A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
182 pág.
Apostila ENGENHARIA DE SOFTWARE unicesumar

Pré-visualização | Página 3 de 38

em função do hardware, que nessa época tinha seu 
poder de processamento e memória aumentados, sendo que o software deveria 
acompanhar esse avanço. E o que se notou, na época, é que o desenvolvimento 
de grandes sistemas de maneira informal, sem seguir regras ou etapas pré-defi-
nidas, não era suficiente. 
O software desenvolvido, até então, não era confiável, não era desenvolvido 
dentro do tempo e custos previstos inicialmente, seu desempenho era insatisfa-
tório e era difícil de dar manutenção. Os custos em relação ao hardware estavam 
caindo, em função de que a sua produção passou a ser em série, porém, o custo 
do software não acompanhava essa queda, muitas vezes, sendo aumentado.
A ideia inicial da engenharia de software era tornar o desenvolvimento de 
software um processo sistematizado, em que seriam aplicadas técnicas e méto-
dos necessários para controlar a complexidade inerente aos grandes sistemas 
(SOMMERVILLE, 2007, p. 4).
A engenharia de software é tão vasta que o software atual está envolvido 
intrinsecamente em nosso cotidiano, portanto é impossível ignorarmos sua 
importância. 
A engenharia de software moderna tem como objetivo elaborar metodolo-
gias baseadas na evolução, ou seja, os softwares modificam-se continuamente e 
também novos softwares são construídos a partir dos antigos.
Neste livro, abordaremos somente alguns tópicos da engenharia, pois, com 
certeza, precisaríamos de dezenas de livros como esse para esgotar esse assunto, 
portanto, gostaria de deixar claro, que aqui estudaremos somente uma pequena 
parte dessa abrangente disciplina.
Introdução
Re
pr
od
uç
ão
 p
ro
ib
id
a.
 A
rt
. 1
84
 d
o 
Có
di
go
 P
en
al
 e
 L
ei
 9
.6
10
 d
e 
19
 d
e 
fe
ve
re
iro
 d
e 
19
98
.
15
©shutterstock
INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE SOFTWARE
Reprodução proibida. A
rt. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.
IU N I D A D E16
CONCEITOS BÁSICOS SOBRE SOFTWARE
O software é um segmento de instru-
ções que serão analisadas e processadas 
pelo computador, ele dará significado a 
elas com o objetivo de executar tarefas 
específicas, pois são os softwares que 
comandam o funcionamento de qual-
quer computador; o software é a parte 
lógica que fornece explicações para o 
hardware do computador. 
Pressman (2011 p. 32) afirma que: 
“Software de computadores continua a 
ser uma tecnologia única e mais impor-
tante no cenário mundial”.
Podemos observar outra percepção do que é o software:
Software de computador é um produto desenvolvido por profissionais 
de software que também dão suporte a ele a longo prazo e abrange pro-
gramas executáveis em computadores de diversos portes ou arquitetu-
ra, conteúdos que são apresentados quando programas são executados, 
informações descritivas em forma impressa ou virtual.  (MEDEIROS, 
2016, online).
De acordo com Sommerville (2007), o software é composto não somente pelos 
programas, mas também pela documentação associada a esses programas.
Para Pressman (2011), o software possui, pelo menos, três características 
que o diferenciam do hardware:
1. Software é desenvolvido ou passa por um processo de engenharia, não 
sendo fabricado no sentido clássico.
Apesar de existir semelhanças entre o desenvolvimento de software e a 
fabricação de hardware, essas atividades são muito diferentes. Os custos 
de software concentram-se no processo de engenharia, por causa disso 
os projetos de software não podem ser conduzidos como se fossem pro-
jetos de fabricação.
Conceitos Básicos Sobre Software
Re
pr
od
uç
ão
 p
ro
ib
id
a.
 A
rt
. 1
84
 d
o 
Có
di
go
 P
en
al
 e
 L
ei
 9
.6
10
 d
e 
19
 d
e 
fe
ve
re
iro
 d
e 
19
98
.
17
2. Software não se desgasta.
Normalmente, o hardware apresenta taxas de defeitos mais altas no início 
de sua vida, porém esses defeitos são corrigidos tendo assim a taxa decres-
cida, ou seja, atingindo um nível estável. Porém, com o uso, o hardware 
pode se desgastar devido à poeira, má utilização, temperaturas extremas 
e outros. Já com o software é diferente, ou seja, ele não está sujeito aos 
problemas ambientais, como o hardware. Em relação aos problemas ini-
ciais, com o software também acontece assim, pois alguns defeitos ainda 
podem passar pela etapa de validação do software.
Quando um componente de hardware se desgasta, ele normalmente é tro-
cado por um novo componente e o hardware volta a funcionar. Com o 
software, isso não acontece, não tem como simplesmente trocar o com-
ponente, pois quando um erro acontece no software, pode ser de projeto, 
de requisito mal definido, levando o software a sofrer manutenção, que 
pode ser considerada mais complexa que a do hardware.
3. Embora a indústria caminhe para a construção com base em componentes, 
a maioria dos softwares continua a ser construída de forma personali-
zada (sob encomenda).
A reutilização de componentes de hardware é parte natural do seu pro-
cesso de engenharia, já para o software é algo que apenas começou a ser 
alcançado (PRESSMAN, 2011, p. 34). Os componentes reutilizáveis de 
software são criados para que o desenvolvedor possa se concentrar nas 
partes do projeto que representam algo novo. Esses componentes encap-
sulam dados e o processamento aplicado a eles, possibilitando criar novas 
aplicações a partir de partes reutilizáveis.
“Software não se desgasta, mas ele se deteriora.” – autor desconhecido.
©shutterstock
INTRODUÇÃO À ENGENHARIA DE SOFTWARE
Reprodução proibida. A
rt. 184 do Código Penal e Lei 9.610 de 19 de fevereiro de 1998.
IU N I D A D E18
HISTÓRIA DA ENGENHARIA DE SOFTWARE
A engenharia do software se define: “[...] o estabelecimento e o emprego de sólidos 
princípios de modo a obter software de maneira econômica, que seja confiável 
e funcione de forma eficiente em máquinas reais” (MEDEIROS, 2016, online).
A principal característica da engenharia do software são seus métodos e téc-
nicas que são utilizados para o desenvolvimento do software.
Segundo Tsui e Karam (2013), o termo engenharia do software foi mencio-
nado pela primeira vez em uma conferência da OTAN (Organização do Tratado 
do Atlântico Norte) conduzida na Alemanha em 1968.
Tendo como objetivo aplicar técnicas e utilizar ferramentas na área da com-
putação, para o desenvolvimento e a produção de software, é preciso planejar a 
curto e longo prazo a equipe que vai ser montada e a qualidade do produto e do 
seu processo, e tudo isso está presente no nosso dia a dia; as pessoas não perce-
bem, mas estamos ligados à engenharia de software no nosso cotidiano.
 Segundo Sommerville (2011), a engenharia de software é uma disciplina cujo 
foco é o desenvolvimento de sistemas de software de alta qualidade por um custo 
acessível. Além disso, é preciso ter em conta que “o software é abstrato e intangível, 
História da Engenharia De Software
Re
pr
od
uç
ão
 p
ro
ib
id
a.
 A
rt
. 1
84
 d
o 
Có
di
go
 P
en
al
 e
 L
ei
 9
.6
10
 d
e 
19
 d
e 
fe
ve
re
iro
 d
e 
19
98
.
19
e que esta engenharia é preocupada com todos os aspectos da produção de software, 
desde os estágios iniciais de especificação de um sistema até a manutenção do sis-
tema após ter sido posto em uso” (TSUI; KARAM 2013). 
Essa disciplina ou área de conhecimento surgiu em decorrência da preocupação 
em contornar a crise que estava se abatendo no software e dar a ele um tratamento 
de engenharia. Isso aconteceu em 1970, fazendo formar a engenharia do software, 
que veio para implementar sistemas mais complexos. Segundo Sommerville (2011), 
“quando falamos de engenharia de software, não se trata apenas do programa em si, 
mas de toda a documentação associada e dados de