96123251 Direito Constitucional I Resumo
10 pág.

96123251 Direito Constitucional I Resumo

Pré-visualização4 páginas
FLÁVIA CAMPOS MACHADO 
Acadêmica de DIREITO (UEFS - III Semestre) 
1 
 
Direito Constitucional I 
 
Poder Constituinte e Poder Reformador 
Partes da Constituição 
Sentidos da Constituição 
Aplicabilidade e Eficácia das normas constitucionais 
História das Constituições Brasileiras 
 
 
Poder Constituinte e Poder Reformador 
 
Curso de Direito Constitucional Positivo, José Afonso da Silva \u2013 págs. 61 a 68. 
- Mutação Constitucional \uf0b9 Revisão Constitucional 
MUTAÇÃO CONSTITUCIONAL \u2013 processo não formal de mudança das 
constituições rígidas, por via da tradição, dos costumes de 
alterações empíricas e sociológicas, pela interpretação judicial e 
pelo ordenamento de estatutos que afetem a estrutura orgânica do 
Estado. 
REFORMA CONSTITUCIONAL \u2013 processo formal de mudança das 
constituições rígidas, por meio de atuação de certos órgãos, 
mediante determinadas formalidades, estabelecidas nas próprias 
constituições para o exercício do poder reformador. 
 
- Pinto Ferreira/Meireles Teixeira \u2013 reforma: termo genérico que abrange 
emenda e revisão. 
REFORMA \u2013 qualquer alteração do texto constitucional, é o caso 
genérico, de que são subtipos a emenda e a revisão. 
EMENDA \u2013 é a modificação de certos pontos, cuja estabilidade o 
legislador constituinte não considerou tão grande como outros 
mais valiosos, se bem que submetida a obstáculos e formalidades 
mais difíceis que os exigidos para a alteração de leis ordinárias. 
REVISÃO \u2013 uma alteração anexável, exigindo formalidades e 
processos mais lentos e dificultados que a emenda, a fim de 
garantir uma suprema estabilidade do texto constitucional. 
- As emendas são, hoje, o único sistema de mudança formal da 
constituição, já que a revisão constitucional, prevista no art. 3º do 
ADCT, já se realizou, não sendo mais possível outra revisão nos 
termos ali previstos. Qualquer mudança formal na Constituição só 
deve ser feita legitimamente com base no art. 60 da CF, ou seja, 
pelo procedimento das emendas com os limites dali decorrentes. 
 
Poder Constituinte e Poder Reformador 
- A Constituição conferiu ao Congresso Nacional a competência 
para elaborar as emendas constitucionais. Poder constituído 
instituído ou constituído. É um poder que deriva do originário, por 
isso também é chamado de competência constituinte derivada ou 
constituinte de segundo grau. O poder constituinte originário 
FLÁVIA CAMPOS MACHADO 
Acadêmica de DIREITO (UEFS - III Semestre) 
2 
 
instituiu um poder constituinte reformador, ou poder de reforma 
constitucional, ou poder de emenda constitucional. 
- O agente (sujeito) da reforma é o poder constituinte originário, 
que atua em segundo grau, de forma indireta, pela outorga de 
competência a um órgão constituído para, em seu lugar, proceder 
às modificações na Constituição. 
PODER DE REFORMA CONSTITUCIONAL \u2013 (MANUEL GONÇALVES FERREIRA 
FILHO) é aquele poder, inerente à Constituição rígida que se destina 
a modificar essa Constituição segundo o que a mesma estabelece. 
Na verdade, o poder constituinte de revisão visa, em última 
análise, permitir mudança da Constituição, adaptação da 
Constituição a novas necessidades, a novos impulsos, a novas 
forças, sem que para tanto seja preciso recorrer à revolução, sem 
que seja preciso recorrer ao Poder Constituinte originário. 
 
Limites ao poder de reforma constitucional 
LIMITAÇÕES FORMAIS \u2013 o órgão do poder de reforma (CN) há de 
proceder nos estritos termos expressamente estatuídos na 
Constituição. 
LIMITAÇÕES TEMPORAIS \u2013 só a C1824 estabeleceu esse tipo de 
limitação. 
LIMITAÇÕES CIRCUNSTANCIAL \u2013 não se procederá à reforma da 
Constituição na vigência do estado de sítio, na vigência de 
intervenção federal ou de estado de defesa. 
LIMITAÇÕES MATERIAIS \u2013 há certos dispositivos que não podem ser 
objeto de emenda ou revisão. 
- limitações materiais explícitas \u2013 expressas pelo poder 
constituinte originário, que exclui determinadas matérias ou 
conteúdos da incidência do poder de emenda. \u2013 Art. 60, §4º - 
não será objeto de deliberação a proposta de emenda tenente a 
abolir: a forma federativa de Estado; o voto direto, secreto, 
universal e periódico; a separação dos Poderes; os direitos e 
garantias individuais. (Basta que a proposta de emenda se 
encaminhe, ainda que remotamente, \u201ctentada\u201d \u2013 tendentes, diz 
o texto constitucional.) 
- limitações implícitas (ou inerentes). 
 
Direito Constitucional, Alexandre de Moraes \u2013 págs. 22 a 24. 
Poder constituinte: 
- originário (1º grau) 
- derivado/constituído (2º grau) 
 
- PODER CONSTITUINTE ORIGINÁRIO: estabelece a Constituição de um 
novo Estado, organizando-o e criando os poderes destinados a reger os 
interesses de uma comunidade. / Pela análise histórica da constituição 
dos diversos países há a possibilidade de apontar duas básicas formas 
de expressão do poder constituinte originário: Assembleia Nacional 
Constituinte (convenção) ou Movimento Revolucionário (outorga). / 
Inicial, ilimitado, autônomo e incondicionado. 
FLÁVIA CAMPOS MACHADO 
Acadêmica de DIREITO (UEFS - III Semestre) 
3 
 
- PODER CONSTITUINTE DERIVADO: está inserido na própria constituição, 
pois decorre de uma regra jurídica de autenticidade constitucional, 
portanto, conhece limitações constitucionais expressas e implícitas e é 
passível de controle de constitucionalidade. / Derivado, subordinado e 
condicionado. / Dividi-se em: PODER CONSTITUINTE DERIVADO 
REFORMADOR (possibilidade de alteração da constituinção; 
emendas/revisão) e PODER CONSTITUINTE DERIVADO DECORRENTE 
(constituições estaduais). 
 
Direito Constitucional, Alexandre de Moraes \u2013 págs. 597 a 603. 
Emendas Constitucionais 
O legislador constituinte de 1988, ao prever a possibilidade de alteração 
das normas constitucionais através de um processo legislativo especial 
e mais dificultoso que o ordinário, definiu a CF/88 como rígida, fixando 
a ideia de supremacia da ordem constitucional. (...) A revisão serve para 
alterar a constituição, mas não para mudá-la, uma vez que não será 
uma reforma constitucional o meio propício para fazer revoluções 
constitucionais. 
Materiais: \u201ccláusulas pétreas\u201d \u2013 CF art. 60, §4º. 
Circunstanciais: CF, art. 60, §1º. 
Formais: referentes ao processo legislativo \u2013 CF, art. 60, I, II e III, 
§2º, 3º e 5º. 
* Limitações materiais implícitas \u2013 suspensão das expressas e alteração 
do titular do poder constituinte derivado reformador. 
 
Subseção II 
Da Emenda à Constituição 
 
Art. 60. A Constituição poderá ser emendada mediante proposta: 
 I - de um terço, no mínimo, dos membros da Câmara dos Deputados ou do 
Senado Federal; 
 II - do Presidente da República; 
 III - de mais da metade das Assembleias Legislativas das unidades da 
Federação, manifestando-se, cada uma delas, pela maioria relativa de seus 
membros. 
§ 1º - A Constituição não poderá ser emendada na vigência de intervenção federal, de 
estado de defesa ou de estado de sítio. 
§ 2º - A proposta será discutida e votada em cada Casa do Congresso Nacional, em 
dois turnos, considerando-se aprovada se obtiver, em ambos, três quintos dos votos 
dos respectivos membros. 
§ 3º - A emenda à Constituição será promulgada pelas Mesas da Câmara dos 
Deputados e do Senado Federal, com o respectivo número de ordem. 
§ 4º - Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir: 
 I - a forma federativa de Estado; 
 II - o voto direto, secreto, universal e periódico; 
 III - a separação dos Poderes; 
 IV - os direitos e garantias individuais. 
§ 5º - A matéria constante de proposta de emenda rejeitada ou havida por prejudicada 
não pode ser objeto de nova proposta na mesma sessão legislativa. 
 
 
Partes da Constituição 
 
Direito Constitucional, Alexandre de Moraes \u2013 pág. 15. 
Limitações