A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Sabedoria e Ignorância em Sócrates

Pré-visualização | Página 3 de 3

quando se admiti a ignorância presente em si e também reconhece o conhecimento presente em si. 
Enquanto lia o livro de Platão A Apologia de Sócrates, me perguntava o porquê de Sócrates colocar esta questão de ignorância e sabedoria em seu julgamento. A conclusão que cheguei foi que Sócrates queria mostrar para os seus acusadores que eles eram todos ignorantes. Pois eles o denunciava sem saber se suas acusações realmente teriam acontecido, pois suas acusações não tinham fundamento nenhum. E Sócrates quer mostrar isso para eles. Agora eu peço perdão pela minha ousadia em colocar algumas palavras na boca de Sócrates. Talvez Sócrates dissesse isso: Vocês me acusam de coisas que não sabem se realmente aconteceu, e de fato, não aconteceram, vocês falam sobre algo que não sabem, por isso digo que vocês são todos ignorantes.
Compreendo que podemos fazer outra reflexão sobre ignorância e sabedoria em Sócrates. Ele vem nos alertar que não podemos ir ao encontro da sabedoria se não nos encontrarmos primeiro com a nossa ignorância. Pois, a partir do momento em que reconhecemos que somos ignorantes, é que podemos ir atrás da sabedoria. Se ficarmos presos a nossa ignorância, pensando que sabemos de tudo, não podemos nos encontrar com a sabedoria. Porque quando um copo com água está cheio ele precisa se esvaziar para caber mais água e se o homem não se esvaziar, reconhecendo a sua ignorância, ele não conseguirá alcançar a sabedoria, pois está cheio de ignorância. Ignorância e sabedoria estão mergulhados no homem, depende dele qual dos dois ele deixa emergir.
Por fim, creio que sabedoria é apenas um instrumento que pode ser conquistado pelo homem e depende dele como vai usar este instrumento. Veja só, a pessoa ignorante passa a ter sabedoria quando reconhece a sua ignorância e, a partir daí, busca por conhecimento, para que possa ter domínio sobre coisas novas. Assim passa a ter um domínio sobre o saber a respeito destas coisas, construindo em si a sabedoria. Mas é através de sua razão que ele vai determinar se vai utilizar este seu conhecimento para o bem ou para o mal.
Acredito que a ignorância é uma limitação permanente no homem. Pois bem, se a ignorância, de um jeito ou de outro é a ausência de conhecimento, do saber. Então como saber de todas as coisas para que essa ignorância seja eliminada? Isso é possível? Saber de todas as coisas? Creio que não. Pois se sei sobre algo foi por que me especializei em algo. E não tem como saber de tudo se conhece somente uma parte do tudo. Não tem como conhecer tudo se não assume que não conhece nada. Portanto, não tem como arrancar a ignorância de nós.
Agora sim, para finalizar, eu digo que a ignorância é uma força natural presente no homem. Veja bem, o homem nasce sem saber de nada e ao passar do tempo ele vai aprendendo o necessário para sobreviver. E quando o homem cresce, alguns vão encontrando dificuldades na sua busca pela sabedoria, justamente por estar indo contra esta força. Digo alguns porque uns tem mais facilidades que outros para lhe dar com esta força, pois aceitou a sua ignorância. Sendo assim, se a busca pela sabedoria está indo contra a força da ignorância em nós, podemos dizer que ignorância e sabedoria são opostos. E que sabedoria se conquista e a ignorância já está em nós, na forma de uma limitação humana.