A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
PRE PROJETO DE PESQUISA POS GRADUAÇÃO ENSINO EAD

Pré-visualização | Página 1 de 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI - UNIASSELVI
Graziele Forner
Rudson Adriano Rossato da Luz
PRÉ-PROJETO DE PESQUISA POS-GRADUAÇÃO
EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: GESTÃO E TUTORIA
Tema de interesse:
Competências do Tutor na EAD: a prática e sua relação no processo ensino aprendizagem.
Delimitação do tema e sua relevância:
O tema orientador do artigo diz respeito às habilidades e competências mínimas do profissional que atua como Tutor no EAD, sua prática e sua relação no processo ensino aprendizagem, à construção de conhecimentos e não simplesmente à reprodução de conhecimentos transmitidos. Sendo assim, justifica-se a escolha do tema pelo fato de o tutor ser imprescindível nos processos educativos e por acreditarmos que ele deve desenvolver competências essências para a prática de uma boa tutoria, de forma que estimule o processo ensino-aprendizagem dos alunos. 
Pergunta de pesquisa:
Partindo do tema escolhido e sua importância, este artigo pretende responder a seguinte questão: Quais as verdadeiras competências do Tutor no Ensino a Distância e seu impacto no processo de ensino-aprendizagem.
Objetivo:
Conceituar a EAD, sua importância no contexto histórico e atual e identificar, analisar e compreender as competências essenciais de um tutor para a prática de uma boa tutoria. Identificar as principais competências do tutor no ensino EAD e sua importância no processo ensino-aprendizagem, sistematizando e socializando conhecimentos em sua área de atuação. Neste contexto buscar o verdadeiro papel do tutor como integrador, colega, facilitador, uma pessoas que ajuda o aluno na construção do seu conhecimento. 
Metodologia de pesquisa:
Conforme citam Lakatos e Marconi (1990, p. 15.), compreende-se pesquisar como “averiguar algo de forma minuciosa, é investigar”. As autoras apontam que o significado do termo investigação “não é unívoco, pois há várias definições sobre o termo nos diferentes campos de conhecimento. [...] Contudo, o ponto de partida da pesquisa reside no problema que deverá se definir, avaliar, analisar para depois ser tentada uma solução” (LAKATOS, MARCONI, 1990, p. 15).
A metodologia adotada no desenvolvimento deste artigo é a pesquisa bibliográfica, que será desenvolvida a partir de materiais publicados, como livros, revistas, artigos, dissertações e teses e informações disponibilizadas na Internet. 
Oliveira (2002 apud Silva, 2009, p. 51), afirma que: “A técnica bibliográfica busca encontrar as fontes primárias e secundárias e os materiais científicos e tecnológicos necessários para a realização do trabalho científico ou técnico-científico. 
A pesquisa bibliográfica busca oferecer meios para definir e resolver problemas, explorar novas áreas, a pesquisa busca uma nova abordagem, um novo enfoque, novas conclusões e ideias inovadoras. Mesmo buscando informações nas fontes citadas, o pesquisador deve estar atento para que suas conclusões não sejam só um resumo do material encontrado. O pesquisador deve estabelecer novas relações entre o conhecimento existente e o conhecimento que ele busca em sua pesquisa, procurando acrescentar algo novo. 
Instrumentos de coleta de dados
São vários procedimentos para a realização da coleta de dados, que variam de acordo com a metodologia adotada na pesquisa. O procedimento metodológico na coleta de dados tem sido considerado do ponto de vista do instrumental e das técnicas utilizadas fundamental para a sistematização da pesquisa e sua qualidade cientifica. 
Em linhas gerais nesta pesquisa utilizar-se-á coleta de dados bibliográficos, coleta de dados documentais e análise dos conteúdos. Os dados bibliográficos compreendem dados escritos em livros, artigos de revistas especializadas, artigos de jornais, monografias, teses, dissertações, artigos da Internet, etc. 
 Os dados documentais, largamente utilizados nas ciências sociais, são dados estatísticos, elaborados por institutos especializados considerados confiáveis para a realização de pesquisas. Podem ser documentos oficiais, publicações parlamentares, documentos jurídicos, fontes estatísticas, entre outros.
Por último a análise de conteúdos, esta técnica permite ao pesquisador analisar o conteúdo dos livros, revistas, jornais, etc. Pode-se neste momento testar hipóteses sobre os conteúdos das publicações, pode-se estabelecer relações entre os dados coletados na pesquisa bibliográfica ou documental (pontos de divergência, pontos de convergência, tendências, regularidades, etc.).
A competência do pesquisador vai estabelecer a relação entre os dados coletados e análise dos conteúdos , permitindo que a pesquisa ultrapasse o nível de simples compilação de textos, surgindo assim um avanço no conhecimento científico. 
Referências Bibliográficas
BELLONI, Maria Luiza. Educação à distância. 2 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2001
BRASIL. Ministério da Educação e Cultura - MEC. Secretária de Educação a Distância - SEED. Referenciais de qualidade para a educação superior a distância. 2007. Disponível em http://portal.mec.gov.br./seed/arquivos/pdf/legislacao/refeadl.pdf. >. Acesso em 13. jun. 2018.
DALMAU, Marcos Baptista Lopez. Introdução à Educação a Distância. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2007.
FRANCO, L.R.H. R, et al. EAD Virtual: entre a teoria e prática. Itajubá-UNIFEI: Ed. Premier, 2011. 254p.
GIL, Antonio. Métodos e Técnicas em Pesquisa Social. 5 ed. São Paulo: Atlas, 1999.
GONZALEZ, M. Fundamentos da Tutoria em Educação a Distância. São Paulo: Editora Avercamp, 2005.96p.
GONZALEZ, M. A arte da sedução Pedagógica na tutoria em educação a distância. Ministério da Educação e Cultura: SEED, Proinfo, 2005.
MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de Pesquisa, 2ª ed. São Paulo: Editora Atlas, 1990.
MORAN, J. M. et al. Novas Tecnologias e Mediação Pedagógica. Campinas: Papirus, 2000.
PALLOFF, R.; PRATT, K. O aluno virtual: um guia para trabalhar com estudantes on-line. Porto Alegre: Artmed, 2002.
PETERS, Otto. Didática do Ensino à Distância. São Leopoldo: Unisinos, 2001.
PETERS, Otto. A educação à distância em transição: tendências e desafios. São Leopoldo: Unisinos, 2003.
SILVA, Renata. URBANESKI, Vilmar. Metodologia do Trabalho Científico. Grupo UNIASSELVI, 2009. Indaial: ASSELVI, 2009.
VALENTE, J. Armando. Computadores e conhecimento: Repensando Educação. Campinas, SP: UNICAMP/NIEDM, 1998, p. 1-53.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.