A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
187 pág.
DIREITO PENAL CONSTITUCIONAL  CRIMES EM ESPÉCIE

Pré-visualização | Página 8 de 40

coexistência de 
qualificadora objetiva (v.g. § 2º, inciso IV) com a forma privilegiada do 
homicídio, ainda que seja a referente à violenta emoção. (Precedentes desta 
Corte e do Pretório Excelso).II - Assim, a resposta afirmativa ao quesito 
atinente a forma privilegiada do crime de homicídio não implica a 
prejudicialidade do quesito que indagaria aos jurados acerca da qualificadora 
inserta no art. 121, § 2º, inciso IV do CP (recurso que dificultou a defesa da 
vítima). Recurso especial provido. (STJ - Recurso Especial 922932/SP, Quinta 
Turma, Rel.Min. Felix Fischer, julgado em 13/12/2007). 
 
 
 
 
 
 
 
 
Aprenda Mais 
 
 
Material complementar 
 
Para saber mais sobre Crimes contra a pessoa e contra a vida, 
acesse e leia os textos indicados. 
• Acesse a Biblioteca Virtual da sua disciplina e leia o artigo 
sobre o tema “A interrupção da gravidez de feto 
anencéfalo segundo o entendimento do Supremo Tribunal 
Federal – ADPF n. 54”. 
• Acesse a Biblioteca Virtual da sua disciplina e leia as 
decisões proferidas pelos Tribunais Estaduais e Superiores 
sobre o tema desta aula. 
 “EUTANASIA Y DERECHOS FUNDAMENTALES” Recensión 
del libro de Fernando Rey Martinez escrito por Mercedes 
Alonso Álamo: http://criminet.ugr.es/recpc/10/recpc10-
r3.pdf 
 
 
Referências 
BITENCOURT, Cezar Roberto. Tratado de Direito Penal. V.2. 11. ed. São 
Paulo: Saraiva, 2011. 
CAPEZ, Fernando Capez. Curso de Direito Penal. v.4. 5.ed. São Paulo: 
Saraiva, 2010. 
 ______ Curso de Direito Penal. Parte Especial, v.2.10. ed. São Paulo: 
Saraiva. 
CUNHA, Rogério Sanches. Direito Penal – parte especial. 2 ed. São Paulo: 
Revista dos Tribunais. 
FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina Legal. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara 
koogan, 2001. 
GRECO, Rogério.Código Penal Comentado. 6.ed. Niterói: Impetus, 2012. 
 
 
NUCCI, Guilherme de Souza. Manual de Direito Penal. 6.ed. São Paulo: 
Revista dos Tribunais, 2009. 
PRADO, Luiz Regis. Curso de Direito Penal Brasileiro. v.2.8.ed. São Paulo: 
Revista dos Tribunais, 2010. 
 
Exercícios de fixação 
Questão 1 
Tibúrcio praticou um homicídio sob o domínio de violenta emoção, logo em 
seguida à injusta provocação da vítima, com o uso de asfixia. Na ocasião, 
apesar de ser maior de dezoito e menor de 21 anos de idade, era reincidente. 
Confessou a autoria da infração penal perante a autoridade judiciária e no 
plenário do júri. Julgue os itens que se seguem, relativos à situação hipotética 
apresentada e à legislação a ela pertinente: 
I. Tibúrcio praticou um crime de homicídio privilegiado-qualificado. 
II. O homicídio privilegiado-qualificado é crime hediondo, insuscetível de 
comutação da pena. 
III. Caso Tibúrcio venha a ser condenado pelo júri popular, o juiz presidente 
deverá observar o critério trifásico na dosimetria de pena, sob pena de nulidade 
da sentença. 
IV. De acordo com a jurisprudência dominante, a circunstância atenuante da 
menoridade relativa não é preponderante sobre as demais. 
V. No caso de condenação de Tibúrcio, reconhecidas as atenuantes da 
menoridade e confissão espontânea, o juiz presidente poderá fixar a pena 
privativa de liberdade em quantidade inferior ao mínimo previsto no tipo. 
a) I e II 
b) I e III 
c) II e IV 
d) III e IV 
 
 
e) IV e V 
 
Questão 2 
Abelardo, tomado pelo sentimento de comiseração e misericórdia, com o intuito 
de abreviar o sofrimento de Leopoldo, amigo desde a infância e condenado pela 
doença, contrata Leôncio, mediante o pagamento da quantia de R$1.000,00, 
para este pôr fim ao sofrimento e à vida do enfermo. Diante da situação 
narrada, com base nas teorias adotadas sobre concurso de pessoas, é correto 
afirmar que Abelardo e Leôncio responderão: 
a) ambos por homicídio privilegiado, pelo motivo de relevante valor moral 
(Artigo 121, § 1°, CP). 
b) ambos por homicídio qualificado pela torpeza (Artigo 121, § 2°, I, CP). 
c) Abelardo responderá por homicídio privilegiado (Artigo 121, § 1°, CP), 
bem como por homicídio qualificado (Artigo 121, § 2°, I, CP) por força 
da comunicabilidade das circunstâncias, haja vista ter contratado, 
mediante pagamento Leôncio e, este, por homicídio qualificado (Artigo 
121, § 2°, I, CP). 
d) Abelardo responderá por homicídio privilegiado (Artigo 121, § 1°, CP) e 
Leôncio por homicídio qualificado (Artigo 121, § 2°, I, CP), pois as 
circunstâncias são incomunicáveis. 
e) Ambos por homicídio qualificado-privilegiado (Artigo 121, §§ 1 e 2º, CP). 
 
Questão 3 
Ana e Bruna desentenderam-se em uma festividade na cidade onde moram e 
Ana, sem intenção de matar, mas apenas de lesionar, atingiu levemente, com 
uma faca, o braço esquerdo de Bruna, a qual, ao ser conduzida ao hospital para 
tratar o ferimento, foi vítima de acidente de automóvel, vindo a falecer 
exclusivamente em razão de traumatismo craniano. Acerca dessa situação 
 
 
hipotética, é correto afirmar, à luz do CP, que Ana.( Exame OAB/Cespe- UnB. 
2009.1) 
a) Deve responder pelo delito de homicídio consumado. 
b) Deve responder pelo delito de homicídio na modalidade tentada. 
c) Não deve responder por delito algum, uma vez que não deu causa à 
morte de Bruna. 
d) Deve responder apenas pelo delito de lesão corporal. 
 
Questão 4 
(PC-SP – Escrivão de Polícia – 2014) A conduta de induzir, instigar ou auxiliar 
outra pessoa a suicidar-se, que tem como resultado lesão corporal de natureza 
leve. 
a) Tem pena duplicada se cometida por motivo egoístico. 
b) Tem pena agravada se a vítima tem diminuída, por qualquer causa, a 
capacidade de resistência. 
c) Não é prevista como crime. 
d) Tem pena aumentada se a vítima for menor de idade. 
e) É punida com pena de 1 (um) a 3 (três) anos. 
 
Questão 5 
(Policial Rodoviário Federal – 2013) Joaquim, plenamente capaz, desferiu 
diversos golpes de facão contra Manoel, com o intuito de matá-lo, mas este, 
tendo sido socorrido e levado ao hospital, sobreviveu. Nessa situação 
hipotética, Joaquim responderá pela prática de homicídio tentado, com pena 
reduzida levando-se em conta a sanção prevista para o homicídio consumado. 
a) Verdadeiro 
 
 
b) Falso 
 
Questão 6 
Adalberto, auxiliar de enfermagem, durante uma festa, desejando provocar o 
aborto na sua ex-namorada Magnólia lhe serve um drinque que contém grande 
quantidade de substância abortiva. Magnólia, após ingerir a bebida sente-se 
mal e pede carona a Adalberto que, prontamente aceita o pedido. Durante o 
trajeto Adalberto, ao perceber que Magnólia ainda demonstra interesse por ele 
e, em decorrência da substância abortiva ingerida apresenta fortes dores 
abdominais, Adalberto decide levá-la rapidamente ao hospital mais próximo a 
fim de tentar evitar a consumação do delito inicialmente visado por ele. Ao 
chegar ao hospital, Magnólia foi prontamente socorrida, uma vez que Adalberto 
era a ele conhecido por todos. Após detalhados exames, Adalberto questiona a 
um dos médicos acerca da saúde de sua amada e de seu bebê, quando é 
surpreendido pela notícia de que Magnólia não se encontrava grávida, mas 
apenas sofrera um breve mal estar decorrente de alguma substância que 
ingerira na festa. Diante do caso concreto apresentado, assinale a alternativa 
correta em relação à conduta e respectiva responsabilização penal de 
Adalberto: 
a) Será responsabilizado pelo delito de aborto sem o consentimento da 
gestante na forma tentada. 
b) Será isento de pena, por exclusão de sua culpabilidade. 
c) Sua conduta em relação ao aborto será atípica por tratar-se de crime 
impossível. 
d) Sua conduta em relação ao aborto será atípica por tratar-se de 
arrependimento