ITCMD  PERCENTUAL EM UFIR
20 pág.

ITCMD PERCENTUAL EM UFIR


DisciplinaDireito Tributário I23.029 materiais270.672 seguidores
Pré-visualização9 páginas
1 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ITCMD 
ALÍQUOTAS E 
ISENÇÕES DE 
TODOS OS ESTADOS 
 
 
 
 
 
IT
C
M
D
 \u2013
 IN
FO
R
M
A
Ç
Õ
ES
 S
O
B
R
E 
A
 A
P
LI
C
A
Ç
Ã
O
 D
O
 IM
P
O
ST
O
 E
M
 T
O
D
O
S 
O
S 
ES
TA
D
O
S 
\u2013 
Q
U
A
LI
TY
 A
SS
O
C
IA
D
O
S 
 
 
 
 
 
O Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos 
ITCMD, previsto no artigo 155, I, da Constituição Federal, na redação da Emenda Constitucional nº 3, 
de1993, é um tributo de competência 
 
A obrigatoriedade do pagamento do ITCMD nasce com a transmissão não onerosa do bem, 
seja pelo falecimento do possuidor do bem (causa 
 
O imposto incide sobre o valor venal (de venda) da transmissão de qualquer bem ou direito 
havido, seja por sucessão legítima ou testamentária, inclusive a sucessão provisória e por doação.
 
A Constituição ainda estabelece que o ITCMD terá suas alíquotas máximas fixadas pelo 
Senado Federal (artigo 155, inciso I, combinado 
\u2022 Bens imóveis: no local de situação do
\u2022 Bens móveis (exemplos: doação de dinheiro, quotas societárias, jóias ou qualquer outro tipo 
de bem móvel): via de regra
 
EXCEÇÃO: Se o doador de bem localizado no Brasil reside no exterior, o imposto deverá ser pago no 
local onde reside o beneficiário.
 
São contribuintes do imposto:
\u2022 Na transmissão "causa 
\u2022 Na doação: o donatário;
 
 
Os Estados e Distrito Federal possuem sua legislação e regulamento próprio para o assunto, a seguir 
fizemos uma compilação de toda essa legislação, indicando as alíquotas praticadas e as isenções.
Resolução n. 9, de 1992, do Senado Federal, dispôs que a alíquota máxima do ITCMD será de oito por
cento (8%), corroborando que as alíquotas, fixadas pelos Estados, podem ser progressivas. As 
legislações estaduais, quando prevêem a progressividade, adotam 
e/ou do grau de parentesco com o de 
Onde devo pagar o imposto?
 
ITCMD 
O Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos 
ITCMD, previsto no artigo 155, I, da Constituição Federal, na redação da Emenda Constitucional nº 3, 
de1993, é um tributo de competência dos Estados e do Distrito Federal. 
A obrigatoriedade do pagamento do ITCMD nasce com a transmissão não onerosa do bem, 
seja pelo falecimento do possuidor do bem (causa mortis), seja pela doação em vida (ato inter vivos).
O imposto incide sobre o valor venal (de venda) da transmissão de qualquer bem ou direito 
havido, seja por sucessão legítima ou testamentária, inclusive a sucessão provisória e por doação.
A Constituição ainda estabelece que o ITCMD terá suas alíquotas máximas fixadas pelo 
Senado Federal (artigo 155, inciso I, combinado com seu próprio parágrafo 1º, inciso IV). 
Bens imóveis: no local de situação do bem. 
Bens móveis (exemplos: doação de dinheiro, quotas societárias, jóias ou qualquer outro tipo 
via de regra, no local onde reside o DOADOR. 
Se o doador de bem localizado no Brasil reside no exterior, o imposto deverá ser pago no 
local onde reside o beneficiário. 
São contribuintes do imposto: 
a transmissão "causa mortis": o herdeiro ou o legatário; 
donatário; 
s e Distrito Federal possuem sua legislação e regulamento próprio para o assunto, a seguir 
fizemos uma compilação de toda essa legislação, indicando as alíquotas praticadas e as isenções.
Resolução n. 9, de 1992, do Senado Federal, dispôs que a alíquota máxima do ITCMD será de oito por
cento (8%), corroborando que as alíquotas, fixadas pelos Estados, podem ser progressivas. As 
legislações estaduais, quando prevêem a progressividade, adotam os critérios da base de cálculo 
e/ou do grau de parentesco com o de cujus ou doador. 
2 
IT
C
M
D
 \u2013
 IN
FO
R
M
A
Ç
Õ
ES
 S
O
B
R
E 
A
 A
P
LI
C
A
Ç
Ã
O
 D
O
 IM
P
O
ST
O
 E
M
 T
O
D
O
S 
O
S 
ES
TA
D
O
S 
\u2013 
Q
U
A
LI
TY
 A
SS
O
C
IA
D
O
S 
O Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos \u2013 
ITCMD, previsto no artigo 155, I, da Constituição Federal, na redação da Emenda Constitucional nº 3, 
A obrigatoriedade do pagamento do ITCMD nasce com a transmissão não onerosa do bem, 
), seja pela doação em vida (ato inter vivos). 
O imposto incide sobre o valor venal (de venda) da transmissão de qualquer bem ou direito 
havido, seja por sucessão legítima ou testamentária, inclusive a sucessão provisória e por doação. 
A Constituição ainda estabelece que o ITCMD terá suas alíquotas máximas fixadas pelo 
com seu próprio parágrafo 1º, inciso IV). A 
Bens móveis (exemplos: doação de dinheiro, quotas societárias, jóias ou qualquer outro tipo 
Se o doador de bem localizado no Brasil reside no exterior, o imposto deverá ser pago no 
s e Distrito Federal possuem sua legislação e regulamento próprio para o assunto, a seguir 
fizemos uma compilação de toda essa legislação, indicando as alíquotas praticadas e as isenções. 
Resolução n. 9, de 1992, do Senado Federal, dispôs que a alíquota máxima do ITCMD será de oito por 
cento (8%), corroborando que as alíquotas, fixadas pelos Estados, podem ser progressivas. As 
os critérios da base de cálculo 
 
 
preservação do meio ambiente, observado o seguinte:
Art. 9° 
(...) 
§ 3º - Na hipótese de sucessivas doações entre os mesmos doadores e donatário, serão consideradas 
todas as transmissões realizadas a esse título, dentro de cada ano civil, devendo o impos
 
 
 
 
 
LEI Nº 10.705 de 28 DE DEZEMBRO DE 2000 Com as alterações das Leis 10.992, de 21
12-2001) e 16.050, de 15-12-2015 (DOE 16
Alíquota 4% 
Valor UFESP 2016 - R$ 25,07 
 
 
Das Isenções 
Artigo 6º - Fica isenta do imposto:
II - a transmissão por doação: 
a) cujo valor não ultrapassar 2.500 (duas mil e quinhentas)
(...) 
§ 2º - Ficam também isentas as transmissões "causa mortis" e sobre doação de quaisquer bens ou direitos 
a entidades cujos objetivos sociais sejam vinculados à 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
a cada nova doação, adicionando
deduzindo-se os valores dos impostos já recolhidos.
 
*2.500 UFESPs = R$ 62.675,00 
 
 
 
RIO DE JANIERO - LEI Nº 7174 DE 28 DE DEZEMBRO 2015. 
Valor UFIRs RJ 2017: R$ 3,1999 
Alíquotas: 
Art. 26 - O imposto é calculado aplicando
se a totalidade dos bens e direitos transmitidos, a alíquota de:
I \u2013 4,5% (quatro e meio por cento), para valores até 400.000 UF
II - 5% (cinco por cento) para valores acima de 400.000 UFIR
preservação do meio ambiente, observado o seguinte: 
Na hipótese de sucessivas doações entre os mesmos doadores e donatário, serão consideradas 
todas as transmissões realizadas a esse título, dentro de cada ano civil, devendo o impos
LEI Nº 10.705 de 28 DE DEZEMBRO DE 2000 Com as alterações das Leis 10.992, de 21
2015 (DOE 16-12-2015) 
Fica isenta do imposto: 
cujo valor não ultrapassar 2.500 (duas mil e quinhentas) UFESPs; 
Ficam também isentas as transmissões "causa mortis" e sobre doação de quaisquer bens ou direitos 
a entidades cujos objetivos sociais sejam vinculados à promoção dos direitos humanos
adicionando-se à base de cálculo os valores dos bens anteriormente transmitidos e 
se os valores dos impostos já recolhidos. 
LEI Nº 7174 DE 28 DE DEZEMBRO 2015. 
 
O imposto é calculado aplicando-se, sobre o valor fixado para a base de cálculo, considerando
se a totalidade dos bens e direitos transmitidos, a alíquota de: 
4,5% (quatro e meio por cento), para valores até 400.000 UFIR-RJ; 
5% (cinco por cento) para valores acima de 400.000 UFIR-RJ. 
SÃO PAULO
RIO DE JANEIRO