A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
693 pág.
DICIONÁRIO DA FISIOTERAPIA  Pronto

Pré-visualização | Página 19 de 50

deambulação. 
andar – padrão de locomoção de passos 
com os membros alternados; marcha. 
andar de pombo – andar com os pés 
voltados para dentro. 
andar foiçante – marcha característica de 
pacientes com diplegia ou paraplegia 
espáticas ou comprometimento 
bilateral do quadril. As pernas 
apresentam-se aduzidas e cruzam-se 
alternadamente uma em frente à outra, 
com fricção dos joelhos, o que resulta 
em passos curtos e progressão lenta. 
andriatria – ramo de da medicina que se 
preocupa com doenças particulares ao 
sexo masculino, especialmente dos 
órgãos genitais. 
andro – expressão que significa homem; 
masculino; macho. 
androblastoma – 1. tumor testicular 
extremamente raro, derivado 
possivelmente das células de Sertoli e 
que se assemelha ao testículo fetal. 2. 
tumor ovariano do tipo de células do 
córtex da supra-renal. 
androgenia – uma condição de possuir 
ambas as características masculinas e 
femininas. 
andrógeno – hormônio que determina o 
desenvolvimento e a manutenção dos 
caracteres sexuais secundários e dos 
órgãos masculinos; testóides. 
androginia – 1. hermafroditismo. 2. 
condição de andrógino. 
androginismo – presença de 
características masculinas em 
organismo geneticamente feminino; 
pseudo-hermafroditismo feminino. 
androginóide – 1. hermafrodita; que 
apresenta as características de ambos 
os sexos; de sexo duvidoso. 
andróide – semelhante ao homem. 
andrologia - estudo e tratamento das 
alterações do aparelho genital 
masculino e desenvolvimento sexual. 
andromorfo – com a forma de um 
homem. 
andropausa - diminuição progressiva das 
funções sexuais masculinas 
 47 
decorrentes de involução glandular, 
corresponde à menopausa da mulher. 
androsterona – andrógeno encontrado 
ambos os sexos, principalmente no 
sexo masculino. 
anel crural – anel femoral. 
anel de retração – 1. orla na superfície 
interna do útero, que constitui a linha 
limitante entre o segmento uterino 
superior e o inferior. Resulta do 
processo de parto normal, que produz 
o adelgaçamento do segmento inferior 
do útero e o concomitante 
espessamento do segmento superior 
do útero. 2. orla anormalmente 
espessada da musculatura uterina 
situada entre os segmentos superior e 
inferior do útero, resultante de um 
obstáculo mecânico ao parto e 
associado ao extremo adelgaçamento 
do segmento inferior do útero. 
anel de Schatski – estreitamento de tipo 
diafragmático localizado na parte 
inferior do esôfago, provocando, às 
vezes, disfagia. 
anel femoral – anel crural. 
anel fibroso - veja disco intervertebral. 
anel hemorroidário – tumefação circular 
da parede do canal anal ao nível do 
músculo do esfíncter externo; contém 
o plexo venoso retal. Quando aumenta 
de volume, forma hemorróidas. 
anel inguinal superficial – abertura 
triangular situada obliquamente na 
aponeurose do músculo oblíquo 
externo do abdome, que constitui a 
abertura externa do canal inguinal. 
anel tonsilar de Waldeyer – anel de 
tecido linfático, formado pelas duas 
amídalas ou tonsilas palatinas, pela 
tonsila faríngea e por grupos menores 
de folículos linfáticos posteriores da 
garganta. 
anel umbilical – anel fibroso denso que 
envolve o umbigo ao nascer, 
normalmente ele é obliterado pela 
formação de uma massa de tecido 
fibroso denso. 
anemalítico – não hemolíticos; que não 
destrói os glóbulos sangüíneos. 
anemia – número deficiente de glóbulos 
vermelhos no sangue, devido a uma 
perda muito rápida ou redução da sua 
produção. Ela reduz a capacidade de 
transporte do sangue, do oxigênio, 
que pode diminuir o rendimento do 
exercício ou no esporte causando 
depauperamento orgânico, fadiga, 
palidez, descoloração das mucosas e 
outros sintomas. 
anemia acréstica – anemia mocrocítica 
associada à incapacidade de 
aproveitamento, pelo organismo, da 
vitamina B12 e de substâncias 
antianêmicas correlatas. 
anemia aplástica – 1. anemia resultante 
da falta de produção de células na 
medula óssea, associada a hipoplasia, 
hiperplasia ou displasia medulares. 2. 
síndrome clínica caracterizada pela 
diminuição de todos os elementos 
figurados do sangue periférico e de 
todos os seus precursores da medula 
óssea, associada à anemia, 
hemorragias e infecção. 
anemia assiderótica – anemia ferropriva. 
anemia assiderótica - veja anemia 
hipocrônica essencial. 
anemia de Addisson – anemia 
perniciosa. 
anemia de céula-alvo – talassemia. 
anemia de radiação – anemia aplástica 
ou hipoplástica conseqüente à 
exposição exagerada à radiação 
ionizante. 
anemia drepanocítica – anemia 
falciforme. 
anemia esferocítica – 1. esferocitose 
hereditária. 2. Qualquer anemia 
caracterizada pelo número elevado de 
esferócitos. 
anemia esplênica – anemia associada a 
hiperemia crônica passiva do baço. 
 48 
anemia falciforme - um tipo de anemia 
hereditária; alteração qualitativa na 
molécula da hemoglobina fazendo 
com que as hemácias da pessoa 
fiquem deformadas em forma de 
foice, ocasionando problemas em seu 
funcionamento; doença falciforme; 
drepanocitose. 
anemia ferropriva – anemia microcítrica 
e hipocrônica decorrente da perda 
excessiva alimentação deficiente, ou 
pela absorção escassa de ferro. 
anemia fisiológica – 1. anemia 
microcítica hipocrônica relativa que 
ocorre normalmente na maioria dos 
lactantes, por volta do 3º mês de vida, 
qualquer que seja o estado nutricional 
da mãe durante a gestação e que 
representa uma adaptação fisiológica 
normal à melhor oxigenação do 
sangue arterial. 2. Anemia 
normocítica nermocrônica que ocorre 
durante a gravidez. 
anemia hemolítica – anemia resultante 
da destruição excessiva de hemácias. 
anemia hemolítica adquirida – toda 
anemia devida à ação de um fator ou 
processo mórbido externo sobre 
eritrócitos normalmente constituídos. 
anemia hemolítica familiar – 
esferocitose hereditária. 
anemia hipercrômica – 1. anemia na 
qual eritrócitos se coram mais 
intensamente do que o habitual em 
conseqüência de aumento de sua 
espessura. 2. anemia associada à 
carência de vitaminas B12 e 
substâncias correlatas. 3. anemia 
megaloblástica associada à gravidez. 
anemia hipoplástica – anemia refratária 
primária. 
anemia hipoplástica congênita – 
processo hereditário transmitido como 
caráter autossômico recessivo, 
caracterizado pela hipoplasia de todos 
os elementos da medula óssea, 
pigmentação cutânea anormal, 
diversas anomalias esqueléticas, 
inclusive baixa estrutura, hipoplasia 
do baço e, às vezes, anomalias 
geniturinárias e retardamento mental. 
anemia idiopática – anemia de origem 
desconhecida. 
anemia leucoeritroblástica - anemia 
acompanhada de leucócitos e 
eritrócitos imaturos no sangue 
periférico. 
anemia macricítica – anemia 
caracterizada pela presença de 
eritrócitos anormalmente grandes no 
sangue, com ou sem alterações 
megaloblásticas da medula óssea. 
anemia megaloblástica – anemia 
caracterizada pela presença de 
megaloblastos na medula óssea. 
anemia megaloblástica refratária – 
anemia megaloblástica e mecrocítica 
de causa desconhecida e resistente a 
agentes terapêuticos, como a vitamina 
B12 e o acido fólico. 
anemia microcítica – qualquer anemia 
na qual eritrócitos são menores do que 
o normal. 
anemia microcítica hipocrômica – 1. 
anemia associada a eritrócitos de 
tamanho reduzido e baixo conteúdo 
de hemoglobina. 2. anemia por 
deficiência de ferro. 
anemia mielosleróticas – anemia 
mielostísica. 
anemia mielostísica – anemia associada 
a processos patológicos da medula 
óssea

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.