Resumo de patologia - adaptação celular, necrose, apoptose, inflamaçao
44 pág.

Resumo de patologia - adaptação celular, necrose, apoptose, inflamaçao


DisciplinaPatologia Geral para Medicina48 materiais1.079 seguidores
Pré-visualização6 páginas
PATOLOGIA 
CONTEÚDO N1	
ADAPTAÇÃO, LESÃO E MORTE CELULAR
 INFLAMAÇÃO
 
AULA 01 ( 02/ 08/ 2018)
TEMA DA AULA: Apresentação da disciplina. 
DEFINIÇÃO DE PATOLOGIA: 
Especialidade médica responsável pelo DIAGNÓSTICO dos diversos processos patológicos através da morfologia
Estudo das alterações bioquímicas e funcionais das células, tecidos e órgãos \u2013 Técnicas morfológicas, microbiológicas e moleculares
Ligação entre ciências básicas e medicina clínica
AULA 02 ( 10/ 08/ 2018)
TEMA DA AULA: Adaptação lesão e morte celular. 
RESPOSTA CELULARES AO ESTRESSE E AOS ESTÍMULOS NOCIVOS: 
A célula normal é confinada à determinada função, e os fatores que vão determinar essa função são: 
 \u2022 Metabolismo dela própria
 \u2022 Diferenciação 
\u2022 Especialização
 \u2022 Limitação pelas células vizinhas
 \u2022 Disponibilidade de substrato metabólico
Tudo isso determina uma função específica da célula dentro do nosso corpo e o equilíbrio desse funcionamento é a homeostasia.
ADAPTAÇÕES:
Respostas estruturais e funcionais REVERSÍVEIS a estresses fisiológicos mais excessivos do que o normal e a alguns estímulos patológicos.
Quando falamos de estresse fisiológico as nossas células resistem ao estresse fisiológico do dia a dia como mecânico, físico, químico e etc, só que se esse estímulo for um puco mais excessivo as células podem ter que se adaptar aquele novo meio. Então essas adaptações servem para fazer essas mudanças para que as nossas células fiquem mais resistentes a determinado meio. Nós também podemos ter adaptações a alguns estímulos patológicos.
RESPOSTAS ADAPTATIVAS: 
Aqui estão algumas possibilidades que nossas células tem de adaptar a esses estresses mais excessivos: 
\u2191 do tamanho celular HIPERTROFIA 
 \u2191 do número de células HIPERPLASIA 
 \u2191 da atividade funcional 
 \u2193 atividade funcional e tamanho ATROFIA 
 Mudança no fenótipo (aparencia) celular METAPLASIA
OBS.:
A diferença de quando ocorre hipertrofia e quando ocorre hiperplasia não vai depender do estímulo e sim do tipo de tecido. 
A atrofia é um tipo de resposta adaptativa reversível, mas dependendo do tipo de tecido que ocorre a atrofia ela se torna irreversível, como por exemplo quando ela acontece no tecido nervoso.
Neoplasia édiferente de metaplasia: Meta é uma célula que se transforma e neo é um crescimento de uma nova célula.
LESÃO CELULAR
Quando temos uma lesão celular é porque ocorreu uma ultrapassagem dos limites da resposta adaptativa ou há exposição a agente lesivo/estresse/privação de nutrientes. Então o próximo passo se o estresse continuar seria a lesão celular e depois a morte celular. Mas não necessariamente acontece nessas etapas, dependendo do estímulo, se o estresse for muito agressivo, a célula pode morrer sem passar por uma adpatação e lesão celular. 
Persistência do estímulo = LESÃO IRREVERSÍVEL 
MORTE CELULAR = resultado final da lesão celular progressiva
CAUSAS DE MORTE CELULAR:
\u2022 Isquemia : é a principal ( mais comum) e é a diminuição do suprimento sanguíneo. 
\u2022 Infecção : 
\u2022 Toxinas
OBS.: Morte celular também é um processo normal na embriogênese, desenvolvimento dos órgãos e na homeostasia. A morte celular nem sempre é patológica. 
Existem dois tipos de morte celular, a apoptose e a necrose. A apoptose normalmente é fisiológica ( quando a célula ja cumpriu seu papel) , mas ela também pode ser patológica, já a necrose é sempre patológica.
Ex de necrose: Quando há uma isquemia. 
Ex de apoptose fisiológica: Hemácias morrem em 120 dias.
ADAPTAÇÕES DE CRESCIMENTO E DIFERENCIAÇÃO CELULARES:
HIPERTROFIA:
\u2191 tamanho das células levando ao \u2191 tamanho do órgão 
\u2022 Não possuem células novas, apenas células existentes que se tornam maiores 
\u2022 Esse aumento das células ocorre pelo\u2191 da síntese de mais componentes estruturais 
\u2022 Muitas vezes coexiste com a hiperplasia, pois muitas vezes o estímulo pode ser o mesmo, só que o que diferencia hiperplasia de hipertrofia é o tipo de tecido. As células musculares e o tecido nervoso não conseguem formar novas células, apenas aumentar seu tamanho. Já os epitélios conseguem se dividir , então os epitélios sofrem hiperplasia, mas eles também podem sofrer hipertrofia. 
\u2022 Fisiológica ou patológica 
\u2022 Ex: Músculo esquelético
\u2022 > síntese de proteínas
 \u2022 \u2191 n° de microfilamentos
MECANISMO DE HIPERTROFIA:
 Ação conjunta de:
 1. Sensores mecânicos 
2. Fatores de crescimento TGF -
 3. Agentes vasoativos
OBS.: Durante a gravidez o útero sofre hipertrofia de forma fisiológica. O estímulo são os hormônios como por exemplo progesterona.
HIPERPLASIA:
\u2191 n° de células levando ao \u2191 massa do órgão/tecido 
\u2022 Geralmente ocorre junto com hipertrofia pois os estúmulos são os mesmos.
\u2022 Ocorre em tecidos em que as células têm capacidade de se dividir. Ex.: Epitélios e músculo liso. 
\u2022 Pode ser fisiológico ou patológico
HIPERPLASIA FISIOLÓGICA:
A hiperplasia fisiológica pode ser provocada por estímulos hormonais ou pode ser compensatória. 
Hormonal 
\u2191 volume das mamas na puberdade/gravidez
 Compensatória
\u2191 massa do órgão após ressecção parcial (indução por fatores de crescimento) . Ex.: Fígado 
HIPERPLASIA PATOLÓGICA:
Excesso de hormônio ou fatores de crescimento
 Ex: hiperplasia endometrial, prostática 
 No câncer: alterações genéticas que desregulam o crescimento
A Hiperplasia é um solo fértil para a instalação de neoplasia, pois as células hiperplásicas estão se dividindo com velocidade mais rápida do que o normal dessa forma essas células podem adquirir mutações mais facilmente. 
Obs.: O câncer não é uma hiperplasia, é uma neoplasia ( crescimento novo) mas as células neoplásicas podem acabar estimulando a hiperplasia de células vizinhas. 
ATROFIA:
\u2193 tamanho e quantidade das células provocando a \u2193 tamanho do órgão 
Fisiológica: notocorda, ducto tireoglosso, útero pós-parto 
 Patológica: 
Desuso 
 Perda da inervação 
\u2193 da irrigação sanguínea (atrofia senil do cérebro, pela diminuição da irrigação cerebral conforme o envelhecimento) 
Nutrição inadequada 
 Perda da estimulação endócrina 
 Pressão (compressão) \u2013 tumores podem comprimir orgãos vizinhos.
 
MECANISMO DE ATROFIA:
\u2193 da síntese proteica e \u2191 da degradação de proteínas nas células
sobretudo pela via UBIQUITINA-PROTEASSOMA
METAPLASIA:
Alteração REVERSÍVEL ( se retirar o estímulo o tecido volta ao normal)
 Um tipo tecidual se transforma em outro
 Células ficam mais capazes de suportar um determinado ambiente 
Um exemplo de metaplasia é a célula colunar se transforma em escamosa, é o mais comum em tabagistas.
OBS.: não resulta na alteração do fenótipo de uma célula madura pré- existente, mas na reprogramação da célula tronco. Na base do epitélio existem células tronco que vão dar origem as células escamosas.
OBS.: Onde tem metaplasias é mais fácil de acontecer mutações que podem levar ao desenvolvimento de neoplasias ( alterações irreversíveis).
ESÔFAGO DE BARRETT
É um exemplo de mataplasia
O epitélio pavimentoso do esôfago se transforma em epitélio colunar do tipo intestinal. 
\u2022 Esse tipo de mataplasia está muito associada a doença do refluxo gastro-esofágico (DRGE) 
\u2022 Sujeito a displasia/neoplasia
PERGUNTA DE PROVA: QUAL O TIPO DE METAPLAISA QUE ACONTECE NO ESÔFAGO DE BARRETT? METAPLASIA INTESTINAL. 
OBS.: Alimentos quentes podem provocar uma hiperplasia no esôfago, e hiperplasia é uma solo fértil para neoplasias. 
LESÃO REVERSÍVEL:
\u2022 Na lesão reverssível tenho a regressão se o estímulo for removido 
\u2022 \u2193 fosforilação oxidativa => \u2193 ATP => tumefação ( célula fica inchada por causa da alteração dos íons)
MORTE CELULAR:
A morte celular pode ser por necrose ou apoptose. 
Ela é provocada po uma persistência do dano, do estímulo 
 Quando tenho dano intenso às membranas (mambrana plasmática se rompe) e liberação de enzimas lisossômicas posso ter uma NECROSE (sempre patológica)
Quando tenho a lesão de DNA ou proteínas posse ter APOPTOSE (dissolução nuclear e fragmentação celular sem perda da integridade da membrana)
CAUSAS DA LESÃO CELULAR: