Direito constitucional
21 pág.

Direito constitucional

Pré-visualização4 páginas
Direito constitucional
Objeto do direito constitucional
O direito constitucional tem por objeto as normas que constituem um Estado, a constituição política de um Estado.
Exemplo: estrutura do
 Estado, organização dos poderes.
Índice do crfb/88
Título I: princípios fundamentais
Título II: direitos e garantias fundamentais
Título III: organização do Estado
Título IV: organização dos poderes
Título V: da defesa do Estado e das instituições democráticas
Título VI: da tributação e do orçamento
Título VII: da ordem econômica e financeira
Título VIII: DA ORDEM SOCIAL
ALOCAÇÃO DO DIREITO CONSTITUCIONAL
Dicotomia ( durante muito tempo foi apenas direito público, depois se subdividiu entre público e privado).
Fazem parte do direito público:
Direito administrativo
Direito Urbanístico
Direito Ambiental
Direito Penal
O direito privado tem sofrido influência do direito constitucional ( art. 1 III CF/88)
Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
III - a dignidade da pessoa humana;
SÃO PONTOS DE DISCUSSÃO CONSTITUCIONAL NO DIREITO CIVIL:
Direito Civil Constitucional
Eficácia horizontal dos Direitos Fundamentais ( Direito da pessoa humana e Direito de propriedade em igualdade)
Decodificação do Direito Civil ( Normas civis de acordo com a Constituição)
Microssistemas ( ECA, Lei Maria da penha, Estatuto do idoso = Ligados ao Direito da pessoa humana)
Despatrimonialização do Direito Civil (Patrimônio e direito à vida em igualdade)
Constitucionalismo
Limitação do poder e supremacia da lei com fins garanteístas
Alguns Estados usam da arbitrariedade para ir além do poder.
O Estado não pode ir além da dignidade da pessoa humana
O constitucionalismo é um regime político no qual o poder executivo é limitado por uma constituição.
O que acontece no constitucionalismo
Separação dos poderes
Garantia dos direitos individuais e sociais
Constitucionalismo na antiguidade
Constitucionalismo na idade média
Revolução da nobreza contra o rei João sem terra
Constitucionalismo norte americano
Carta americana de 1787- instituindo o federalismo. Era rígida a separação dos poderes e o presidencialismo.
Constitucionalismo Francês
De 1791, 1º constituição escrita da Europa, onde limitou os poderes reais e estabeleceu o princípio da separação dos poderes.
Constitucionalismo moderno
As constituições passaram a ser escritas e formais. Passaram a conter as funções do Estado e o princípio da separação dos poderes. Aplicou-se o sistema democrático representativo.
Constitucionalismo contemporâneo
atual
Constitucionalismo do futuro (baseado em valores)
Verdade
Solidariedade
Consenso
Participação
Integração
Universalização
Neoconstitucionalismo
Também conhecido como constitucionalismo pós- moderno ou pós-positivismo ( Constituição mais humanizada que respeita a dignidade humana)
Movimento teórico de revalorização do direito constitucional
Constituição
Centro do sistema
Norma jurídica imperativa e superior
Carga valorativa (axiológica), dignidade à pessoa humana e direitos fundamentais
Eficácia irradiante em relação aos poderes e particulares
Concretização dos valores constitucionalizados
Garantia das condições mínima
Marcos fundamentais históricos
Estado Constitucional
Documentos após a 2º grande guerra
Redemocratização
Marcos fundamentais filosóficos
Pós- positivismo
Direitos Fundamentais
Direito Ético
Marcos fundamentais teóricos
Força Normativa
Supremacia Constitucional
Nova dogmática da interpretação
Transconstitucionalismo
Entrelaçamento de ordens jurídicas diversas oriundas de diálogo entre vários países
Entrelaçamento de ordens jurídicas diversas, tanto estatais, como transnacionais, internacionais e supranacionais, em torno dos mesmos problemas de natureza constitucional
Fontes do DIREITO CONSTITUCIONAL
Direta Originária ( A própria constituição, preexistente à norma jurídica, genuína, de 1º grau, inaugural)
Direta Delegada ( são normas atribuídas pelo constituinte originário à outros órgãos. Ex: órgãos públicos que criam suas próprias leis)
Indireta, mediata ou derivada (Leis que complementam o ordenamento jurídico, princípios reais do direito, doutrina e jurisprudência)
Estudo das constituições
Conceito- norma fundamental de organização do Estado que determina a divisão dos poderes políticos, os direitos e garantias fundamentais e a ordem social e econômica.
Controle de constitucionalidade= é comparada com a constituição para ser ou não recebida.
Natureza jurídica: contrato social (Rousseau)
Concepções
Sociológica é a soma de fatores sociais que regem a sociedade.
Jurídica leva em consideração a posição de superioridade jurídica da norma constitucional.
Política decisão política fundamental que estabelece a distinção entre constituição à leis constitucionais
Estrutural liga a constituição à realidade social, interpretando o seu sentido.
Histórica advém de um processo histórico de valores normativas.
Normativa observa o contexto social e político, determinando a sua força.
Jusnaturalista complexo de princípios do Direito natural.
Historicista aquela que advém de fatos históricos, compondo assim seu conteúdo aplicável.
Jusposistivistas conjunto de normas do Direito positivo sem apreciação de nenhum elemento de valor.
Marxista trata-se de supra estrutura ideológica condicionada à infraestrutura econômica.
Institucionalista é a manifestação de ideias duradouras existentes na sociedade.
Dirigente é um programa de atuação dos poderes públicos a ser implementado no futuro
Constituição de 1988- composta por :
Preâmbulo =não é considerado norma constitucional, mas sim uma carta de intenção da constituição.
9 títulos
ADCT = os Atos das Disposições Constitucionais Transitórias versam a transição de regime constitucional ou sobre normas que possuem caráter temporário.
Constituintes = responsáveis por elaborar e alterar a constituição
Classificação
Promulgada
Reduzida = por ser genérica
Analítica
Formal
Escrita
Dogmática
Eclética = abrange inúmeros assuntos
Rígida = para mudar a lei, passa por inúmeras etapas e comissões
\u201cPRAFEDER\u201d
Normativa
Principiológica
Definitiva
Dirigente
Garantista
Socialista
expansiva
São elementos
Orgânicos normas que regulam o poder do Estado e sua estrutura
O Estado regula o Direito e a sociedade busca o seu exercício.
III, IV, V (Capítulos II e III ) e IV.
Limitativos manifestam-se nas normas que compõe o elenco dos direitos e garantias fundamentais, limitando a atuação dos poderes estatais
A constituição de 1988 tem uma preocupação maior com a esfera social.
Títulos II ( Capítulo II) VII e VIII.
Estabilização constitucional destinados a assegurar a solução de conflitos constitucionais, sua defesa, do Estado e das instituições democráticos. Sempre que houver conflitos entre leis, órgãos, etc. devem obedecer hierarquicamente a constituição federal.
Artigos:
102 \u201ca\u201d (ADIN)
59, I e 60 ( processo de E.C)
102 e 103 (jurisdição constitucional) limita os poderes.
Títulos V ( defesa do Estado e instituições democráticas)
Formais de aplicabilidade normas que estabelecem regras de aplicação das constituições (limita o poder do Estado)
Histórico atemporal das constituições
1821 D. João VI retorna à Portugal, contrariando interesses brasileiros ( vai defender o trono português contra os espanhóis)
1822 primeira convocação da assembleia nacional constituinte (dissolvida) o imperador faz essa manobra pra manter o seu poder.
No mesmo ano ocorre nova convocação para elaboração de constituição independente que buscava o anticolianismo, o liberalismo e o classicismo.
Ocorre nova dissolução e a criação de conselho do Estado ( determinado por D João) composta por 10 juristas renomados para a elaboração de constituição de acordo com os interesses reais. Nasce a primeira constituição do império