A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
63 pág.
APOSTILA

Pré-visualização | Página 4 de 9

–, das taxas de juros, do risco da empresa e do risco de mercado.
Determinantes do valor da empresa
Resumindo, podemos visualizar os determinantes do valor da empresa no diagrama a seguir.
5.6 Síntese da unidade
A seguir, navegue pelo mapa conceitual que sintetiza o conteúdo desta unidade. Clique e arraste os itens de conteúdo para visualizar as ramificações dos assuntos.
	
UNIDADE 6
Ambiente financeiro
O sistema financeiro engloba mercados, intermediários, empresas de serviços e outras instituições usadas para possibilitar decisões financeiras a indivíduos, empresas e governos. 
6.1 Sistema financeiro
As finanças corporativas desenvolvem-se em um macroambiente complexo, no interior do qual cabe destacar o sistema financeiro que engloba mercados, intermediários, empresas de serviços e outras instituições usadas para possibilitar decisões financeiras a indivíduos, empresas e governos.
Às vezes, o mercado possui uma localização específica para determinado instrumento financeiro, como a Bolsa de Valores de São Paulo. Outras vezes, o mercado não tem qualquer localização física, como é o caso dos mercados de balcão, que operam com diversos títulos por meio de redes de telecomunicações computadorizadas, ligando as partes interessadas.
O administrador financeiro tem de entender como funcionam os mercados, as características dos principais instrumentos financeiros e o comportamento esperado das políticas econômicas. Compete ao administrador financeiro identificar as melhores oportunidades de aplicação assim como as de obtenção de recursos para a empresa.
Mutabilidade das funções financeiras
Não há como dissociar as decisões financeiras empresariais do desempenho esperado da economia e do comportamento de suas principais variáveis – taxas de inflação, taxas de juros, taxas de câmbio, evolução do PIB, situação do balanço de pagamentos.
Por várias razões, inclusive históricas, as instituições financeiras diferem de país para país, além de se modificarem com o decorrer do tempo.
Mesmo quando os nomes das instituições são iguais, as funções que elas desempenham podem diferir significativamente. Por exemplo, o funcionamento dos bancos no Brasil difere bastante do funcionamento dos bancos americanos.
6.2 Função do sistema financeiro
A função primordial do sistema financeiro é proporcionar a alocação eficiente de recursos na economia. Essa função geral pode ser mais bem visualizada a partir dos seguintes benefícios:
transferência de recursos econômicos através do tempo ou entre regiões e setores;
administração de riscos;
compensação e liquidação de pagamentos;
agregação de recursos e subdivisão de propriedade;
fornecimento de informação sobre preços;
auxílio na resolução de problemas de incentivo ou motivação, causados pela assimetria de informações – perigos de ordem moral, seleção adversa e problemas de agência.
Sistema Financeiro Nacional
No Brasil, o Sistema Financeiro Nacional – SFN – é constituído por um conjunto de instituições financeiras públicas e privadas.
Essas instituições atuam por meio de diversos instrumentos financeiros com a finalidade de intermediar o fluxo de recursos entre poupadores e investidores, em condições satisfatórias para a economia.
Atualmente, a composição formal do SFN permite distinguir três divisões.
órgãos normativos 
Conselho Monetário Nacional;
Conselho Nacional de Seguros Privados;
Conselho Nacional de Previdência Complementar.
entidades supervisoras 
Banco Central do Brasil;
Comissão de Valores Mobiliários;
Superintendência de Seguros Privados;
Superintendência Nacional de Previdência Complementar.
operadores 
instituições financeiras captadoras de depósitos à vista;
demais instituições financeiras;
Bolsa de mercadorias e futuros;
Bolsa de valores;
sociedades seguradoras;
resseguradores;
sociedades de capitalização;
entidades abertas de previdência complementar;
entidades fechadas de previdência complementar.
6.3 Mercado financeiro
O mercado financeiro, do ponto de vista da especialização, pode ser dividido em quatro segmentos:
mercado monetário;
mercado de crédito;
mercado de capitais;
mercado de câmbio.
Ou seja, há quatro tipos diferentes de mercados financeiros e cada mercado possui uma finalidade principal. Vejamos: 
	mercado monetário
	liquidez
	mercado de crédito
	intermediação
	mercado de capitais
	estruturação
	mercado de câmbio
	troca de moedas
Mercado monetário
No mercado monetário:
são realizadas operações de curto e curtíssimo prazos, destinadas a controlar a liquidez monetária da economia;
são negociados os certificados de depósitos interfinanceiros – CDI –, exclusivamente, entre instituições financeiras.
Grande parte dos títulos públicos e privados negociados no mercado monetário são escriturais, isto é, não são emitidos fisicamente. Por isso, as negociações com esses valores são controladas e custodiadas por dois sistemas especiais:
SELIC – Sistema Especial de Liquidação e Custódia;
CETIP – Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos Privados
Como os títulos negociados no SELIC são de grande liquidez, a taxa definida no âmbito desse sistema serve de importante referencial para a formação dos juros de mercado.
Mercados de crédito
O mercado de crédito visa, fundamentalmente, suprir as necessidades de recursos de curto e médio prazos por meio da concessão de créditos a consumidores ou financiamento de capital de giro às empresas. Nesse mercado, realiza-se a intermediação financeira, ou seja, a atividade bancária por excelência.
Entre as diversas modalidades de crédito existentes no mercado de crédito, destacam-se:
desconto de títulos;
Operação pela qual uma empresa entrega duplicatas a receber a um banco e este adianta-lhe o dinheiro, após deduzir os juros. Com isso, ela consegue suprir suas necessidades imediatas de capital de giro, com rapidez e taxas de juros convenientes.
No desconto de títulos, a empresa não está repassando os títulos ao banco, mas apenas usando-os como garantia, de modo que, em caso de não pagamento por parte do cliente, a responsabilidade permanece com ela.
contas garantidas;
créditos rotativos;
Em caso de não pagamento integral da fatura do cartão de crédito, o saldo que não foi quitado será automaticamente financiado. A esse financiamento dá-se o nome de crédito rotativo. O valor do saldo é corrigido proporcionalmente até que ocorra o pagamento integral. Os juros cobrados no crédito rotativo são denominados juros rotativos e podem variar muito dependendo do perfil do titular do cartão e do banco emissor.
Há ainda o crédito rotativo com lastro em duplicatas ou outras garantias – cheques, cartões e etc. –, ofertado por instituições financeiras, no qual se estabelece um limite de crédito para empresas, a ser utilizado de acordo com suas necessidades. Os juros são calculados sobre o saldo devedor diário e cobrados mensalmente.
hot money;
Operação bancária de empréstimo a curtíssimo prazo, que visa atender às necessidades imediatas de caixa de seus clientes e tem como referencial a taxa CDI, acrescida de um spread mais impostos. Geralmente, são as grandes empresas que recorrem a esse tipo de instrumento.
empréstimos para capital de giro e para pagamento de tributos das empresas;
vendor;
Modalidade de crédito que permite ao fornecedor financiar a venda de seus produtos aos compradores, utilizando recursos bancários. Criada para viabilizar negociações entre a empresa – que quer receber à vista –  e seus clientes – que desejam maior prazo de pagamento. O banco credita o fornecedor à vista e recebe do comprador a prazo, dentro do limite de crédito aberto em nome do fornecedor.
repasse de recursos nacionais e internacionais;
Adiantamentos de Contratos de Câmbio – ACC. 
Operação de crédito por meio da qual o banco, comprador da moeda estrangeira, adianta o valor da moeda nacional ao exportador, total ou parcial, quando da contratação do câmbio anterior ao embarque da mercadoria. Tal financiamento proporciona

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.