trabalho pdf segurança no ambiente hospitalar
7 pág.

trabalho pdf segurança no ambiente hospitalar


DisciplinaProteção e Higiene da Radiação5 materiais99 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Segurança no Ambiente Hospitalar.
Introdução:
O principal objetivo de um hospital é a prestação de serviços na área da saúde, sabemos que este serviço deve ser prestado com qualidade, eficiência e efetividade.
O ambiente hospitalar é um local de cuidado e assistência aos pacientes, que estão ali com o objetivo de tratar enfermidades e curá-las, na medida do possível. Apesar de ser destinado à manutenção, recuperação e prevenção da saúde, o hospital oferece diversos riscos para a segurança dos pacientes, dos profissionais de saúde e de outros funcionários.
O reconhecimento prévio dos riscos de segurança no ambiente hospitalar que geram desgastes à saúde dos trabalhadores é um dos principais meios para prevenir adoecimentos e garantir a promoção da saúde no trabalho. Visto que, a grande chave para a saúde dos trabalhadores é antecipar a identificação dos riscos ao seu processo de trabalho para intervir precocemente na realidade, com o objetivo de desenvolver condições de segurança aos trabalhadores. 
Os riscos encontrados em um serviço de radiologia são bastante amplos, já que incorporam riscos relativamente comuns do ambiente de trabalho hospitalar e riscos específicos dessa atividade, como por exemplo, a exposição à radiação ionizante. E temos a sala de revelação das imagens onde obtém produtos químicos que agride a saúde do profissional.
Desta forma, a saúde dos trabalhadores em radiologia é vulnerável por conta da exposição aos riscos presentes no seu processo de Trabalho. Os gestores dos hospitais precisam, então, reconhecer e identificar as ameaças para estabelecer ações de conscientização de segurança e de prevenção junto ao corpo clínico e aos pacientes \u2014 com o PPRA identificando assim, dessa maneira, a saúde pode ser garantida.
 Objetivos 
Objetivo geral: 
Objetivo do trabalho é obter conhecimentos dos riscos dentro de cada área hospitalar, qual as melhores práticas, pra que as mesma possa gerar melhoria na qualidade em serviços de saúde; junto com os programas de prevenção, (PPRA, BIOSEGURANÇA, ANVISA)... e contribuindo para um ambiente do trabalho seja mais seguro, evitando que os pacientes sejam expostos a estes riscos, obtendo assim condições seguras para os pacientes e profissionais.
 Objetivos específicos:
Técnicas da segurança no ambiente hospitalar
Qual a finalidade dos responsáveis
SESMT, a CIPA
Classificação das áreas de riscos
Medidas de prevenção (IPIS)
Importância do investimento em segurança
Melhores práticas e normais de segurança
 Metodologia
Os projetos sobre sistemas de gestão de (SST) sistema de serviços do trabalho deverão tratar de todas as medidas de controle dos riscos e poderão ser realizados em diversos setores, tais como, ambiente de trabalho de saúde, transportes, equipamentos, Geralmente, as pesquisas relacionadas buscam entender como se dá a aplicação desses sistemas de segurança e fazem uso de enquetes e questionários ou entrevistas. São, em sua maioria, estudos descritivos.
Os projetos sobre ensaios de EPI buscam avaliar o desempenho desses equipamentos diante de requisitos estabelecidos em normas de ensaios, tais como, normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), da Organização Internacional de Normatização (ISO) ou da American National Standards Instituto (ANSI). São projetos experimentais que fazem uso de ensaios laboratoriais e, portanto, necessitam de equipamentos e metodologias atualizadas.
O mesmo se aplica às normas de proteção de máquinas, em que o desempenha papel importante, tanto na elaboração de normas da ABNT, que incorporam quesitos de segurança e nas atualizações da NR 12.
Finalmente, os projetos de ação educativa (cursos e eventos) visam disseminar os conhecimentos adquiridos nos projetos dos temas anteriores. Além da disseminação de conhecimentos por meio de cursos e eventos presenciais, o programa pretende disseminar esses conhecimentos por meio de ferramentas eletrônicas, fazendo uso do potencial disponibilizado pela internet. 
1) Técnicas de segurança no ambiente hospitalar.
Aplicação apropriada do conhecimento disponível, bem como da tecnologia, no cuidado da saúde. Denota um grande espectro de características desejáveis de cuidados, incluindo eficácia, eficiência, efetividade, aceitabilidade, acessibilidade, adequação e qualidade técnico-científica.
Esse é um desafio Global, para a Segurança do Paciente pressupõe comprometimento e ações em segurança do paciente para minimização de risco em todos os aspectos.
Tecnologia para Segurança do Paciente foca na utilização de novas tecnologias para promoção da segurança do paciente.
Essas tomadas de tecnologia, programas de fortalecimento a conscientização para obter uma segurança no ambiente hospitalar, habilidade do cuidado no seu máximo, para incrementar saúde.
Isto não pode ser alcançado sem a administração efetiva de um programa de prevenção de acidentes que proporcione condições ambientais seguras para o paciente e para os profissionais que aí desenvolvem suas atividades de trabalho. 
a) Consideram-se agentes físicos, dentre outros: ruídos, vibrações, temperaturas anormais, pressões anormais, radiações ionizantes, radiações não-ionizantes, iluminação e umidade. 
b)Consideram-se agentes químicos, dentre outros: névoas, neblinas, poeiras, fumaça, gases e vapores. 
c)Consideram-se agentes biológicos, dentre outros: bactérias, fungos, "Rickettsia", helmintos, protozoários e vírus. 
d)Consideram-se, ainda, como riscos ambientais, para efeito das NRs, agentes mecânicos e outras condições de insegurança existentes nos locais de trabalho capazes de provocar lesões à integridade física do trabalhador.
 2) Qual a finalidade de seus responsabilidade.
 
A complexidade dos temas que envolvem a segurança no ambiente hospitalar exige um tratamento multiprofissional, a decisões técnicas, como para as administrativas, econômicas e operacionais.
Os gerentes e diretores, devem apresentar posturas frente aos temas de segurança no ambiente de trabalho e devem estar atentos ao despeito do não cumprimentos das normas. Essas situações, no entanto, precisam ser manejadas com coragem e honestidade, associadas ao compromisso de identificar processos 
sistemas deficientes e melhorá-los o mais rápido possível, a fim de fortalecer a segurança de todos.
3): Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (SESMT), a (CIPA)Comissão Interna de Prevenção de Acidentes tem responsabilidades inerentes a zelar pela saúde e integridade física do trabalhador;
O SESMT e a CIPA são órgãos que os trabalhadores e as empresas dispõem para tratar da prevenção de acidentes e das condições do ambiente de trabalho. Esses órgãos protegem a integridade física do trabalhador e de todos os aspectos que potencialmente podem afetar sua saúde. São, portanto, organizações obrigatórias nas empresas inclusive nos hospitais.
Recentemente, através da Portaria nº 5 de 17 de agosto de 1992, do Ministério do trabalho, ficou estabelecido que a CIPA terá como obrigatoriedade adicional a confecção de denominado "Mapa de Riscos". Esse mapa deverá ser confeccionado com auxílio do SESMT e terá como finalidade básica fazer uma representação gráfica do reconhecimento dos riscos existentes nos diversos locais de trabalho, a conscientização e informação dos trabalhadores através da fácil visualização dos riscos existentes na Empresa.
 4) Classificação das áreas de risco.
Todas as áreas de risco dentro do hospital devem ser identificadas e classificadas, o que permite priorizar aquelas que precisam de mais atenção. As áreas são classificadas de acordo com o grau e tipo de risco oferecido pelas práticas ali realizadas.
Os locais em um hospital podem oferecer maior risco para os trabalhadores ou para os pacientes. As áreas de maior risco para os trabalhadores são:
Salas: de raio-X, de revelação dos filmes radiográficos, ressonância magnética e tomografia computadorizada, devido à exposição à radiação e de produtos