Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Leques aluviais

Pré-visualização | Página 1 de 2

Introdução
No presente trabalho falaremos dos depósitos de leques aluviais, sua definição , os processos sedimentares que neles ocorrem, as caracteristicas peculiares destes tipos de depósito e as fácies nele encontradas. Iniciaremos por apresentar um breve resumo sobre os códigos de fácies dos depósitos em geral.
Os leques aluviais são sistemas fluvias distributários espraiados por dispersão radial no assoalho de uma bacia a partir dos locais de saída de drenagens confinadas em regiões montanhosas.
Os leques aluviais têm uma grande importância económica pois são hospedeiros de recursos minerais( como Urânio, depósitos de placer com diamantes, Cassiterita e Ouro), energéticos(carvão, petróleo e gás) e hídricos (água subterrânea).
Em Moçambique foram foi descoberto gás natural em reservatórios de leques aluviais Oligaceno Fan 1,Oligaceno Fan 2, Eoceno, e Paleoceno, os quais constituem o complexo de Mamba.
Conceito de fácies
A palavra fácies refere-se a um corpo rochoso com características bem definidas que reflectem as condições sobre as quais a rocha foi formada,estas características incluem o tamanho e tipo dos grãos,as estruturas sedimentares , a cor e conteúdo fóssil da rocha sedimentar.Um exemplo de fácies seria: areia fina a grossa levemente laminada, estes sedimentos são típicos dos depósitos por gravidade.
Nem todos os aspectos das rochas são indicados no nome das fácies.Quando a descricção focaliza as propriedades físicas da rocha chamamos de litofácies.Nos casos em que a descricção está relacionada com a flora e a fauna observada na rocha chamamos de biofácies.
Análise de fácies 
A análise de fácies é feita através de 2 processos.O primeiro consiste no reconhecimento de fácies que podem indicar os processos de formação da rocha e no segundo as fácies são agrupadas em associacões que reflectem a combinação de processos e conseguintemente os ambientes de deposição.
A relação entre o tempo e o espaço das fácies deposicionais observadas hoje e conservadas de tempos passados é estudada por Walther ( 1894).A lei de walther diz que quando um tipo de fácies é encontrado sobreposta a outro tipo sem um intervalo no tempo geológico estas duas fácies podem ter sido depositadas em lugares próximos no tempo de uma delas.
Código de fácies
Depois de identificadas as fácies elas recebem um nome.Nao há regras para dar nome as fácies, mas devem-se usar nomes que indicam as características mais peculiares das rochas como por exemplo siltito bioturbado.Uma regra geral é que se deve utilizar adjectivos suficientes que distingaam as fácies umas das outras.
Miall sugeriu um método de código de letras para o sistema fluvial que também pode se adaptar a outro tipo de depósitos.Neste método a primeira letra indica o tamanho do grão (‘’ S’’ de areia, ‘’ G’’ de cascalho,por exemplo), e uma ou duas letras para reflectir outras características como estruturas sedimentares, por exemplo Ar-arenito com ripples).Não há regras para código de fácies e há muitas opiniões neste tema.
A tabela abaixo traz exemplos de códigos de fácies segundo Miall:
	Código de fácies
	Fácies
	interpretação
	Gmm
	Cascalho maciço,suportado pela matriz,levemente gradacional.
	Fluxo viscoso de detrito
	St
	Areia fina a muito grossa podendo ser cascalhenta
	Dunas 3 D
	P
	Calcretes; feições pedológicas;nódulos.
	Solos com precipitação química
Leques Aluviais
Os leques aluviais são grandes acumulacões de sedimentos, com formas cônicas ou em leque, depositadas quando um rio deve ajustar-se subitamente as mudanças de condições ,como no sopé de uma montanha. Ocorre quase sempre onde se verifica mudança maxima de declive ,quando fluxos confinados em canais ou canyon nas zonas montanhas desambocam numa planície aluvial. Quando um leque aluvial deposita-se sobre um corpo aquoso parado chama-se fan delta. 
Os leques aluviais estão inseridos nos sistemas de deposição continental, mais precisamente nos ambientes fluviais(clima húmido), podendo ser encontrados também em ambientes desérticos(climas áridos e semi-áridos).
Os leques aluviais são geralmentes encontrados no ambiente fluvial,nas regiões montanhosas , onde os sedimentos estao associados aos rios anastomosados. Em ambientes desérticos os leques aluviais estão associados com os depósitos de dunas e de playa; Ocorrem também em ambientes glaciais e flúvio glaciais.Existem leques aluviais de grande extensão,ou megaleques,desenvolvidos em climas húmidos, como o do rio Kosi, na Índia e o do rio Taquari,no Pantanal Matogrossence.
Em climas áridos e semi-áridos a formação dos leques aluviais está associada a existência de escarpas de falhas ; os rios têm normalmente uma distância menor que 10 Km; O transporte principal dos sedimentos ocorre pelas torrentes (São cursos de água periódicos produzidos por enxurradas,algumas vezes de grande violência- Guerra e Guerra,1997) e sob forma de enchentes de lençol.
Em climas húmidos o transporte de sedimentos ocorre nos canais distributários, mas poucos canais são activos ao mesmo tempo; os rios que formam estes leques podem ter raios superiores a 100 Km.Os leques formados em ambientes húmidos são mais planos do que os formados em climas semi-áridos a áridos .
	
Características dos depósitos de leques aluviais
O termo leque aluvial tem sido utilizado para designar sistemas aluviais em que o padrão dos canais é mais distributário que contributário (Miall 1990)
O leque aluvial tem forma de um segmento de cone cuja parte mais elevada (ápice), encontra-se no ponto onde o canal fluvial sai da região montanhosa.A inclinação da superfície do leque raramente excede 10º, sendo geralmente de 3º a 6º(Reineck & Singh , 1973).Sua inclinação diminui para a jusante de forma descontínua, originando, por regra 3 sectores concêntricos bem definidos: Superior, Médio e Basal ( Blissenbach,1954; Bull, 1964).
O leque aluvial é constituido por sedimentos detríticos grosseiros,mal calibrados, formados no sopé das áreas montanhosas,por correntes de lá procedentes. Os leques aluviais têm baixo potencial para o resgistro de organismos fóssseis.
Os agentes de transporte de sedimentos em leques aluviais são geralmente as correntes anastomosadas. Os movimentos de massa(corrida de areia) têm influência subordina e onde a paisagem é constituida predominantemente por depósitos de corrida de detritos, os sedimentos devem ser mais propriamente denominados de cones de corridas de detritos (“debris-flow cones”) e não leques aluviais.
Morfologia dos leques aluviais
A morfologia dos leques está relacionada a movimentos tectônicos, bem como a processos sedimentares. Em geral os corpos litológicos dos leques aluviais apresentam uma forma cônica truncada e foram depositados no sopé das regiões montanhosas.Os produtos da erosão são transportados por um único canal, e como resultado, um leque aluvial possui somente um ápice.A área da cabeceira de um leque situa-se próxima ao ápice e a sua base é formada pela porção mas baixa.A morfologia dos megaleques é marcada pelos traços de uma grande quantidade de canais abandonados,em parte activos durante as cheias.
Textura
Os depósitos de leques aluviais são ricos em fragmentos rochosos, com variaçoes abruptas de granulometria e na forma das partículas;
Muitos conteúdo de minerais instáveis;
Pode-se observar fragmentos angulos,o que indica que os sedimentos são poucos transportados.
Os tamanhos das partículas variam de seixos a argillas.
Processsos deposicionais
A deposição nos leques aluviais é causada, principalmente por diminuição na profundidade e velocidade do fluxo.Os materiais nos leques são transportados para os leques como corrida de detritos e fluxos aquosos, que seguem o canal principal e emergem em nível acima da superfície próximo ao ponto médio do leque, chamado ponto de interseção.
A maior parte da deposição acima do ponto de interseção processa-se por fluxo de detritos que ultrapassam a profundidade do canal e transbordam pelas margens.
Página12