDURA
TIRANDO O PÉ DO FREIO
ISSO, SIM, É CULPA DOS HORMÔNIOS: O COMPORTAMENTO SEXUAL
CHEIROS QUE UNEM GAMETAS
O SISTEMA VOMERONASAL E A ADOLESCÊNCIA
UM EXEMPLO DE QUANDO TUDO DESANDA
E OS HORMÔNIOS COM TUDO ISSO?
QUE DIFERENÇA FAZ O DIMORFISMO SEXUAL?
TÁ VINDO DE ONDE, TÁ INDO PARA ONDE?
MAIS CÉREBRO, MENOS SINAPSES, MAIS MIELINA
AINDA NÃO É TARDE DEMAIS
DE BLOCO DE MÁRMORE A OBRA-DE-ARTE: ELIMINAÇÃO DE EXCESSOS
O EFEITO \u201cFIXADOR\u201d
DE ESTABANADOS E DESENGONÇADOS A ATLETAS OLÍMPICOS
MUDANÇAS DESIGUAIS NO CORPO E O CÓRTEX PARIETAL
HABILIDADES MOTORAS E O FIM DO \u201cPERÍODO CRÍTICO\u201d
RESUMINDO:
AS MUDANÇAS SENSORIMOTORAS NO CÉREBRO ADOLESCENTE...
... SERVEM PARA ALGUMA COISA?
MAIS ESTÍMULOS, MAIS RISCOS, MAIS DROGAS, MAIS TUDO, E AGORA!
ENERGIA, MOTIVAÇÃO E O SISTEMA DE RECOMPENSA
DA DOPAMINA AO PRAZER
TÉDIO E A ADOLESCÊNCIA DO SISTEMA DE RECOMPENSA
MÚSICA ALTA PARA UM SISTEMA DE RECOMPENSA EM BAIXA
HÁ TÉDIOS QUE VÊM PARA O BEM
MAIS ESTÍMULOS, MAIS RISCOS
O PRAZER DE CORRER RISCOS
QUANTO RISCO É SUFICIENTE?
ESTRESSE, INIMIGO TAMBÉM DOS ADOLESCENTES
DIGA \u201cMAIS TARDE\u201d
POR FALAR EM DROGAS: A ADOLESCÊNCIA COMO SÍNDROME DE ABSTINÊNCIA... DA INFÂNCIA!
O LADO BOM DA VIDA EM SOCIEDADE
UM NOVO PRAZER E SUAS VANTAGENS: O SEXO
FIDELIDADE E UMA SOLUÇÃO QUE TAMBÉM É PROBLEMA
MIREM-SE NO EXEMPLO DOS ARGANAZES-DO-CAMPO
TEM QUE SER AGORA: IMPULSIVIDADE
E QUANDO TUDO ISSO TERMINA?
RESUMINDO:
AS MUDANÇAS NO SISTEMA DE RECOMPENSA ADOLESCENTE...
... SERVEM PARA ALGUMA COISA?
6
... PODEM SER RUINS?
COMO NEGOCIAR ESSA TRANSIÇÃO COM TRANQUILIDADE?
CÓRTEX PRÉ-FRONTAL DORSO-LATERAL: CONTROLE E PLANEJAMENTO
QUAL É A VANTAGEM EM DISPOR DE UM CÓRTEX PRÉ-FRONTAL?
O NOSSO NÃO É O MAIOR
CONTROLE COGNITIVO E PLANEJAMENTO: O CÓRTEX DORSO-LATERAL
LIVRES DO JUGO DO AMBIENTE: CONTROLE DE IMPULSOS
FAZER PRIMEIRO, EXPLICAR DEPOIS
MACACOS-DE-IMITAÇÃO
A MELHOR EXPLICAÇÃO AO ALCANCE DO CÉREBRO
FORA DE VISTA, MAS DENTRO DO PENSAMENTO: MEMÓRIA DE TRABALHO E RACIOCÍNIO ABSTRATO
RESUMINDO:
AS MUDANÇAS NO CÓRTEX PRÉ-FRONTAL DORSO-LATERAL ADOLESCENTE...
... SERVEM PARA ALGUMA COISA?
... PODEM SER RUINS?
COMO NEGOCIAR ESSA TRANSIÇÃO COM TRANQÜILIDADE?
CÓRTEX ÓRBITO-FRONTAL E TEMPORAL SUPERIOR: VIDA EM SOCIEDADE
O CÓRTEX ÓRBITO-FRONTAL
DE CABEÇA QUENTE NÃO É NECESSARIAMENTE RUIM
O OFC E A PERSEVERANÇA \u2013 NO MAU SENTIDO
DECISÕES EMOTIVAS MASCULINAS
A MENOR CHANCE DE ARREPENDIMENTO
OS BENEFÍCIOS SOCIAIS DAS DECISÕES DE CABEÇA QUENTE
SOCIOPATIAS E O COMPORTAMENTO ANTI-SOCIAL ADOLESCENTE
COGNIÇÃO SOCIAL E AS PAIXÕES, NEM SEMPRE PELA PESSOA CERTA
UMA JANELA PARA A MENTE DO OUTRO
RESUMINDO:
AS MUDANÇAS NO CÓRTEX ÓRBITO-FRONTAL E NO TEMPORAL ADOLESCENTE...
... SERVEM PARA ALGUMA COISA?
... PODEM SER RUINS?
COMO NEGOCIAR ESSA TRANSIÇÃO COM TRANQÜILIDADE?
ADOLESCÊNCIA É COISA DO CÉREBRO. E DAÍ?
VANTAGENS DE SER ADOLESCENTE
SUGESTÕES DE LEITURA
NOTAS
7
Agradecimentos
 
Felicidade é poder fazer o que se gosta \u2013 e uma das coisas que eu mais gosto é falar sobre as
aplicações da neurociência à vida cotidiana para pessoas que não têm a menor obrigação de
conhecer nada disso, nem outra razão para buscar o assunto além de pura curiosidade. A gratificação
é ainda maior quando os olhos se arregalam, os ouvidos se aguçam, o cérebro pensa \u201cpuxa, nunca
imaginei que isso fosse assim!\u201d, e então começa a descobrir perguntas novas, uma atrás da outra, e
querer mais respostas.
 
A adolescência é um assunto especialmente interessante: toca invariavelmente a todos por ser uma
experiência compulsória, vivida por cada um a seu jeito, e envolve aquelas mágicas da natureza que,
depois de transformarem duas células em criança, tornam crianças em adultos. Mesmo depois de
escrever dois livros sobre as aplicações da neurociência ao cotidiano, pesquisar as descobertas
recentes da neurociência \u2013 recentes mesmo, várias datadas de 2004 \u2013 sobre o cérebro adolescente e
apresentá-las ao público na forma de um livro com começo, meio e fim foi para mim um desafio
ímpar.
 
O resultado final deste livro foi possível graças à contribuição de várias pessoas. Além dos
cientistas de vários países cuja pesquisa levou aos conhecimentos que formam a base das idéias
apresentadas aqui, todos identificados nas Notas à medida que seus trabalhos são mencionados no
texto, alguns pesquisadores brasileiros contribuíram com sugestões, críticas, e sua experiência
profissional. Meu agradecimento especial a Ricardo de Oliveira Souza, neurologista e professor da
Uni-Rio quem eu muito admiro e prezo, por muitas dicas, idéias, sugestões de leitura e sua revisão
crítica mas sempre entusiástica do texto, e principalmente pelo seu tempo oferecido generosamente
para receber a mim e mais uma pergunta, dúvida ou capítulo do livro. Agradeço também ao querido
Diogo Lara, psiquiatra, professor da PUC-UFRGS e entusiasmadíssimo divulgador das
neurociências, quem também me ofereceu idéias, críticas e várias sugestões incorporadas ao texto.
Jorge Moll Neto, médico e pesquisador da Rede D\u2019Or, e Luiz Menna-Barreto, professor da USP,
também deram sugestões valiosas à elaboração deste livro. Agradeço ainda aos meus colegas do
Departamento de Anatomia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, em particular aos queridos
Roberto Lent, Vivaldo Moura-Neto e José Garcia de Abreu pelo ambiente de trabalho sempre
estimulante e pelo apoio constante às minhas atividades de divulgação científica, em paralelo à
pesquisa.
 
Durante um ano, as conversas com meus amigos foram invariavelmente pontilhadas de perguntas
sobre suas lembranças da adolescência. Deixo aqui meu agradecimento super-especial aos queridos
Cecília Garcia de Carvalho, Bruno Mota, Bernardo Esteves e Carla Almeida pela paciência, mas
sobretudo pelo carinho, amizade e apoio ao longo de um ano conturbado, e à querida Daniela Gomes
Cardoso, quem me acompanhou recentemente numa curtidíssima a inesperada re-adolescência.
 
8
Deixo aqui também minha gratidão a Beth e Lia, duas almas generosas e sempre solícitas a quem eu
confio minhas crianças quando não posso estar presente, quem as mantiveram entretidas enquanto eu