Bontrager x Biasoli
101 pág.

Bontrager x Biasoli


DisciplinaAnatomia Radiológica425 materiais27.377 seguidores
Pré-visualização12 páginas
CONSIDERAÇÕES SOBRE 
POSICIONAMENTO NOS 
LIVROS 
BONTRAGER E BIASOLI 
 
- PRODUÇÃO DE RAIOS X 
- ANATOMIA 
- TÓRAX 
- CRÂNIO 
- FACE 
- COLUNA VERTEBRAL 
- EXTERMIDADES- JOELHO/MÃO/COTOVELO 
- PORTÁRIA 453 
- PROTEÇÃO RADIOLOGICA 
- RADIOLOGIA DIGITAL 
 
 
 
 
Clélia Michel Magalhães 
www.radioinmama.com.br 
 
SISTEMA EMISSOR DE RAIOS X 
 
O sistema emissor de raios X, também denominado cabeçote, é constituído pelo tubo 
(ampola) de raios X e pela cúpula (carcaça) que o envolve. 
 
O tubo (ampola) de raios x é composto por um envoltório geralmente constituído de 
vidro pirex, resistente ao calor, lacrado, e com vácuo em seu interior, onde são 
encontrados o catodo (pólo negativo) e o anodo (pólo positivo). 
 
O catodo - é responsável pela liberação dos életrons , que irão de chocar no anodo 
produzindo raios X e calor. È constituído por um ou dois filamentos helicoidais de 
tungstênio, que suportam temperaturas elevadas (acima de 2000º), e se localizam no 
interior de um \u201ccopo raso\u201d denominado: 
 
Coletor Eletrônico- Possui a função de evitar a dispersão dos elétrons liberados. A 
maioria dos tubos apresenta dois filamentos que possuem comprimentos diferentes e 
características elétricas distintas ( o maior está relacionado ao foco grosso e o menor , 
ao foco fino). 
 
Anódo- è uma placa metálica de tungstênio, ou uma liga de tungstênio- rênio, ou 
molibdênio ( mamógrafos), que possui uma angulação com eixo do tubo, e é capaz de 
suportar as altas temperaturas resultantes do choque dos elétrons oriundos do catodo. 
 
 PRÉ -REQUISITOS E CARACTÉRISTICAS DE UM ANÓDO 
 
 
- Alto ponto de fusão; 
- Alta taxa de dissipação; 
- Alto número atômico- 
 
A eficiência na produção de raios x é diretamente proporcional ao número atômico dos 
átomos do alvo (anodo) , ou seja, a produção de raios x será tão mais eficiente quanto 
maior for o número atômico dos átomos do alvo (anodo). 
O material mais apropriado para um anodo é o W (tungstênio), que possui número 
atômico alto (74) e alto ponto de fusão (3.410º-+ 20ºC) e uma boa produtividade 
térmica. 
 O anodo pode ser de dois tipos: 
-Fixo 
-Giratório 
 
 
 
 
Ângulo do anódo e foco do tubo de raios X 
 
Todo anodo (fixo ou giratório) possui uma angulação da sua face ( com o eixo) 
denominada ângulo do anodo ou ângulo de face, que possui uma relação direta com a 
eficácia do feixe de radiação e a nitidez da imagem. O foco do tubo de raios X 
corresponde a uma projeção do ponto de impacto dos elétrons no anodo denominado 
FOCO REAL ,e da emergência do feixe útil de radiação, denominado FOCO EFETIVO 
 
 
 
O TAMANHO DO FOCO EFETIVO DEPENDE DO TAMANHO DO FILAMENTO DO CATODO E 
DO ÂNGULO DA FACE DO ANODO. QUANTO MENOR O FILAMENTO E O ÃNGULO DO 
ANODO , MENOR SERÁ O FOCO EFETIVO, E CONSEQUENTEMENTE, MAIS NÍTIDA SERA A 
IMAGEM RADIOGRÁFICA. 
A redução do ângulo do anodo possui uma limitação em torno de 15º. Ângulos muito 
pequenos intensificam o fenômeno conhecido como efeito anodico, que consiste 
basicamente em uma atenuação do feixe de radiação do lado do anodo 
 
 
FÒRMULA DE QUANTIDADE DE CALOR TRANSFERIDA 
 
UC= KV x mAs 
 
Uc- unidade de calor 
kV= quilovoltagem 
mAs= miliamperagem - segundos 
 
 
CÚPULA (CARCAÇA)- Corresponde a um invólucro metálico (duplo) revestido 
internamente de chumbo. No seu interior, é colocado o tubo de raios X imerso em óleo 
de isolamento e refrigeração. A cúpula (carcaça) do tubo possui funções de proteção 
mecânica e elétrica do tubo, dissipação de calor e absorção da radiação extrafocal. 
 
A dissipação do calor do tubo de raios x ocorre pelo contato do tubo com o óleo (no 
interior da cúpula), pelo contato da cúpula com o ar ambiente.( carcaça). 
 
 
TUBO DE RAIOS X 
 
Os tubos de raios X são denominados em função da quilovoltagem (KV) máxima 
suportada, seguido pela potência máxima suportada nos focos fino e grosso. 
 
PROBLEMAS QUE PODEM OCORRER COM O TUBO DE RAIOS X 
 
 
- O anodo fica esburacado- Causa queda de rendimento. 
 
- Queima do filamento do catodo- Não existe emissão de radiação. 
 
- Fusão do anodo. Pode ocorrer em função da produção de radiação com o anodo ( 
parado) 
 
- Anodo rachado- Pode ocorrer em função de uma carga muito alta. 
 
- Gaseificação do tubo- pode ocorrer após um longo período sem utilização do mesmo. 
 
- Metalização do tubo- Ocorre por evaporação do metal do anodo, que se fixa na parede 
do tubo. 
 
Ma- quantidade de raios x 
kV- qualidade dos raios x 
 
Quanto maior a corrente no tubo, maior quantidade de elétrons. 
O vácuo no tubo tem as funções de evitar uma redução da velocidade no 
deslocamento dos elétrons do catado até o anodo e isolar a alta tensão. 
 
 
Radiação de Frenamento ( Bremsstrahlung) 
 
Esse tipo de radiação ocorre com muita freqüência na formação de raios X, e é 
originada na passagem de um elétron bem próximo ao núcleo de um átomo do material 
do alvo. 
 
Radiação característica 
 
Esse tipo de radiação é menos freqüente na formação do feixe de raios x. Resulta em 
uma colisão entre o elétron incidente e um elétron orbital do átomo do material do alvo. 
 
Quanto maior o número atômico do material do anodo (alvo) maior a 
energia característica . Após qualquer um desses dois processos (radiação 
de frenamento ou radiação característica), o elétron incidente continua 
interagindo até perder toda a sua energia. 
ASSIM NÃO É O ELETRON INCIDENTE QUE É CONVERTIDO EM FOTÓNS DE RAIOS 
X, MAIS SIM A SUA ENERGIA CINÉTICA QUE É TRANSFORMADA EM FÓTONS 
(RAIO X) E CALOR. 
 
 
QUANTO MAIOR A INTENSIDADE DA CORRENTE MAIOR mA, MAIOR SERÁ O NÚMERO DE 
ELETRONS DISPONIVEIS, POR CONSEGUENCIA , MAIOR SERÁ A QUANTIDADE DE RAIOS 
X.. 
A QUALIDADE DO FEIXE DE RADIAÇÃO É DIRETAMENTE PROPORCIONAL Á TENSÃO (kV) 
APLICADA AO TUBO. QUANTO MAIOR A TENSÃO APLICADA AO TUBO , MENOR SERÁ O 
COMPRIMENTO DE ONDA DOS RAIOS X E MAIOR SERÃO A ENERGIA DE ACELERAÇÃO 
DOS ELÉTRONS, O PODER DE PENETRAÇÃO DO FEIXE DE RADIAÇÃO E, 
CONSEGUENTEMENTE, A QUALIDADE DESSE FEIXE. 
A QUALIDADE DO FEIXE DE RADIAÇÃO PODE SER METIDO PELA CAMADA SEMI-REDUTORA. 
 
 
Lei do inverso do quadrado da distância 
 
A intensidade da radiação decresce proporcionalmente ao quadrado da distância da 
fonte emissora. 
 
EFEITO ANODICO- CORRESPONDE Á ABSORÇÃO, PELO PRÓPRIO ANODO, DE FOTONS 
X DO FEIXE DE RADIAÇÃO, QUE EMERGEM RASANTES NO ANODO, DETERMINANDO 
UMA ATENUAÇÃO DO FEIXE DO LADO DO MESMO. ESSA ATENUAÇÃO É DE CERCA DE 
5% TORNA-SE MAIS EVIDENTES EM ANGULAÇÕES MUITO PEQUENAS DO ANODO E NAS 
MENORES DISTÂNCIAS FOCO-ANTEPARO (FILME RADIOGRÁFICO) 
BONTRAGER- 
A INTENSIDADE DE RADIAÇÃO EMITIDA PELA EXTREMIDADE CATÓDICA DA AMPOLA 
DE RAIOS X É MAIOR DO QUE DA EXTREMIDADE ANODICA. 
 
 
Coeficiente de ampliação da imagem 
 
A= dFoFil 
 -------- 
 dFoO 
 
ou A= I/O 
 
A= coeficiente de ampliação 
I= tamanho da imagem 
0= Distância Foco filme 
dFoO= distância foco-objeto 
 
 
Fatores de Exposição 
 
a) KV 
b) mA 
c) S 
 
Mitidez da Imagem Radiográfica 
 
Depende de alguns fatores geométricos 
 
--- Tamanho do Foco Emissor de Raios X- Quanto menor o tamanho do 
foco emissor de raios X, menor será a distorção geométrica e, 
consequentemente, maior o detalhe e a nitidez. 
--- Distância Foco-filme (dFofi) (distância foco anteparo)- Quanto menor a 
distância foco filme, maior a ampliação da imagem radiográfica e maior a 
zona de penumbra. 
--- Distância Objeto- Filme- Corresponde á distância entre o objeto 
estudado e o filme . 
---Distância Foco- Objeto - Corresponde á distância entre o foco emissor 
de raios X e o objeto em estudo. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O livro Bontrager cita somente 3 fatores que influenciam o Detalhe/ 
Nitidez 
Depende de alguns
Fádua
Fádua fez um comentário
Quero abrir
0 aprovações
Eliana
Eliana fez um comentário
Não abre!!! Afff
0 aprovações
KARYN
KARYN fez um comentário
Arrasou!
0 aprovações
Carregar mais