A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
104 pág.
Apostila de Gerenciamento de Riscos

Pré-visualização | Página 6 de 16

do 
Gerenciamento de Riscos sejam compatíveis com os riscos e com a 
importância do projeto para a organização. 
O resultado desse processo é o Plano de Gerenciamento dos Riscos, 
preparado com a assistência do Gerente de Projetos, líderes das equipes do 
projeto e outros interessados importantes, conforme a necessidade. 
 
 
 
 
 
 37 
O Mapa do Processo de Planejamento de Riscos 
 
 
 
Mapa do Processo de Planejamento de Riscos 
 
 
DECLARAÇÃO DO ESCOPO DO PROJETO: a declaração do escopo contém 
informações sobre o projeto que ajudam a identificar se é um projeto com 
maior ou menor tendência aos riscos. 
 
PLANO DE GERENCIAMENTO DOS CUSTOS: o Plano de Gerenciamento 
dos Custos irá fornecer informações importantes para o Gerenciamento de 
Riscos, como, por exemplo, as restrições de custos que podem influenciar as 
reservas para o Gerenciamento de Riscos. 
 
PLANO DE GERENCIAMENTO DO CRONOGRAMA: nesse plano serão 
obtidas informações sobre as restrições de tempo e como as contingências do 
cronograma podem ser utilizadas. 
 
PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES: o Plano de 
Gerenciamento das Comunicações estabelece como devem ser feitos a 
comunicação e o escalonamento dos riscos, identificando as pessoas a serem 
 
 38 
envolvidas, levando-se em consideração em que momento e em função aos 
tipos de informação e criticidade. 
 
FATORES AMBIENTAIS DA EMPRESA: as atitudes e tolerâncias a riscos 
podem ser expressas em declarações de políticas da organização ou 
mostradas por meio de ações dos indivíduos da organização. 
 
ATIVOS DE PROCESSOS ORGANIZACIONAIS: nos documentos dos 
processos da organização, podemos encontrar algumas abordagens que já 
estão predefinidas para uso dos projetos. Algumas delas podem se referir à 
forma como gerenciamos os riscos. 
 
REUNIÕES E ANÁLISES DE PLANEJAMENTO: todas as informações 
apuradas de acordo com as “entradas” desse processo devem ser analisadas 
de acordo com a sua relevância e a sua influência no Gerenciamento de 
Riscos. Nas reuniões, são discutidas como serão executadas as tarefas de 
Gerenciamento de Riscos. 
 
PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS: descreve como o 
Gerenciamento de Riscos será estruturado e executado no projeto. 
Abordaremos esse documento a seguir. 
 
O Plano de Gerenciamento de Riscos 
O único resultado desse processo é o Plano de Gerenciamento de Riscos, o 
documento que descreve como os processos do Gerenciamento de Riscos 
serão implementados, monitorados e controlados no decorrer do projeto. 
Especifica como serão gerenciados os riscos sem definir a resposta a cada um 
deles, essas são discutidas no Plano de Respostas aos Riscos, documento 
resultado de outro processo. 
 
 
 39 
Conforme o PMBOK, o Plano de Gerenciamento de Riscos pode conter uma 
descrição da metodologia a ser usada em seu gerenciamento. Também 
devem constar no documento as funções e responsabilidades, bem como nele 
se descreve a equipe responsável por gerenciar os riscos identificados e suas 
respectivas respostas. Muitas vezes, essas equipes não pertencem ao projeto. 
No Plano de Gerenciamento de Riscos devem estar documentados os 
seguintes dados: 
 
 Título do projeto; 
 
 Nome do elaborador; 
 
 Nome do responsável pelo plano; 
 
 Descritivo dos processos de Gerenciamento de Riscos (regras gerais); 
 
 Risk Breakdown Structure (RBS) para identificação dos riscos; 
 
 Riscos identificados; 
 
 Qualificação e quantificação dos riscos; 
 
 Planos e reservas de contingência; 
 
 Metodologia de Gerenciamento de Riscos; 
 
 Funções e responsabilidades dos membros da equipe; 
 
 Orçamento dos riscos; 
 
 Programação das atividades de Gerenciamento de Riscos; 
 
 
 40 
 Critérios de limites dos riscos; 
 
 Procedimentos de documentação dos riscos; 
 
 Programação de auditoria de riscos; 
 
 Registro de alterações no documento; 
 
 Aprovações. 
 
O Paradigma da Gerência de Riscos 
A comunicação é percebida como o grande paradigma da gerência de riscos, 
uma vez que tanto por meio dela fluam as informações como é ela o principal 
obstáculo. O paradigma da gerência de riscos é um processo contínuo com 
dois componentes: avaliar (identificar e analisar) e controlar (planejar, 
monitorar e resolver). 
 
Gerência Conjunta dos Riscos 
É um ambiente com um conjunto de processos, métodos e ferramentas que 
possibilita que contratante e contratado trabalhem juntos e de forma 
cooperativa, para continuamente gerenciar os riscos durante o ciclo de vida 
do projeto. 
 
Na gerência conjunta o contratante solicita que o contratado participe da 
gerência de riscos, como uma equipe única. Contratante e contratado 
identificam riscos separadamente. As vantagens desse tipo de gerência são: 
 
 A melhoria na comunicação; 
 
 Os riscos são analisados segundo múltiplas perspectivas; 
 
 
 41 
 Existe uma base mais extensa de experiências; 
 
 Há uma maior aceitação dos resultados e uma consolidação dos riscos 
identificados nas duas partes. 
 
Custo do Risco 
Vale lembrar que, caso os riscos não sejam bem tratados, o Gerenciamento 
de Riscos se tornará um custo extra, de consequências incalculáveis, ao 
projeto, não uma vantagem, portanto – dependendo da amplitude e da 
complexidade da rede de atividades de projeto. 
 
Invariavelmente, o custo do Gerenciamento de Riscos é considerado um 
problema, ao ponto de alguns gerentes o terem, praticamente, como 
adversário. 
 
É importante destacar que a redução do custo é bem maior quando o evento 
inesperado ocorre no início do projeto, pois, nesse caso, há tempo hábil de 
proceder com ajustes no projeto, sem onerá-lo ainda mais. Após o meio do 
projeto, o custo cresce consideravelmente. 
 
 
 
 42 
Benefícios do Gerenciamento de Riscos 
 
Os principais benefícios do gerenciamento dos riscos são: 
 
 Minimização do gerenciamento de crises; 
 
 Minimização da ocorrência de surpresas e problemas; 
 
 Alavancagem de vantagens competitivas efetivas; 
 
 Redução de perdas nos projetos, potencializando os resultados; 
 
 Aumento substancial da chance de sucesso do projeto. 
 
Ilustrando: 
 
 
 
 
 43 
Atividade proposta 
Elabore um Plano de Gerenciamento de Riscos para o projeto 
“Atividade_Riscos”, disponibilizado na Biblioteca Virtual da nossa disciplina. 
 
Referências 
CABANIS-BREWIN, Jeannette; DINSMORE, Paul Campbell. AMA - 
Manual de Gerenciamento de Projetos. Rio de Janeiro: Brasport, 2009. 
 
KERZNER, Harold. Gestão de projetos: as melhores práticas. Tradução de 
Lene Belon Ribeiro. 2ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2006. 
 
PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE, INC. A guide to the project 
management body of knowledge (PMBOK Guide). Fifth edition. Project 
Management Institute (PMI), 2013. 
 
TRENTIM, Mário H. Gerenciamento de projetos. São Paulo: Atlas, 2011. 
 
VARGAS, Ricardo Viana. Gerenciamento de projetos: estabelecendo 
diferenciais competitivos. Rio de Janeiro: Brasport, 2009. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 44 
Exercícios de fixação 
Questão 1 
O Gerenciamento de Riscos é considerado uma das áreas de conhecimento da 
gestão de projetos mais críticas, pois está diretamente relacionado ao sucesso 
ou ao fracasso do projeto, uma vez que se relaciona diretamente com as 
demais áreas do gerenciamento de projetos. Sobre o Gerenciamento de 
Riscos, foram feitas as seguintes afirmações: 
 
I. O Gerenciamento de Riscos visa aumentar a possibilidade de