A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
64 pág.
Apostila Adm Financeira

Pré-visualização | Página 6 de 19

de clientes assumem a 
forma de padrões rígidos ou liberais. A relativa rigidez ou liberalidade dos padrões de 
concessão de crédito reflete a atitude da administração quanto ao risco que está 
disposta a assumir nesta área, mas não apenas isso. Tende também a ser afetada pelo 
estágio do ciclo econômico que esteja sendo atravessado e pela concorrência 
enfrentada. 
 
Política de Cobrança 
A finalidade da política de cobrança está refletida exatamente nessas 
observações: ela existe para que as vendas já efetuadas efetivamente transformem-se 
em recebimentos. 
Em princípio, é evidente que a empresa não deve gastar mais com o seu esforço 
de cobrança do que tem a receber. O que é realmente importante é considerar se os 
gastos com a cobrança produzem alguma contribuição igual ou superior em termos de 
perdas com devedores insolventes. 
Além disso, não deixa de haver uma certa relação entre vendas 
(conseqüentemente, lucros) e esforço de cobrança; na verdade, os esforços de 
cobrança não afetam apenas o volume extraído de um dado cliente mas as vendas 
futuras a esse cliente, bem como as cobranças de outros clientes. 
 
2.4 ADMINISTRAÇÃO DE ESTOQUES 
Os estoques são ativos circulantes necessários que possibilitam o 
funcionamento dos processos de produção e vendas com um mínimo de distúrbio e, 
como as duplicatas a receber, representam um investimento significativo por parte da 
maioria das empresas. 
Administração Financeira – Rodrigo Dullius 
 
21 
 
a) Tipos de Estoque: 
Os três tipos básicos de estoque são matérias-primas, produtos em 
elaboração e produtos acabados. O estoque de matérias-primas consiste de 
itens adquiridos pela empresa (geralmente, materiais básicos como parafusos, 
aço ou rebites) para uso na elaboração de seus produtos. Nos casos em que 
uma empresa fabrica produtos bastante complexos com inúmeros componentes, 
o estoque de matérias-primas pode consistir de itens já processados, que foram 
comprados de outras empresas ou transferidos de outra divisão da mesma 
empresa. O estoque de produtos em elaboração engloba todos os itens que 
estão passando pelo processo de produção. Eles são, em geral, produtos 
parcialmente acabados que estão em algum estágio intermediário de 
acabamento. O estoque de produtos acabados consiste de itens que foram 
produzidos, mas ainda não vendidos. 
 
b) Diferentes Pontos de Vista em Relação ao Nível de Estoques: 
Os executivos das áreas financeiras, de marketing, de produção e de 
compras de uma empresa normalmente têm pontos de vista divergentes quanto 
aos níveis adequados de estoque. Cada uma dessas áreas visualiza os níveis de 
estoque em função de seus próprios objetivos. A disposição geral do 
Administrador Financeiro é no sentido de manter os estoques em níveis baixos, 
assegurando-se de que o dinheiro da empresa não esteja investido 
inadequadamente em excesso de recursos. 
 
Estoques como um investimento 
O estoque é um investimento, no sentido de que exige o comprometimento de 
recursos que a empresa poderia aplicar em outras alternativas rentáveis. Em geral, 
quanto maiores forem os saldos médios dos estoques, maiores a quantia investida e os 
custos envolvidos e vice-versa. Ao avaliar alterações planejadas nos níveis de 
estoques, deve considerá-las do ponto de vista de custo / benefício. 
Administração Financeira – Rodrigo Dullius 
 
22 
 
 
2.5 FONTES DE FINANCIAMENTO A CURTO PRAZO GARANTIDOS 
 
Um empréstimo a curto prazo com garantia é aquele pelo qual o credor exige 
alguns ativos como colaterais (qualquer ativo sobre os quais um credor passa a ter 
direito legal se o tomador falhar no cumprimento do contrato), geralmente duplicatas a 
receber ou estoques. O credor adquire o direito de uso do colateral mediante a 
execução de um contrato (contrato de garantia) firmado entre ele e a empresa 
tomadora. 
Uma cópia desse contrato é registrada em cartório público – geralmente um 
cartório de registro de títulos e documentos. O registro do contrato fornece aos futuros 
credores informações sobre quais ativos de um tomador potencial estão indisponíveis 
para serem usados como colateral. O registro em cartório protege o credor, 
estabelecendo legalmente seu direito sobre a garantia. 
 
a) Caução de Duplicatas a Receber - Uma caução de duplicatas é muitas vezes 
usada para garantir um empréstimo a curto prazo. Uma vez que as duplicatas 
apresentam normalmente bastante liquidez, são uma forma atraente de colateral. 
 
As duplicatas são normalmente caucionadas numa base seletiva. O credor 
potencial analisa os registros de pagamento passados das duplicatas com o objetivo de 
determinar quais as duplicatas representam colateral aceitável para empréstimos. 
Um segundo método é vincular todas as duplicatas da empresa. Esse tipo de 
contrato de alienação flutuante é normalmente usado quando a empresa possui muitas 
duplicatas que, em média, tem apenas um pequeno valor. Neste caso não se justificaria 
o custo de avaliar cada duplicata separadamente a fim de determinar se ela é aceitável. 
 
b) Factoring de Duplicatas a Receber - O factoring de Duplicatas a Receber envolve 
a venda direta de duplicatas a um capitalista (factor) ou outra instituição financeira. O 
factor é uma instituição financeira que compra duplicatas a receber de empresas. O 
factoring de duplicatas não envolve realmente um empréstimo a curto prazo, porém é 
semelhante ao empréstimo garantido por duplicatas. 
Administração Financeira – Rodrigo Dullius 
 
23 
FACTORING
ADERENTE
(Fornecedor)
ADERENTE
(Fornecedor)
FACTORFACTOR DEVEDOR
(Cliente)
DEVEDOR
(Cliente)
AdiantamentoAdiantamento PagamentoPagamento
Cedência de CréditoCedência de Crédito
VendasVendas
 
Uso de Estoque como Colateral 
Nos ativos circulantes da empresa, o estoque é o colateral mais desejável após 
as duplicatas. Isto porque normalmente tem um valor de mercado maior do que seu 
valor contábil, que é usado para fixar seu valor como colateral. 
A característica mais importante do estoque a ser considerado como colateral 
para empréstimo é a sua negociabilidade, a qual deve ser analisada à luz de suas 
propriedades físicas. 
 
Empréstimos com Alienação 
Um credor poderá estar disposto a garantir um empréstimo com alienação de 
estoque, se uma empresa tiver um nível estável de estoque que consista num conjunto 
diversificado de mercadorias, e desde que cada item não tenha um valor muito alto. 
Empréstimos com alienação são muitas vezes exigidos pelos bancos comerciais 
como garantia extra, sem o que o empréstimo seria sem garantia. Eles podem ser 
obtidos também junto a financeiras. 
 
Empréstimos com Alienação Fiduciária 
Nestes casos o tomador recebe a mercadoria e o credor adianta algo em torno 
de 80 a 100% do valor de seu preço. O credor obtém uma alienação sobre os itens 
financiados, que contém uma listagem de cada item financiado, bem como sua 
descrição e número de série. O tomador fica liberado para vender a mercadoria, mas 
se responsabiliza por enviar ao credor o montante tomado em empréstimo para cada 
item, acrescido dos juros, imediatamente após a venda. O credor, então, libera a 
alienação respectiva. 
 
Administração Financeira – Rodrigo Dullius 
 
24 
Empréstimos com Certificado de Armazenagem 
É um contrato pelo qual o credor, que poderá ser um banco ou uma financeira, 
assume o controle do colateral caucionado, que poderá ser estocado ou armazenado 
por um agente designado pelo credor. Após selecionar o colateral aceitável, o credor 
arrenda uma empresa armazenadora para tomar posse do estoque fisicamente. 
A empresa de armazenagem toma conta do estoque. Só mediante aprovação 
escrita do credor,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.