A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1. Morfofisiologia do sistema digestivo

Pré-visualização | Página 1 de 2

*
*
*
Morfofisiologia do sistema digestivo dos Insetos
*
*
*
DIVERSIDADE ALIMENTAR DOS INSETOS
PREDADORES
FITÓFAGOS
HEMATÓFAGOS
ENDOPARASITOS
HERBÍVOROS
SAPRÓFAGOS
*
*
*
DIVERSIDADE ALIMENTAR
PEÇAS BUCAIS
CANAL ALIMENTAR
*
*
*
SISTEMA DIGESTIVO DOS INSETOS
CARACTERÍSTICAS GERAIS
Sistema digestivo completo
Constituição básica tubular
*
*
*
SISTEMA DIGESTIVO DOS INSETOS
CARACTERÍSTICAS GERAIS
INSETOS DIETA SÓLIDA – Largo e reto
- Forte musculatura
- Proteção contra abrasão
DIETA LÍQUIDA
 - Longo, estreito
 - Convoluto
 - Sem proteção contra abrasão
*
*
*
CANAL ALIMENTAR
DIETA:
SÓLIDA 
LÍQUIDA
*
*
*
FUNÇÕES DO SISTEMA DIGESTIVO
INGESTÃO
DIGESTÃO
ABSORSÃO
EXCREÇÃO
ARMAZENAMENTO
*
*
*
DIVISÕES DO CANAL ALIMENTAR
Intestino Anterior - origem ectodérmica - armazenamento
Intestino Médio - origem endodérmica – digestão e absorção
Intestino Posterior - origem ectodérmica - reabsorsão
*
*
*
COMPONENTES DO TUBO DIGESTIVO
TUBOS DE MALPIGHI
GLÂNDULAS SALIVARES
FARINGE
PAPO
INTESTINO MÉDIO	
INTESTINO ANTERIOR
INTESTINO POSTERIOR
RETO
ESOFAGO
PROVENTRÍCULO
CECOS GÁSTRICOS
VENTRÍCULO
ILIO
PILORO
*
*
*
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO INTERNO
Epitélio interno: 
Presente ao longo do estomodeu
Consiste de uma única camada de células
*
*
*
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO INTERNO
Origem ectodérmica:
 	Células secretam 	cutícula, contínua 	com tegumento.
 
 	ÍNTIMA (não 	esclerotizada)
*
*
*
EPITÉLIO DE REVESTIMENTO INTERNO
Intíma - renova a cada muda.
Intíma varia em diferentes regiões
*
*
*
FARINGE
Diferenciado em:
 1. Faringe 
		ingestão
	 passagem do alimento
 musculatura desenvolvida
 
 
*
*
*
Diferenciado em:
1. FARINGE
Funciona como uma bomba
 
Modificada nos insetos sugadores
Leva o alimento para o papo através de movimentos peristálticos.
FARINGE
*
*
*
2. Esôfago - tubo simples
 conexão entre faringe e 	 papo.
Variações: 
	Insetos holometábolos - 		longo atinge o abdome.
	Insetos hemimetábolos – curto 
	Pode ocorrer Divertículo – Ex. 	armazenar resina
ESÔFAGO
Divertículo
*
*
*
PAPO
Diferenciado em:
 3. PAPO 
		Estocagem
		Paredes em dobras transversais 	e longitudinais - volume
	Variações:
	Adultos: Diptera e Lepidoptera - divertículo lateral do esôfago
*
*
*
INTESTINO ANTERIOR
Papo em Periplaneta americana 
 	Pequeno aumento de 	volume após alimentação
 
 Cheio de ar quando vazio
 
*
*
*
LOCAIS DE ESTOCAGENS DOS ALIMENTOS
 Intestino Anterior
*
*
*
LOCAIS DE ESTOCAGENS DOS ALIMENTOS
ESTOCA ÓLEO – REGURGITADO (defesa)
Larva do Lepidoptero Myrascia (Oecophoridae) (Eucalipto)
*
*
*
 Intestino Médio
LOCAIS DE ESTOCAGENS DOS ALIMENTOS
*
*
*
 Intestino Posterior
LOCAIS DE ESTOCAGENS DOS ALIMENTOS
*
*
*
 Intestino Posterior
LOCAIS DE ESTOCAGENS DOS ALIMENTOS
*
*
*
Diferenciado em:
 4. PROVENTRÍCULO
Variável em forma
Pode apresentar espinhos ou placas cuticulares – quebra do alimento
INTESTINO ANTERIOR
*
*
*
Forma uma válvula na origem do mesêntero 
Permite reter o néctar no papo
Pólen passa para o mesêntero
PROVENTRÍCULO NA ABELHA
*
*
*
Função -Separar o alimento do papo (parcialmente digerido) do mesêntero
Alimento do papo - trofalaxis
PROVENTRÍCULO NA FORMIGA
*
*
*
TROFALAXIS
Myrmecocystus mexicanus 
*
*
*
TROFALAXIS
Apis mellifera – regurgita o alimento para comunicar a fonte de alimento.
A seguir executa movimentos rítmicos do abdomen “dança do requebrado”
*
*
*
*
*
*
VARIAÇÕES NA FUNCIONALIDADE DO CANAL ALIMENTAR
Dieta sólida - tubo contínuo - boca ao anus
Variações - oclusão entre intestino médio e posterior
(dieta líquida)
Larva de Hymenoptera
*
*
*
GLÂNDULAS SALIVARES
VARIÁVEL QUANTO:
 NÚMERO
TAMANHO
FORMA 
LOCALIZAÇÃO 
*
*
*
GLÂNDULAS SALIVARES
Glândulas associadas a:
Digestão e lubrificação dos alimentos.
Controle: substâncias neuroativas 
Inervada: gânglio subesofagiano
Sistema nervoso estomogástrico
*
*
*
Dirofilaria immitis – parasito que ataca cães
Mosquito se infecta durante alimentação
Parasito se desenvolve nas glândulas salivares
*
*
*
SALIVA
ENZIMAS:
Relacionada à dieta
Frequentemente presente:
Amilase AMIDO AÇÚCAR
 GLUCOSE
Invertase SUCROSE
 FRUTOSE
*
*
*
SALIVA EM INSETOS HEMATÓFAGOS
Rica em moléculas anti-hemostática
Vasodilatadores - aminas, prostaglandinas, peptídeos, proteinas.
Inibidores de agregação plaquetária – óxido nítrico, prostaglandinas e apirases
Anticoagulantes – inibidores de trombina e Fator X 
*
*
*
INTESTINO MÉDIO
 Origem: endodérmica
 Funções: 
secreção de enzimas digestivas
 absorção dos produtos da digestão.
*
*
*
INTESTINO MÉDIO
 COMPONENTES: 
 Ventrículo 
 Cecos Gástrico 
Matrix Peritrófica
*Tubos de Malpighi
*
*
*
 VENTRÍCULO- 
Parte tubular do intestino médio. 
 Função:
	Produção de enzimas 	e absorção do 	alimento digerido
INTESTINO MÉDIO
*
*
*
 CECOS GÁSTRICOS- 
 Divertículos na extremidade anterior do intestino médio. 
Número variável :
 2 grilos
8 barata
8 larva de culicídeo
Vários - coleóptera ( diferentes posições)
INTESTINO MÉDIO
*
*
*
 Em alguns insetos, abriga um suprimento da fauna bacteriana normal do intestino. 
Ocorrência: Díptera, Orthoptera, Heteroptera, Coleoptera. 
INTESTINO MÉDIO
*
*
*
CÉLULAS DO INTESTINO MÉDIO
COLUNARES –predominantes, processam a dieta, secretam enzimas digestivas; absorvem nutrientes.
REGENERATIVAS – espalhadas pelo epitélio; indiferenciadas; únicas, pares ou agrupadas
 
ENDÓCRINAS – raras; ovais ou piramidais,regula produção de enzimas
GOBLET - co-operam com as colunares na homeostase iônica e absorção de metabólicos (LAGARTAS)
*
*
*
CÉLULA COLUNAR
c
MICROVILOSIDADES
AUMENTO DA ÁREA
ABSORÇÃO
RER
SÍNTESE DE ENZIMAS
*
*
*
 MATRIX PERITRÓFICA - Apresenta forma delicada
 ocorre na maioria dos insetos
 não esta presente em alguns hemípteros (apresentam uma microvilosidades que a substitui). 
INTESTINO MÉDIO
*
*
*
MEMBRANA PERITRÓFICA NA MOSCA TSE-TSE
*
*
*
MEMBRANA PERITROFICA
ORIGEM – varia em diferentes taxa e de acordo com o hábito alimentar
Alimentação sólida- mais espessa
Formação:
Anel de células especializadas na parte anterior do mesêntero
Secreção das células do epitélio do mesêntero
*
*
*
MEMBRANA PERITRÓFICA
1º tipo – forma um envelope continuo ao longo do mesêntero. 
2º tipo – forma várias camadas podem ser formadas em diferentes momentos
*
*
*
MEMBRANA PERITRÓFICA
Função:
Proteção mecânica
Carreadora de enzimas para o alimento
*
*
*
DIGESTÃO
Alimentos sob a forma de macromoléculas:
Polissacarídeos
Proteínas
Lipídeos ( glicerídeos, fosfolipídios e glicosideos)
*
*
*
DIGESTÃO NOS INSETOS
Quebra das macromoléculas:
 Saliva
Enzimas 
 Secreção do intestino médio
 * Microorganismos no intestino médio
*
*
*
DIGESTÃO DE CARBOIDRATOS
Carboidratos são absorvidos como monossacarideos
Nos alimentos estão sob a forma de di- ou polissacarídeos – precisam ser digeridos
Plantas verdes – principal polissacarídeo Celulose 
Poucos filófagos são capazes de utilizar a celulose (usam microorganismos)
*
*
*
DIGESTÃO DA CELULOSE
CELULOSE
CELOBIOSE
celobiase
*
*
*
DIGESTÃO DA CELULOSE NOS TERMITAS
Todas as espécies exceto Termitidae
Protozoários ( Flagelados)
Mesmo indivíduo – diferentes espécies
*
*

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.