A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
LOUIS DUMONT - TEXTO: Ensaios sobre o Individualismo; Cap. 1

Pré-visualização | Página 9 de 14

coma fundamento da uni-
dade ortodoxa, e suportavam mal a intrusâo do principe no domînio da 
autoridade eclesiastica. Uma sucessâo de divergências doutrinais obrigaram 
a Igreja a elaborar uma doutrina unificada. Estes debates terrninaram pela 
condenaçào de heresias como 0 arianismo, 0 monofîsismo, 0 monotelismo, 
activas sobretudo a Leste, em torno das antigas Igrejas de Alexandria e 
Antioquia. É digno de nota que a maior parte destes debates se tenha cen-
trado na dificuldade de conceber e formular correctamente a un.iâo do 
Deus e do hornem cm Jesus Cri~'(ô . Ora é nesse ponto qu'c nos aparece 
rel rospectivamente coma que 0 ântij;, ~-sëgreaodo- crist ian ism~· co~icÎ;­
'fadO";; lo;go'dë tOdoo 'seu ' dësen;01~i,;ë'irtët~i~t6ricO:-ëü seja: emter~s 
a bstraCtos,--â- i ·trrma çâo ëleüm-;tran s i çâ~·· ~·fecti~~ ; nt ·re· 0 ·alé~ · e ~·;te 
.. ~. ~_ .. _-_. __ .- .. _-.-- ,-_. ~.'_._~ . - - ._- ."-- -
mundo, entre 0 extramundano-ë 0 intramundano, a Encarriaçao do Va/or. 
A rn'ësma -dificüla-éïderênëëti~=s~~~ ~ais tarde 'në- iï1OV imërito-- ièOI'10C~, 
onde talvez tenha sido catalisada por uma influência purilana muçulmana 
(0 sagrado nâo pode ser figurado). Ao mesmo tempo havia claramente no 
arianismo e no iconoclasmo um interesse po!ùico imperial. Mas Peterson 
mostrou que a adopçao do dogma da Santissima Trindade (concilio de Cons-
54 
GtNESE, J 
faclo 0 dobrar a finados pelo monoteismo poli-tantinopla, 381) foi de 
. 1 
tJco . j ct 500 quando a IgreJa~ oficialmente no Impéno 
Por vo ta C, ~ ~ ias io Dt ' . a 1 havia cerca de dois séculos, 0 pap~GelaSiO oduzlu uma teona not ve 
1 fOl mais tarde recolhida da relaçao entre a Igreja e 0 impe ,qua , 
ela tratliçâo e abundantemente uti lizada. ~o entan~o. os mt~rpretes ~Odernos nâo parecem ter prestado inlcifa justJça a GelasIo. Consl~era.sl.! . 
o mais das vezes a sua declaraçao nobre e clara como expondo slmple~­
mente a justaposiçao e a cooperaçâo dos dois poderes, ou,. coma cu pro-
prio prefiro dizer, das duas ent idadcs ou . funçôes. Admlte-se de certc 
modo que contém um elemento de hierarqUla, mas como os modernos :e 
a· vontade nessa dimensâo apresentam-na mal ou nao sentem pouco . . 
logram ver todo 0 seu alcance. Pelo contrârio, a persp~tlva com.pa:atlva 
que é a nos sa deve permitir-nos restaurar a estrutura 16gIca e a dlgmdade 
da teoria de Gelasio. l 
A sua declaraçào encontra-se contida e~ dois tex;~s que se comp etam. 
o papa diz nu ma carta ao imperador (Epistola 12) . 
Ha principal mente duas coisas, Augusto Imper~?~~~ pe.las quai~ .~ste 
mun-do .é -governado: a aut~~lq~.~~s~gr_a~~(dës p6Etlfl~~.~S. 0 poder rc~~. 
_._--_ .. ~----~_. cto'le·-s··-c~~regam um fardo tanto mais pesado quanto 
Destas os sacer ·· ·b 1 
-ct .-:..·-star·ëërrtas ao Senhor pelos proprios reis perante 0 tn una ~ evem pre -~-- .. _. - . b' a cabeça sub-- --- (E um poüêû- mais adiante:) Devels alxar um .. QIVmo... . ' . :-;-·---~·~ct· -j--qtiê:>aeveis ret e-mlssa la . ., ._ . .. ,. __ .. - . . f ( . _ .... ~' ct' nte dos ministros das COlsas dIV mas e ... e e. es .la . 
'bê-r-os -meios aavôs~a -salvaçâ~. . , <;IJ b" <t V\.() jLI.> *:<::ru. 0-.-: ;.~ ~. 
- ~A- eferência sai~~âo· dica c1aramente que se trat~ a?ui ~o nivel i'} '-J.,~ ~ 
r ultimo sideraçâo. Notemos a distinçào hIerarqUica ent~e 
supremo ou . d . d m breve comenta-
a auctoritas do sacerdote e a poleSlQS do rct: epols e u 
rio, Gelasio continua : 
Na~ coisa,s r efç(entes à disciplina _ ~ublica , ~s chefes rel.ig~osos com- _. 
preendem ' que a pader imperial vos foi confendo pelo. Alusslmo, c ~:;~>.-_. 
pr6prios obedeccrâo às vossas leis, receando parecer Ir contra a VG~ • 
vontade nos assuntOS do mu ndo. 
1 E ik Peterson «Der Monothcismus ais po litÎsches ProbleOl», T"eoJo8i;ch~ Trot.tale. 
. ' 1951 '25.147 Leach estabelcceu a ligaçào entre arianisOl <- C ml1enan smo Mumque, ' pp. . 
(d. acima, n. 10). . ( f n 22). A traduçâo 
2 Os tcxtos de Gelàsio sao extraidos de Carlyle, op. Clf. mas c . . 
seguc prcfcrcncialmcnl c a de Dvornik , op. ci!. , pp. 804·805. 
55 
'. 
ENSAIOS SOBRE 0 INDIVIDU-1USMO 
o sacerdOlC fica por conseguÎme subordinado ao rei nos assunlos mun-
danof qûe dizem respeito à ordem publica. 0 que os comentadores moder-
nos nâo conseguem ver par completo é que 0 nivel de consideraçâo se deslo-
cou das allura\ da salvaçào para a baixeza das coisas deste mundo. 
Os sacerdoles sào' superiores, porque so sào inferiores a uro nivel também 
\ù~· :., i~feriô~r. Nào ~st~mos pera~le uma sïrriples«èôï-reJaçacm (Morr{son) ou uma 
.,\~\ :: sWlplessubmlssao _do$ J~I S aos sacerdoles (Vllmann), mas perante uma 
.. complementaridade hierdrquica '. -" 
............ ~Acontece que encont rei a mes~a configuraçào na India an tiga, védica. 
,?, , 
Ai, os sacerdotes viam-se coma religiosamente ou absolutamente superiores 
ao rei, mas mate rialmente a cie submetidos 2• Se os terrnos sao diferentes, a 
disposiçâo é exactamente a mesma que cm Gelâsio. 0 facto surpreende, 
dadas as diferenças importantes entre os panos de fundo correspondentes. 
Do lado indiano, os fïéi s nao formavam um corpo unido, 0 sacerdocio nao 
estava organizado de modo unilârio, e acima de tudo nao estavam em causa 
individuos. (0 renuncianle, de que falei acima, ainda nao aparecera.) Pode-
-se chegar à suposiçao audaciosa de que a forma comum, a configuraçào 
em causa é muito simpJesmente a formula logica da relaçâo das duas fun-
çôes. 
o outro texto principal de Gelâsio encontra-se num tratado, De Anathe-
matis Villculo. 0 seu principal Interesse para nos esta na explicaçao da dife-
renciaçâo das duas fun çôes enquanto instituida por Cristo. Antes dele, 
«existiam de faclo - embora num sentido pré-figurativo - homens que 
foram ao mesmo tempo reis e sacerdOleS~), e foi ele, Cristo, que «tendo cm 
vista a fragilidade humana ... separou os oficios dos dois poderes) por mcio 
de funçôcs e de dignidades distintivas ... na intcnçâo de que a sua propria 
(gente) fosse salva por uma salular humildade ... ». Apenas 0 demonio imi-
~~u a mistura pré·crislà das duas funçôes, de tal maneira que, diz Gelasio, 
houvc «imperadores pagâos [queJ se fizeram nomcar pontifiees sagrados.» 
Pode ser que haja aqui uma alusao ao que continuava a subsîstir de realeza 
·sacral cm Bizâncio. Quanta ao reSlo, ~ possivel ver-se neste texto uma hipON 
lese inteiramente plausivel sobre a evôluçao das instituiçôes. Nao é insensato 
1 Karl F. Morrison. Tradition and Authority ÎII the Western Churcil 300-J/40 Princeton 
Univcrsity Press, 1969, p. 101·105; Walter Ullmann, The Groll'th of Papal Goverm:/ent in ,he 
Middle A ges, Londres, 1955. p. 20 sq. 
~ «A concepçào da reaJcza na jndia amigan (espccialmcnte §3), liH., ap. C. 
. Neste ponta os textos apresentados pelas nossos autores parcccm (divcrsameme) corrom-
pldos. urnos, corn Schwartz: officia po!eslalis ulriusque (E. Schwartz, «Publizistische Samm-
Jungen», A brandI. der Bayer. Akademie. Philo/-His /or. Abtei/ul1g, N.E JO, Munique, 1934, 
p.14. ). 
56 
. ~., 
i 
. 1 
GÉNESE.I 
para nos supor que a soberania sacral original , por exemplo a do fa ra6 ou 
do impcrador da China, se tcnha em certas culturas diferenciado em duas 
funçoes, conforme aconteceu na Îndia. 
Seria interessante discutir as dificuldades dos comentadores destes lex-
tos. Vejo-me obrigado a fazer uma escolha. Vm auior recente, 0 padre 
Congar l, considera a fôrmula hierâ rq uica autoridade/ poder como pu ra-
mente ocasional; . e d~ facto vim.9J 9.el~~io!_ ~ proposito da diferenciaçào, 
falar apenas dos «dois poderes». Mas a distinçao nao sera a melhor cxpres· 
sao de toda a tese de Gelasio? Por outro Jado, Congar tem cerlamente razào 
ao dizer (p. 256) que aqui a Igreja nao tende para «uma rcalizaçào temporal 
da Cidade de Deus». Como no caso indiano, a hierarquia opôe-se logica-
mente ao poder: nào pretende, como mais tarde fara, transcrever-se ela pro-