apol teoria e critica
5 pág.

apol teoria e critica


DisciplinaLiteratura22.585 materiais95.382 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Ava UnivirtusVoltarSONISLEY SILVA 
RU: 2176747
Avisos
CURSO: LICENCIATURA EM LETRAS: SEGUNDA LICENCIATURA
TEORIA E CRÍTICA LITERÁRIA
Roteiro de Estudo
Avaliações
Tutoria
Fórum
Trabalhos
Chat
Rádio Web
Avisos
AVALIAÇÃO
NOVO
Parte superior do formulário
Parte inferior do formulário
SONISLEY FREITAS DA SILVA - RU: 2176747 
Nota: 40
PROTOCOLO: 2018070921767471D74564
Disciplina(s):
Teoria e Crítica Literária
	Data de início:
	09/07/2018 14:34
	Prazo máximo entrega:
	- 
	Data de entrega:
	10/07/2018 23:45
Atenção. Este gabarito é para uso exclusivo do aluno e não deve ser publicado ou compartilhado em redes sociais ou grupo de mensagens.
O seu compartilhamento infringe as políticas do Centro Universitário UNINTER e poderá implicar sanções disciplinares, com possibilidade de desligamento do quadro de alunos do Centro Universitário, bem como responder ações judiciais no âmbito cível e criminal.
Questão 1/5 - Teoria e Crítica Literária
Considere o seguinte excerto de texto: 
\u201cNa realidade, para as teorias que adotam o ponto de vista do leitor, é o próprio texto que é percebido como uma língua (uma partitura, um programa), em oposição à sua concretização na leitura, considerada como uma fala\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: COMPAGNON, Antoine. O demônio da teoria: literatura e senso comum. Trad. Cleonice Paes Barreto Mourão e Consuelo Fortes Santiago. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001. p. 157. 
Tendo em vista a citação e de acordo com os conteúdos do texto-base Recepção e leitura no horizonte da literatura sobre o \u201chorizonte de expectativa\u201d e a \u201cdistância estética\u201d, analise as seguintes proposições:
I. O \u201chorizonte de expectativa\u201d de Jauss é considerado do leitor, mas construído coletivamente. 
PORQUE 
II. A \u201cdistância estética\u201d rompe com códigos e normas que estão ligados ao \u201chorizonte de expectativas\u201d.
 
A respeito dessas asserções, assinale a alternativa correta:
Nota: 0.0
	
	A
	As asserções I e II são proposições verdadeiras, e a II é uma justificativa correta da primeira.
	
	B
	As asserções I e II são proposições verdadeiras, mas a II não é uma justificativa correta da primeira.
\u201cSegundo Jauss, as épocas ou as sociedades constituem horizontes de expectativa dentro dos quais as obras se situam. Essas expectativas advêm da \u2018compreensão prévia do gênero, da forma e da temática das obras anteriormente conhecidas e da oposição entre linguagem poética e linguagem prática\u2019. [...] O leitor, portanto, coincide com o horizonte de recepção ou acolhimento de uma obra. Essa, por sua vez, destaca-se quando não se equipara a esse horizonte, pois, se o fizesse, nem seria notada. Com efeito, cada obra procura se particularizar diante do universo para o qual se apresenta, particularização que se evidencia quando ela rompe com os códigos e as normas predominantes. Assim, ela estabelece um intervalo entre o que se espera e o que se realiza, a que Jauss denomina \u2018distância estética\u2019\u201d (texto-base Recepção e leitura..., p. 93).
	
	C
	A asserção I é uma proposição verdadeira, e a II é uma proposição falsa.
	
	D
	A asserção I é uma proposição falsa, e a II é uma proposição verdadeira.
	
	E
	As asserções I e II são proposições falsas.
Questão 2/5 - Teoria e Crítica Literária
Considere a seguinte passagem de texto: 
\u201cA teoria surge no momento em que uma prática começa a voltar-se sobre si mesma, para esmiuçar as condições de suas próprias possibilidades [...]\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. Trad. Waltensir Dutra. São Paulo: Martins Fontes, 2006. p. 330.
Levando em consideração o fragmento do texto dado e os conteúdos do texto-base Crítica feminista: uma contribuição para a história da literatura sobre os interesses e desenvolvimentos dos Estudos Culturais, analise as assertivas que seguem e marque V para as verdadeiras e F para as falsas:
I. ( ) Os Estudos Culturais valorizaram a cultura popular e a cultura urbana.
II. ( ) Os Estudos Culturais reafirmaram a unicidade do cânone.
III. ( ) Os Estudos Culturais prezaram novas abordagens metodológicas em diálogo com mais de uma disciplina.
IV. ( ) Expressões antes marginalizadas foram desconsideradas pelos Estudos Culturais. 
Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:
Nota: 0.0
	
	A
	V \u2013 F \u2013 V \u2013 F
\u201cOs estudos culturais, associados ao pós-modernismo, englobam uma série de disciplinas, entre elas as relacionadas à literatura [afirmativa III, verdadeira]. Associados aos movimentos de vanguarda, valorizaram expressões culturais normalmente marginalizadas [afirmativa IV, falsa], tais como a cultura popular ou a cultura urbana [afirmativa I, verdadeira, verdadeira]. Essa abertura proporcionou vários questionamentos relativamente à história da literatura e ao cânone como registro de obras consagradas e referendadas pela academia. Na medida em que foi atribuído valor a obras que não pertenciam ao cânone, suas normas foram questionadas, validando-se novas abordagens, o que destituiu a unicidade do cânone e da própria história da literatura [afirmativa II, falsa], ambos, agora, caracterizando-se pela pluralidade\u201d (texto-base Crítica feminista..., p. 410).
	
	B
	F \u2013 F \u2013 V \u2013 V
	
	C
	F \u2013 V \u2013 V \u2013 F
	
	D
	V \u2013 V \u2013 F \u2013 F
	
	E
	F \u2013 F \u2013 F \u2013 V
Questão 3/5 - Teoria e Crítica Literária
Leia o excerto de texto a seguir:
\u201cNo final do século XX, uma revista semanal de grande circulação no Brasil [...] publicou uma reportagem em que se indagava se ainda haveria crítica literária nos jornais diários, prática comum durante o século XIX e, pelo menos, até a primeira metade do século XX\u201d.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integralmente, ele está disponível em: RIBEIRO, José Alcides; JUNIOR, José Ferreira; TEIXEIRA, Lucilinda. A crítica literária e a polemica jornalística: as contribuições de Aluísio Azevedo e Machado de Assis. Revista USP. n. 104, p. 193-198, jan./fev./mar., 2015. <https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/106766/105403>. Acesso em 09 abr. 2018. p. 193.
Levando em consideração o fragmento de texto dado e os conteúdos do texto-base Ocaso da literatura ou falência da crítica? quanto à publicação de crítica literária por jornais, analise as assertivas a seguir, assinalando V para as verdadeiras e F para as falsas:
I.   ( ) O amplo espaço para a crítica em jornais se justifica até hoje.
II.  ( ) O mercado reduziu muito o espaço para a publicação de crítica e os autores não têm mais a liberdade de outrora.
III. ( ) Apesar do espaço reduzido para a crítica, os jornais ainda contemplam esse tipo de publicação.
IV.  ( ) Os ensaios e críticas continuam longos, já que têm em vista os criteriosos inquéritos de opinião, e isso diminui o interesse do leitor.
Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:
Nota: 20.0
	
	A
	V \u2013 F \u2013 V \u2013 F
	
	B
	F \u2013 F \u2013 V \u2013 V
	
	C
	F \u2013 V \u2013 V \u2013 F
Você acertou!
Comentário: I, falsa: \u201cAltos seriam os custos da continuação do exercício desse papel; diante do reduzido interesse do público pela crítica [...]\u201d (texto-base Ocaso da literatura..., p. 18). II, verdadeira: \u201c[...] não mais se justificaria, no presente, o investimento com que arcavam os beneméritos suplementos de outrora [...]\u201d (p. 18). III, verdadeira: \u201c[...] nos dias de hoje, os jornais não se fecharam de todo à crítica [...]\u201d (p. 18). IV, falsa: \u201c[...] não mais se justificaria, no presente, o investimento com que arcavam os beneméritos suplementos de outrora, publicando ensaios tão longos como os que se permitia estampar o Suplemento Dominical do Jornal do Brasil [...]\u201d (p. 18).
	
	D
	V \u2013 V \u2013 F \u2013 F
	
	E
	F \u2013 V \u2013 F \u2013 V
Questão 4/5 - Teoria e Crítica Literária
Considere o seguinte excerto de texto: 
\u201cA avaliação dos textos literários (sua comparação, sua classificação, sua hierarquização) deve ser diferenciada do valor da literatura em