Fire assay.pptx

Fire assay.pptx


DisciplinaProspecção Geologica10 materiais202 seguidores
Pré-visualização1 página
Nomes
Aylton S. Coelho
Araújo P. Chinai
Jorge Peranhe Jr
 
 Tema: Fire Assay
Curso de Geologia Docente: Manuel Simbe
 3ª Ano 
 
 UP Beira 
2018
10° Grupo
O presente trabalho investigativo abordaremos sobre o método Fire assay que é um dos métodos que responsável pela técnica analítica mais utilizada na determinação de Au e Ag em amostras com alto teor de cobre, que requere separação prévia do cobre tornando ainda mais laborioso o método de Fire Assay (FA), além de propor melhorias para este método, como: o uso de nova mistura de fundentes visando baixar a temperatura de fusão, uso de cobre para solubilizar os metais nobres para formação da liga em substituição ao chumbo e o emprego de Forno Mufla por microondas na etapa de copelação. 
Introdução 
É um método susceptível a erros sistemáticos devido ao grande número de etapas, lento, caro e ambientalmente insustentável devido à quantidade de reagentes utilizados e resíduos gerados (e.g. chumbo).
 
Fire Assay 
Diante dessas importantes desvantagens, o desenvolvimento de métodos que apresenta exactidão, precisão, boa frequência analítica, custo e que gere poucos resíduos se tornam necessários para a melhoria do controle de qualidade desses materiais. Sendo assim, o objectivo dessa pesquisa foi o desenvolvimento de método para a determinação simultânea de Au, Ag e Pd. 
 
A técnica analítica preferencialmente utilizada para determinação de ouro em materiais geológicos é a fusão chumbo-fire assay, que é responsável pela geração do resíduo sólido copela.
Os resíduos gerados durante o tratamento do resíduo copela, tanto pelo processo de fusão alcalina como pelo hidrometalúrgico, também foram classificados segundo ABNT NBR 10004 (2004) e os efluentes gerados foram avaliados segundo parâmetros arsênio, chumbo e ferro da Deliberação Normativa Conjunta COPAM/CERH-MG N°1 (2008). 
Dentre os diversos métodos existentes para se analisar o teor de ouro em joias, o método da copelação (fire assay), com margem de erro de apenas 0,02%, é utilizado como padrão internacional. 
É considerado a técnica mais eficiente de análise de ouro. A platina e o paládio também podem ser determinados por teste de fusão e copelação de chumbo, mas o grupo PGE completo, com os seis elementos, é melhor determinado por teste copelação e fusão de sulfeto de níquel. A maioria dos laboratórios da rede global da SGS ofercem determinações de ouro por testes de fusão e copelação com um nível inigualável de perícia analítica.
.
O teste de fusão e copelação fire assay
O teste de copelação e fusão de chumbo é usado para determinar ouro em todos os tipos de amostra, incluindo rochas, núcleos de perfuração, solo e amostras de lascas. A SGS pode usar vários tamanhos de amostra (15, 30 e 50 g), dependendo do conteúdo de ouro previsto e grau de homogeneidade esperado. Este método padrão do sector e de eficiência comprovada tem várias etapas
 
A amostra pulverizada é pesada e misturada com um agente de escorificação. O chumbo é adicionado como coletor. A amostra é então aquecida em uma fornalha a aproximadamente 1000 graus. Depois de cerca de 20 minutos, a amostra se funde e os metais preciosos e chumbo estarão separados da escória de silicato para formar um "botão" no fundo do cadinho. Esse botão contém os minerais preciosos.
Fusão
 Uma vez que a amostra tenha sido removida da fornalha e esfriado, o botão de chumbo é separado da escória de silicato. Os metais preciosos são então extraídos por um processo chamado copelação.
Durante a copelação, o chumbo do botão se oxida e é absorvido na copela, deixando um grânulo de metal precioso chamado prill. O conteúdo de ouro do prill é determinado através da pesagem (graviometricamente) ou dissolvido em água-régia.
Extracção de Metais Preciosos
Uma vez na solução, ouro, platina e paládio podem ser analisados por vários métodos:
Absorção atômica de chama (AA)
Espectrometria de emissão ótica com plasma indutivamente acoplado (ICP-OES)
Espectrometria de massas com fonte de plasma indutivamente acoplado (ICP-MS)
Análise instrumental por ativação com nêutrons (INAA).
Análise e Detecção
Link
https://www.youtube.com/watch?v=1kCu4Ir3ctw&spfreload=10
fim 
GRATO PELA ATENÇÃO DISPENSADA
 
 O NOSSO MUITO OBRIGADO