A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
63 pág.
APOSTILA

Pré-visualização | Página 8 de 9

a interpretarem que ela teve um valor presente líquido (VPL) negativo, seu valor de mercado sobe por um montante equivalente a essa estimativa.
Em um mercado eficiente:
não existem custos de transição;
toda informação é livre e disponível a todos;
os acionistas que quiserem embolsar o ganho só precisarão vender suas ações;
toda informação é imediatamente incorporada aos preços praticados no mercado;
quando a decisão de uma empresa faz com que os participantes do mercado entendam que houve VPL positivo, seu valor de mercado sobe por um montante equivalente a essa estimativa.
9.2 Da teoria à prática
 Situação-problema
Clique no ícone para rever a situação-problema apresentada no início da disciplina.
Após analisar o conteúdo do módulo, podemos retomar as questões apresentadas anteriormente. Clique nos números para visualizá-las.
Clique aqui para acessar as informações do balanço patrimonial e da DRE relativas aos anos de 2011 e 2012 da Paulista S.A.
1
2
3
4
Objetivos são propósitos abrangentes da empresa. Eles refletem o que seus proprietários ou representantes esperam que ela realize. Já estratégias são planos para atingir os objetivos da organização. Os dirigentes das empresas estabelecem seus objetivos e suas estratégias em função do macroambiente econômico, institucional e cultural em que pretendem atuar.
Como o mercado e os analistas avaliavam a situação da Paulista S.A. quanto a seus objetivos, suas estratégias e ao ambiente geral?
A Paulista S.A. é uma empresa de capital aberto que tem dois acionistas majoritários: a Construtora Planalto, com capital votante de 33,5%, e o Banco Nacional, com 21,2%. Diante da crise, o principal executivo do grupo Planalto, Alberto Luis Torres, afirmou: decidimos agir como donos da empresa. De fato, Torres, após acordo com o outro acionista, acabou assumindo a Presidência do Conselho de Administração, antes acumulada pela Direção Executiva. Feita a separação, a principal medida foi a troca do comando da empresa, com a escolha de um novo presidente.
Essa não é uma situação típica das companhias abertas, que costumam ter seu capital votante nas mãos de alguns — e até de muitos — acionistas.
Esse fator pode ter sido um diferencial a favor da recuperação da empresa? Se não houvesse essa circunstância, como seria gestado um plano de recuperação na ausência de donos?
O fato de a propriedade da empresa estar concentrada nas mãos de dois grandes acionistas é um grande facilitador para a tomada de medidas saneadoras em tempo e na profundidade necessária. É o que foi feito no caso da Paulista S.A., iniciando-se pela substituição do comando executivo.
Se não houvesse essa circunstância, é bem provável que a mesma equipe continuasse a dirigir a empresa e, certamente, encontraria grandes resistências para promover ajustes e cortes. O presidente de então, Tomás Jefferson, estava há dez anos acumulando a Presidência do Conselho com a Direção Executiva.
Um projeto, seja ele relativo a um novo investimento, à aquisição de outra empresa ou a um plano de reestruturação, só aumentará o valor da empresa se houver valor presente líquido (VPL) positivo.
Quando uma empresa como a Paulista S.A. começa a perder mercado e a gerar prejuízo, como fica o princípio da criação de valor? O que se pode fazer?
Observamos, no histórico da intervenção dos acionistas no comando da Paulista S.A., que o presidente escolhido para realizar as reformas necessárias, Ricardo Leão, era engenheiro mecânico, com experiência executiva em duas grandes empresas, uma de alumínio e outra de celulose. Portanto, não reunia nenhuma experiência em varejo de calçados e artigos esportivos.
Para uma gestão bem-sucedida, qual a importância de o dirigente principal ter conhecimentos específicos do negócio? Isso é decisivo ou apenas desejável? Como suprir a falta de experiência?
É desejável que o principal executivo tenha experiências e conhecimentos específicos acerca do segmento ou ramo de negócios em que está atuando. Porém, são conhecidos muitos casos de trocas de comando bem-sucedidas, sem que essa condição estivesse preenchida. O que parece pesar, positivamente, é o perfil de liderança do indivíduo, associado ao apoio irrestrito recebido dos acionistas ou de seus representantes para implementar medidas de impacto. Também é fundamental contar com o diagnóstico e as proposições de especialistas em consultoria, os quais são isentos para propor intervenções e mudanças.
Um projeto, seja ele relativo a um novo investimento, à aquisição de outra empresa ou a um plano de reestruturação, só aumentará o valor da empresa se houver valor presente líquido (VPL) positivo.
Quando uma empresa como a Paulista S.A. começa a perder mercado e a gerar prejuízo, como fica o princípio da criação de valor? O que se pode fazer?
De fato, com a queda nas vendas e a ocorrência de prejuízos, a empresa começa a destruir valor, a comprometer a riqueza dos acionistas, uma vez que sua situação difícil passa a contagiar os ânimos dos investidores, que podem se desfazer das ações. Essa oferta expandida leva à queda dos preços e à perda de riqueza.
Nesse caso, podem-se adotar planos de ajuste — que vão da redução de custos ao fechamento de fábricas, à descontinuação de produtos deficitários e aos lançamentos de novos produtos —, com vistas a recuperar o crescimento e a sustentabilidade. É preciso combinar medidas concretas com a gestão das expectativas dos stakeholders.
Questão 2 de 10:
Do ponto de vista da especialização, o mercado financeiro pode ser dividido em quatro segmentos.
O segmento que se constitui como sendo a grande fonte de recursos de longo prazo para investimentos pelos agentes econômicos é denominado:
Questão 3 de 10:
A companhia aberta deve cumprir diversos requisitos definidos na Lei das Sociedades Anônimas e nas regulamentações da Comissão de Valores, para garantir a confiabilidade das informações e demonstrações financeiras divulgadas.
Nesse sentido, podemos afirmar que a diferença essencial entre a companhia aberta e a empresa de capital fechado está no fato de que a primeira:
Questão 4 de 10:A empresa é um sistema projetado, operado e administrado para atingir determinado conjunto de objetivos.
Nesse sentido, é correto afirmar que os objetivos empresariais:
Questão 5 de 10:
O conceito de finança empresarial bem como o desenvolvimento da função financeira nas empresas são necessários para compreendermos o escopo, a natureza, a evolução e a organização dessa disciplina.
Desse modo, pode-se definir Finanças Empresariais como o campo do conhecimento que:
Questão 6 de 10:
O balanço patrimonial sintetiza duas atividades empresariais essenciais de uma empresa.
Podemos classificá-las como atividades:
Questão 7 de 10:
A companhia aberta deve cumprir diversos requisitos definidos na Lei das Sociedades Anônimas e nas regulamentações da Comissão de Valores, para garantir a confiabilidade das informações e demonstrações financeiras divulgadas.
Nesse sentido, podemos afirmar que a diferença essencial entre a companhia aberta e a empresa de capital fechado está no fato de que a primeira:
Questão 8 de 10:
As atividades operacionais da empresa são aquelas que envolvem esforços de comprar, produzir, comercializar e administrar. Essas atividades dão origem às receitas e às despesas.
Tais receitas e despesas estão organizadas em um relatório denominado demonstração:
Questão 9 de 10:
Em uma perspectiva tradicional, a empresa é vista como um conjunto de funções especializadas que se distribuem por departamentos ou áreas. Uma perspectiva mais contemporânea agrupa três âmbitos.
Segundo essa perspectiva contemporânea, as atividades fundamentais da empresa consistem em:
Questão 10 de 10:
O passivo refere-se a obrigações da empresa para com terceiros; o ativo, a recursos econômicos que capacitam a empresa a gerar benefícios atuais e futuros, e o patrimônio líquido é o grupo que compreende os direitos dos sócios ou acionistas sobre o ativo da empresa.
A partir dessas definições,

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.