A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
223 pág.
SOCIOLOGIA GERAL -  ALESSANDRO EZIQUIEL DA PAIXAO.pdf

Pré-visualização | Página 1 de 37

SOCIOLOGIASOCIOLOGIA
GERALGERAL
ALESSAALESSANDRO EZIQUINDRO EZIQUIEL DA PEL DA PAIXAIXÃOÃO
Série 
Fundamentos
da Sociologia
 
Sociologia geral
[Alessandro Eziquiel da Paixão][Alessandro Eziquiel da Paixão]
 
Série 
Fundamentos
da Sociologia
 
Sociologia geral
 
1ª edição, 2012
Foi feito o depósito legal.
Informamos que é de inteira responsabilidade do autor a emissão de conceitos.
Nenhuma parte desta publicaç ão poderá ser re produzida por qualquer meio ou
forma sem a prévia autorização da Editora Ibpex.
A violação dos direitos autorais é crime estabe lecido na Lei n° 9.610/1998 e
punido pelo art. 184 do Código Penal.
Av. Vicente Machado, 317 – 14º andar
Centro – CEP 80420-010 – Curitiba – PR – Brasil
Fone: (41) 2103-7306
www.editoraibpex.com.br
editora@editoraibpex.com.br
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Paixão, Alessandro Eziquiel da
Sociologia geral [livro eletrônico] / Alessandro Eziquiel
da Paixão. – Curitiba: Ibpex, 2012. – (Série Fundamentos da
Sociologia)
2 MB ; PDF
Bibliografia.
ISBN 978-85-7838-972-7
1. Sociologia 2. Sociologia – Estudo e ensino I. ítulo.
II. Série.
12-14349 CDD-301.7
Índices para catálogo sistemático:
1. Sociologia : Estudo e ensino 301.7
[Conselho editorial]
Dr. Ivo José Both (presidente)
Dr
a
. Elena Godoy Dr. Nelson Luís Dias
Dr. Ulf Gregor Baranow 
[Editor-chefe] Lindsay Azambuja
[Editor-assistente] Ariad ne Nunes Wenger
[Editor de arte] Raphael Bernadelli
[Análise de informação] Adriane Beirauti
[Revisão de texto] Filippo Mandarino
[Capa] Raphael Bernadelli; Regiane Rosa
[Projeto gráfico] Bruno de Oliveira
[Iconografia] Danielle Scholtz
[Ilustrações] Marcelo Lopes
 
Sumário
[...][...]
Apresentação, 9
Introdução, 11
 [[11]] Contexto histórico do aparecimento
da sociologia, 15
 [[22]] A institucionalização da sociologia:Comte e Durkheim, 41
 [[33]] A sociologia de Karl Marx, 79
 [[44]] Max Weber e a racionalidade, 113
 [[55]] Indivíduo e sociedade, 145
 [[66]] A sociologia e a sociedade contemporânea, 173
Considerações finais, 201
Referências, 205
Bibliografia comentada, 211
Gabarito, 213
Nota sobre o autor, 221
 
“Espera-se do sociólogo que, à medida do profeta, dê respostas últi-
mas e (aparentemente) sistemáticas às questões de vida ou de morte
que se colocam dia a dia na existência social. E é-lhe recusada a
 função, que ele tem direito de reivindicar, como qualquer cientista,
de dar respostas precisas e verificáveis apenas às questões que está
em condições de colocar cientificamente: quer dizer, rompendo com
as perguntas postas pelo senso comum e pelo jornalismo.” 
Pierre Bourdieu (1994, p. 36-37)
 
Apresentação
[...][...]
Este livro traz uma introdução geral ao estudo da sociologia,
tanto no que se refere aos conceitos básicos de autores clássi-
cos quanto em relação à aplicação desse referencial teórico na
interpretação da realidade social. Assim, não é um livro essen-
cialmente “teórico”, mas procura dar conta da aplicação dos
conceitos vistos.
A obra está organizada em seis capítulos. Os quatro primei-
ros são mais teóricos. Os outros dois procuram uma leitura
sociológica da realidade, sem, no entanto, deixar de levantar
conceitos teóricos importantes.
O capítulo 1 aborda o surgimento da sociologia no âmbito
do contexto histórico da sociedade capitalista e do advento da
ciência como forma de explicação do mundo.
O capítulo 2 apresenta a institucionalização da sociologia
como ciência, analisando o seu caráter positivista. ambém são
abordadas nesse capítulo as obras de Auguste Comte e Émile
Durkheim. Especialmente em relação a este último, são anali-sados alguns dos seus principais conceitos e contribuições para
a sociologia.
O capítulo 3 traz a obra do alemão Karl Marx e sua aná-
lise do capitalismo. Nesse capítulo, é trabalhada a concepção
 
1010
materialista da história, o que possibilita compreender a aná-
lise que Marx faz do capitalismo e buscar os elementos para
entender o seu conceito de ideologia.
No quarto capítulo é abordada a obra de Max Weber, partin-
do de seu conceito de ação social para se chegar à sua concep-
ção metodológica: a sociologia compreensiva e a construção
de tipologias. Aqui também é vista a análise que Weber faz da
sociedade capitalista.
O capítulo 5 apresenta alguns conceitos básicos em socio-
logia: socialização, cultura, instituições sociais e identidade.
Apesar de parecer um capítulo estritamente teórico, os concei-
tos apresentados são problematizados e analisados à luz da ex-
periência cotidiana.
O capítulo 6 proporciona uma análise sociológica da socie-
dade contemporânea, com base na categoriatrabalho. Podemos
afirmar que esse capítulo constitui um “exercício sociológico”,
pois recupera vários pontos vistos anteriormente.
 O “exercício sociológico” realizado no último capítulo
apresenta a mesma lógica das atividades apresentadas no final
de cada capítulo, principalmente as atividades de reflexão e as
atividades aplicadas. Nessas atividades é importante o compar-
tilhamento das experiências, mesmo com aqueles que não são
colegas de estudo. Um debate com uma pessoa sobre determi-
nada atividade proposta pode apresentar outras problematiza-ções e mesmo esclarecimentos de pontos de vista.
 
Introdução
[...][...]
Este livro não almeja fazer de seu leitor ou leitora um sociólogo
ou socióloga. Sua pretensão é, sim, a de iniciá-lo(la) no estudo
da sociologia. Esta aparece, muitas vezes, como uma “ciência”
dominada por todos. Afinal de contas, quem não sabe como a
família se organiza na nossa sociedade, qual é nossa estrutura
política, como se dão as relações de trabalho em que estamos
ou poderemos estar inseridos? Essas respostas podem, sim, ser
dadas pelo senso comum. Contudo, não serão consideradas
explicações sociológicas. Isso porque os problemas levantados
 
1212
pela sociologia não são necessariamente sociais. As questões
trazidas por ela são problemas teóricos, construídos com base
na análise de aspectos históricos, econômicos, culturais e so-
ciais, presentes no nosso cotidiano. E as respostas dadas tam-
bém levam em conta esses mesmos aspectos considerados nas
problematizações.
Dessa forma, o maior desafio da análise sociológica é com-
preender a maneira pela qual os vários níveis de experiência
humana, processos econômicos, culturais, políticos e tecnoló-
gicos contribuem para a conformação de uma estrutura social
específica.
Os temas abordados nas próximas páginas não se consti-
tuem em respostas “últimas e sistemáticas” sobre a estrutura
social. Longe dessa pretensão, o que intentamos é levar o leitor
ao desenvolvimento de uma perspectiva sociológica, ao mesmo
tempo que procuramos apresentar conceitos e problematiza-
ções básicas da análise e explicação sociológicas.
Alguns aspectos também merecem ser destacados em rela-
ção ao histórico da disciplina de sociologia no sistema educa-
cional brasileiro. No Brasil, o ensino de sociologia passa por
 várias fases. O primeiro momento que é possível identificar
ocorre no início da República, quando o ensino de sociologia
era vinculado à disciplina de moral. Nos anos 1930, a criação
dos cursos superiores de Ciências Sociais na Escola Livre deSociologia e Política de São Paulo e a fundação da Universidade
de São Paulo dão maior fôlego à disciplina. Ocorre o desenvol-
 vimento de pesquisas e a preocupação de formação de quadros
intelectuais para o desenvolvimento do país. ambém passa a
 
1313
existir uma preocupação com a formação de professores secun-
dários (principalmente para a escola normal). Nesse período,
o que dá força à sociologia é a sua presença na escola normal
como disciplina que poderia retirar a educação de um estado
pré-científico.
A Reforma Capanema (1942), no governo Vargas,