Aula 4   Cadeia Produtiva do Mel
10 pág.

Aula 4 Cadeia Produtiva do Mel


DisciplinaMatérias-primas de Origem Animal23 materiais95 seguidores
Pré-visualização4 páginas
Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.18, n.1, p.81-89, 2016 81 
ISSN: 1517-8595 
 
ARTIGO TÉCNICO 
 
ESTUDO DA CADEIA PRODUTIVA DO MEL NO MUNICÍPIO DE ORIZONA \u2013 
GOIÁS 
Rafael Porto Vieira
1
, Márcio Fernandes
2
 
 
 
RESUMO 
 
A exploração do mel a partir da apicultura se tornou com o tempo meio de inclusão 
econômica e alternativa de emprego e renda a milhares de cidadãos brasileiros. A partir 
desta reflexão este artigo teve como objetivo estudar a cadeia produtiva do mel no 
município de Orizona \u2013 Goiás. Foi elaborado um questionário com 21 questões, o qual 
foi aplicado a 82 pessoas do município pesquisado. Concluiu-se a partir de tal estudo 
que, os fatores primordiais para que se tenha aumento do consumo de mel pela 
população são: informação, investimento em propaganda, marketing e divulgação. A 
partir desta avaliação, será possível sanar tais problemas que o mercado da região 
enfrenta. 
 
Palavras-chave: agroindústria, apicultura, mel. 
 
 
STUDY OF SUPPLY CHAIN HONEY IN THE MUNICIPALITY OF ORIZONA 
\u2013 GOIAS 
 
ABSTRACT 
 
The Operation of honey from the bee be came with theme an time of economic 
inclusion and alternative employment and income to thousands of Brazilian citizens. 
When reflecting this article was to study the productive chain of honey in the 
municipality of Orizona - Goias. A questionnaire with 21 questions was developed, 
which was applied to 82 people in the city studied. It was concluded from this study that 
the major factors that has increased honey consumption by the population are: 
information, investment in advertising, marketing and promotion. From this assessment, 
you can deal with these problems that the market in the region faces. 
 
Keywords: agribusiness, beekeeping, honey. 
 
 
 
 
 
Protocolo 16 2014 148 de 05/02/2015 
1 Graduado em Tecnologia de Alimentos. Pós Graduando em Docência Universitária. Instituto Federal Goiano - Campus 
Urutaí - Rodovia Geraldo Silva Nascimento Km 2,5. CEP 75790-000 - Urutaí - Goiás - Brasil. Fone/Fax: (64) 3465-1900. E-
mail: rafaelportovieira18@gmail.com. 
2 Docente no Instituto Federal Goiano Campus Urutaí. Rua JM 13, Quadra 07, Lote 06, SN, Jardim Maratá, Pires do Rio - 
Goiás - 75200000. Telefone: (64) 9255-6379. E-mail: brancoad@hotmail.com. 
82 Estudo da cadeia produtiva do mel no município de Orizona \u2013 Goiás Vieira & Fernandes 
Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.18, n.1, p.81-89, 2016 
INTRODUÇÃO 
 
O mel é considerado um fluido viscoso, 
aromático e doce elaborado por abelhas a partir 
do néctar e/ou exsudatos sacarínicos de plantas, 
principalmente de origens florais, os quais, 
depois de levados para a colmeia pelas abelhas, 
são amadurecidos por elas e estocados no favo 
para sua alimentação (Brasil, 2000). 
O néctar é a matéria-prima para a 
produção de méis florais que são os mais 
apreciados e alcançam os maiores preços no 
mercado (Siddiqui, 1970). 
No Brasil, a produção comercial do mel 
está ligada à apicultura cuja história teve início 
com a inserção das abelhas europeias Apis 
mellifera no Estado do Rio de Janeiro em 1839, 
realizada pelo Padre Antônio Carneiro. 
No entanto, a apicultura brasileira 
avançou a partir da introdução das abelhas 
africanas (Apis mellifera scutellata) em 1956, 
que culminou na africanização das demais 
subespécies existentes no país. Após o 
desenvolvimento de técnicas adequadas de 
manejo ocorrido na década de 70 a apicultura 
passou a ser intensamente praticada em todos os 
estados brasileiros (Souza et al., 2004). 
No Brasil, estima-se que 350 mil pessoas 
vivam com a renda da apicultura. 
Outra característica responsável pelo seu 
crescimento são as condições favoráveis à 
criação destes insetos encontradas em todas as 
regiões. Além disto, o apiário não necessita de 
cuidados diários, permitindo que os apicultores 
tenham outra fonte de renda. 
Entretanto, a atividade exige profissio-
nallização, inclusive com o enfoque de que a 
ocupação na apicultura deve ser exercida como 
a atividade econômica principal do indivíduo, 
pois ainda é vista, por muitos, como atividade 
secundária e paralela às suas atividades 
profissionais (Böhle & Palmeira, 2006). 
O mercado mundial do mel é 
progressivamente sofisticado e exigente e os 
grandes consumidores têm padrões elevados de 
exigência. A crescente regulamentação do 
mercado reduz o espaço para novos produtores 
que vislumbram atender às normas técnicas, 
oriundos de países em desenvolvimento que 
apresentam frágeis infraestruturas de produção, 
comercialização e vigilância sanitária (Brasil, 
2007). 
O crescimento da produção de mel 
brasileira é bastante significativo, tendo em 
vista que em 2004 o Brasil ocupava a 12ª 
posição de maior produtor mundial de mel, com 
32,3 mil toneladas/ano; em 2006 alcançou a 11ª 
posição, com 36 mil toneladas/ano; e em 2008 a 
10ª posição mundial, com 37,8 mil 
toneladas/ano). Qualquer que seja o número 
considerado é um crescimento notável quando 
se constata que na década de 1950 o país 
produzia apenas 4.000 toneladas/ano (Ibge, 
2006; Paula, 2008; Fao, 2011a). Em 2009, o 
Brasil gerou mais de US$ 65 milhões com as 
exportações de mel (Sebrae, 2010). 
De acordo com a Confederação Brasileira 
de Apicultura, o Brasil apresenta dentro do 
cenário apícola internacional, uma produção 
diferenciada baseada na diversidade climática e 
de flora, caracterizando um mel com 
propriedades sensoriais predominantes 
principalmente quanto aos atributos cor, aroma 
e sabor (Cba, 2011). 
A partir do exposto este trabalho 
objetivou-se em estudar a cadeia produtiva do 
mel no município de Orizona \u2013 Goiás. 
 
MATERIAL E MÉTODOS 
 
O estudo foi realizado no município de 
Orizona no estado de Goiás. 
A elaboração do questionário teve como 
objetivos, quantificar o hábito do consumo de 
mel, frequência, período do dia em que este é 
consumido, quantidade, conhecimento dos 
benefícios e malefícios, para qual finalidade o 
alimento é utilizado, a opinião quanto ao preço, 
tamanho da embalagem de preferência, fatores 
que aumentariam o consumo de mel e a 
importância da divulgação e propaganda. 
Foi elaborado um questionário com 21 
perguntas, o qual foi aplicado a 82 pessoas do 
município. 
Para a análise e interpretação de dados, 
foi utilizada a técnica de análise de conteúdo e 
discurso. 
 
RESULTADOS E DISCUSSÃO 
O corpo avaliado constituiu-se de 
51,21% sexo feminino e 48,78% do sexo 
masculino, sendo que 25,60% apresentavam 
idade de 11 a 20 anos, 14,63% de 21 a 30 anos, 
15,85% de 31 a 40 e 48,78% acima de 40 anos. 
Quanto nível de escolaridade 3,65% era 
não alfabetizado, 8,53% possuíam primário 
completo, 3,65% primário incompleto, 15,85% 
ensino fundamental completo, 13,41% ensino 
fundamental incompleto, 18,29% ensino médio 
completo, 9,75% ensino médio incompleto, 
8,53% superior completo, 10,97% superior 
incompleto, 4,87% técnico completo e 2,43% 
não opinaram. Quanto ao número de pessoas na 
 Estudo da cadeia produtiva do mel no município de Orizona \u2013 Goiás Vieira & Fernandes 83 
 
Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, Campina Grande, v.18, n.1, p.81-89, 2016 
família, 39,02% 1-3 pessoas, 58,53% 4-6, 
2,43% mais que 10 pessoas na família. Renda 
média da família em salários mínimos, 4,87% 
menos que 1 salário mínimo, 74,39% de 1-3, 
13,41% de 4-5 e 7,31% possuíam uma renda