A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
56 pág.
Módulo IV - Abrangências em Ações de Saúde (AAS)

Pré-visualização | Página 7 de 23

a respeito e viabilizando o pagamento de 
seus gastos pela esfera Federal. Já em 1984 o Canadá criou uma legislação federal bastante 
específica, denominada Canada Health Act (CHA), que prevê que todos os cidadãos tenham 
acesso a serviços de saúde gratuitamente, os gastos são cobertos pelo fundo público, mas os 
serviços são prestados por empresas privadas (CANADA HEALTH ACT; 1985). 
Com mais de 35 milhões de habitantes e o segundo maior território do mundo, o Canadá se 
destaca nos indicadores sociais, mantendo os índices de analfabetismo, de mortalidade infantil 
e de natalidade baixos (MOURA; 2006). 
O sistema de saúde se caracteriza por ser universal e público, ou seja, não há a possibilidade de 
aderir a um plano de saúde, existe apenas a extensão da cobertura normal, que lha dá acesso a 
alguns pequenos benefícios, como ambulância e quarto privativo em um hospital, mas não 
importa quão rico seja o cidadão, o tratamento recebido será exatamente igual para todos, mas 
o funcionamento, apesar de ser muito bom, não é perfeito, pois existem grandes filas de espera 
para todo e qualquer atendimento. O sistema apesar de ser administrado pelo governo e de ser 
universal, não necessariamente é gratuito, em algumas províncias se paga mensalidades para a 
utilização dos serviços de saúde (MOURA; 2006). 
CUBA 
O MINSAP é responsável por dirigir o sistema de saúde cubano e por manter o caráter social 
e estatal da medicina. Ele garante a acessibilidade, a gratuidade, a participação comunitária, a 
intersetorialidade, o controle e a vigilância epidemiológica e dos produtos e substâncias, as 
investigações biomédicas, a produção, a exportação e a importação de fármacos e 
equipamentos médicos (MADUREIRA, 2010). 
A administração do SNS é realizada em três níveis: o nacional, o provincial e o municipal. As 
províncias abrigam, em seus municípios, outros sistemas de saúde, denominados sistemas locais 
e realizam assembleias, as quais a direção do sistema está subordinada. Além disso, a gestão 
dos serviços configura-se em quatro níveis: nacional, provincial, municipal e setorial 
(DOMÍNGEZ-ALONZO; ZACCA, 2011). 
Além de dirigir o sistema de saúde, o MINSAP operacionaliza as ações de saúde pública a partir 
da concepção de uma obrigatoriedade social, de que a rede gerencial da saúde se configure 
como um arranjo institucional capaz de mobilizar os atores sociais e os profissionais a 
desenvolverem suas funções sob aquela concepção. Para isso, são considerados como princípios 
norteadores do sistema de saúde: universalidade; gratuidade; acessibilidade; continuidade; 
responsabilidade; integralidade da atenção (LÓPEZ PUIG et al, 2011, p. 2). 
No que tange a configuração dos níveis de atenção à saúde, o sistema cubano é concebido a 
partir de quatro níveis: primário, secundário, terciário e quaternário. No nível primário, destaca-
se a ampla cobertura e a baixa complexidade dos serviços de saúde, centrados nas Equipes de 
Saúde Básica e no Programa Médico de Família. Para o nível secundário, dá-se uma menor 
cobertura e maior complexidade dos serviços de saúde, a partir da insuficiência do nível primário 
em resolver o problema de saúde. Já nos níveis terciário e quaternário, as características são 
cobertura mínima e alta complexidade, a partir da necessidade de internação do usuário. No 
terceiro nível, destacam-se as internações por diagnóstico e tratamento, enquanto que, no 
quarto nível, são prestados os cuidados intensivos (MADUREIRA, 2010, p. 14-16). 
O financiamento e gastos com a saúde em Cuba são identificados conforme a seguinte tabela: 
Daniela Junqueira Gomes Teixeira 
 
Dessa forma, pode-se observar que o percentual do PIB cubano utilizado para custear a saúde é 
de 8,8%. Todavia, destaca-se o percentual dos gastos financeiros do governo na saúde, 
totalizando 93%. Através desse dado, é possível identificar uma predominância do 
financiamento do governo quanto à saúde. 
O SSC está estruturado em 4 níveis dando-se um grande relevo aos Cuidados de Saúde Primários, 
Nível Primário, dada a premissa de ser melhor gastar um pouco na prevenção do que, mais tarde, 
muito no tratamento de doenças avançadas. Assim, temos um Nível Primário, com ampla 
cobertura e baixa complexidade, composto por Equipas de Saúde Básica responsáveis por 
implementar o Programa de Médico de Família, sendo compostas por um médico e um 
enfermeiro, que trabalham num Consultório responsável por cerca de 800 pessoas residentes 
nos quarteirões vizinhos. O Programa de Médico de Família (PMF) tem a responsabilidade de 
compreender o indivíduo e a seu estado de doença integrando-os num contexto de família, casa 
e localidade que o influenciam e por quem são influenciados, visando a prevenção de doenças 
e a promoção de Saúde, utilizando a consulta, a visita domiciliária e assistência educativa para a 
Saúde como maiores ferramentas para este fim. O PMF tem também funções de monitorização 
e controlo epidemiológico, estando em estreita ligação com o Ministério da Saúde Pública 
(MINSAP) que determina quais as doenças a monitorizar e define o Programa de Controlo de 
Doenças Transmissíveis, para a prevenção da disseminação na família, amigos e comunidade. 
(Lee, T. Dresang et al., 2005) O Grupo de Trabalho Básico (GTB) é uma equipa que assiste a 
Equipa de Saúde Básica (ESB) em programas de saúde, tais como os Cuidados de Materno-
Infantis, Assistência Estomatológica, Assistência Médica do Adulto Maior e outros. Para além 15 
do referido, o GTB tem funções de formação e supervisão das ESB. As ESB e os GTB estão 
organizados por Áreas de Saúde, nas quais existe um Policlínico, Hospital de pequena dimensão, 
para onde são enviados os doentes que o Médico de Família entende que necessitam de 
consultas de especialidade, de meios complementares de diagnóstico ou de terapêuticas fora 
do seu alcance (Anderson, Matt et al.). Todos os Policlínicos oferecem cerca de 25 serviços, entre 
os quais de encontram: Electrocardiograma de urgência e electivo, Radiografia, Endoscopia, 
Ultrassonografia, Optometria, Laboratório Clínico, Imunização, Atenção Integral ao Diabético e 
ao Idoso, Traumatologia, entre outros. Dependendo das características da Área de Saúde a que 
está adstrito também poderá ter outras competências e consultas de especialidade de que esta 
necessite. (Diaz Novás J et al.) Existindo 498 por toda a ilha, os Policlínicos são, assim, o centro 
de uma determinada Área de Saúde, usualmente sem internamento e com um pequeno Serviço 
de Urgências, responsáveis por fazer a ligação com o Nível Secundário. Do Nível Secundário, 
menor cobertura com maior complexidade, fazem parte os hospitais regionais e municipais, 
Daniela Junqueira Gomes Teixeira 
para onde os doentes são encaminhados, quando o Nível Primário é insuficiente para a 
resolução do seu problema. As unidades deste nível têm, assim, meios complementares de 
diagnóstico mais específicos e sofisticados, como laboratórios de Anatomia Patológica, 
Ressonância Magnética, Medicina Nuclear, Angiografia, entre outros, que não existem nos 
Policlínicos. Os níveis Terciário e Quaternário, de cobertura mínima e complexidade máxima, 
ocorrem quando há necessidade de internamento. O Terciário quando o internamento acontece 
para diagnóstico e/ou tratamento e o Quaternário quando a condição do 16 doente requer 
Unidade de Cuidados Intensivos. Estes níveis de Cuidados de Saúde são fornecidos pelos 
hospitais mas também por institutos especializados. (INFOMED – www.infomed.sld.cu). Outras 
características que definem um carácter singular ao Sistema de Saúde Cubano são a 
administração de todas as estruturas de Saúde, desde o Consultório ao Ministério da Saúde 
Pública, por profissionais de Saúde, ao contrário

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.