A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
Apostila de Gerenciamento de Riscos

Pré-visualização | Página 12 de 16

Melhorar 
A adoção dessa estratégia visa a alterar o "tamanho" de uma oportunidade 
por meio do aumento da probabilidade e/ou dos impactos positivos e da 
maximização dos principais acionadores desses riscos de impacto positivo. Em 
suma, busca facilitar ou fortalecer a causa da oportunidade; para isso, 
devemos, proativamente, direcionar esforços nesse sentido. 
 
Aceitação do Riscos 
Sabemos que é quase impossível eliminar todos os riscos do projeto, portanto, 
em alguns casos, quando nenhuma outra estratégia pode ser implementada, 
 
 77 
podemos simplesmente aceitar um risco, tanto para ameaças como para 
oportunidades. Em suma, aceitar significa não tomar ação antecipada e arcar 
com as consequências do risco, caso ele venha a ocorrer. Existem dois tipos 
de aceitação do risco: ativa e passiva. 
 
 Aceitação ativa: implica em preparação antecipada de um Plano de 
Contingência para atendimento ao evento de risco, caso ele venha a ocorrer 
no futuro; 
 
 Aceitação passiva: não exige ação prévia, ou seja, ameaças ou 
oportunidades são tratadas à medida que ocorrem. 
 
O Planejamento de Contingência 
O Planejamento de Contingência envolve a definição prévia dos passos a 
serem seguidos se um evento de risco identificado ocorrer. Em linhas gerais, 
corresponde a ações preventivas para reduzir ou aliviar o impacto negativo da 
ocorrência do evento. 
 
Importante: o Planejamento de uma Contingência pode ser um fator de 
aumento significativo de chances para o sucesso do projeto. Em projetos de 
alto risco, as reservas contingenciais são realmente necessárias. Para alguns 
riscos, é importante a elaboração de um Plano de Respostas aos Riscos a ser 
executado somente em certas condições predefinidas. 
 
O Plano de Resposta ao Risco corresponde ao seu registro elaborado de 
forma detalhada, incorporando para cada risco as seguintes informações: a 
descrição completa do risco, sua categoria, a data de identificação, a 
probabilidade e o impacto que geram consequentemente o valor esperado do 
risco, a estratégia de resposta selecionada e suas respectivas ações e custos, 
quem será o responsável pelo acompanhamento/ação, a data planejada da 
reação ao risco, o nível de risco residual esperado (caso exista, é o novo valor 
 
 78 
esperado), tanto no caso de reações de prevenção quanto no de reações de 
contingência. 
 
Mapa do Processo de Planejamento de Respostas a Risco 
 
 
O Mapa do Processo de Planejamento de Respostas aos Riscos 
 
REGISTRO DOS RISCOS: encontraremos os riscos identificados e seus 
atributos para os quais respostas serão planejadas. Dentre essas 
informações, estão inclusas a prioridade, a causa-raiz do risco, os sintomas, a 
urgência e outras. 
 
PLANO DE GERENCIAMENTO DOS RISCOS: nesse documento 
encontraremos informações como papéis e responsabilidades que ajudam na 
identificação dos responsáveis pelas respostas aos riscos. Outras informações 
desse documento também servem para determinar ou ajudar na identificação 
da melhor resposta para os riscos, como os limites de aceitação dos riscos do 
projeto. Dependendo desse limite, ações são planejadas para que diminuam a 
ameaça ao projeto. O orçamento para o gerenciamento do risco, também 
encontrado nesse documento, é usado para conduzir as respostas adotadas. 
 
 
 79 
TODAS AS ESTRATÉGIAS (AMEAÇAS OU RISCOS NEGATIVOS, 
OPORTUNIDADES OU RISCOS POSITIVOS E DE RESPOSTAS A 
CONTINGÊNCIAS): para escolher a melhor estratégia, podemos utilizar, por 
exemplo, processos como a Árvore de Decisão. Para um determinado risco, 
podemos escolher uma ou mais estratégias, sendo fundamental a opinião 
especializada. Devemos separar as estratégias para ameaças, ou riscos 
negativos, as estratégias para oportunidades, ou riscos positivos, e as 
estratégias de respostas a contingências. 
 
OPINIÃO ESPECIALIZADA: é fundamental a opinião especializada nesse 
processo. Precisamos de pessoas/grupos com conhecimento técnico e 
experiência, para ser escolhida a melhor (ou melhores estratégias) e definidas 
as ações a serem tomadas para minimizar as ameaças e aumentar as 
oportunidades. 
 
PARA AS SAÍDAS (ATUALIZAÇÃO DO REGISTRO DOS RISCOS, 
DECISÕES CONTRATUAIS RELACIONADA A RISCOS, ATUALIZAÇÃO 
DO PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO E ATUALIZAÇÃO DOS 
DOCUMENTOS DO PROJETO): conforme elaboramos as respostas aos 
riscos, as premissas podem ser alteradas. Além disso, novas informações 
podem requerer alterações nas abordagens técnicas e nas entregas físicas; 
devemos então alterar a documentação técnica. 
 
Monitoramento e Controle dos Riscos 
Segundo o PMBOK, o monitoramento e o controle de riscos tratam do 
processo de acompanhamento das possíveis ocorrências dos riscos 
anteriormente identificados, dos riscos residuais ou mesmo dos novos riscos. 
Por meio do controle, o plano de resposta aos riscos é monitorado. Os 
benefícios de um controle eficiente de riscos no gerenciamento são: 
 
 
 80 
 As ações de respostas ao risco podem ser implementadas conforme um 
planejamento prévio; 
 
 Os stakeholders têm informação sobre o que está acontecendo no projeto; 
 
 A exposição ao risco fica mais evidente, mesmo que de forma mais 
intensa; 
 
 Ficam explícitas as necessidades de realimentação do processo de 
gerenciamento; 
 
 Há envolvimento da equipe de projeto no gerenciamento dos eventos que, 
teoricamente, poderiam estar ao largo de suas atribuições; 
 
 Os fundos de reserva (de contingência e gerencial) são gerenciados, 
evitando-se gastos desnecessários. 
 
Os objetivos do monitoramento e controle no gerenciamento são: 
 Implementar os planos de respostas; 
 
 Monitorar os riscos residuais; 
 
 Verificar se algum alerta de risco ocorreu; 
 
 Verificar se ocorreu algum evento que não estava identificado 
anteriormente na lista de riscos; 
 
 Avaliar a eficácia do plano de gerenciamento de riscos e se ele está sendo 
cumprido; 
 
 Verificar se as premissas do projeto continuam válidas; 
 
 81 
 Verificar se as reservas do risco (custo e cronograma) estão de acordo 
com a avaliação atual dos riscos. 
 
O Mapa do Processo de Monitoração e Controle dos Riscos 
 
O Mapa do Processo de Monitoração e Controle dos Riscos 
 
REGISTRO DOS RISCOS: nesse registro encontraremos os riscos 
identificados que estão sendo monitorados e controlados, bem como outras 
informações utilizadas no controle, como, por exemplo: responsável pelo 
risco, respostas planejadas, sintomas e sinais de alerta. O registro dos riscos 
é a base para o monitoramento e controle. 
 
PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO: o Plano de Gerenciamento 
dos Riscos inclui informações como: tolerância a riscos, papéis e 
responsabilidades em relação aos riscos do projeto, frequências que serão 
usadas para controle e verificação dos riscos, reuniões e comunicações sobre 
riscos. Muitas dessas informações poderemos encontrar no Plano de 
Gerenciamento do Projeto 
 
INFORMAÇÕES SOBRE O DESEMPENHO DO TRABALHO: o desempenho 
do trabalho nos fornece as informações necessárias sobre a situação atual 
dos riscos para atendermos os requerimentos de escopo, cronograma e custo 
do projeto. Para isso, é necessário conhecermos o andamento das entregas, o 
 
 82 
progresso do cronograma e os custos incorridos até o momento. Com essas 
informações, podemos validar os riscos. 
 
RELATÓRIOS DE DESEMPENHO: neles também existem informações 
sobre o desempenho do trabalho, mas podemos usar os relatórios que 
contêm as informações desde o começo do projeto até a data atual, para 
analisar variações e dados

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.