Propedêutica dermatológica e lesões elementares
8 pág.

Propedêutica dermatológica e lesões elementares


Disciplina<strong>cuidar</strong> 31 materiais2 seguidores
Pré-visualização2 páginas
PROPEDÊUTICA DERMATOLÓGICA 
Lesões elementares 
 
__________________________________________________________________ 
 
Propedêutica Dermatológica 
O exame clínico dermatológico deve ser realizado em ambiente iluminado, de preferência 
com a luz solar ou fluorescente. Uma das peculiaridades deste exame é que o exame físico 
precede a anamnese, que será guiada pelos achados dermatológicos. 
Exame Físico 
 Inspeção: Deve abranger todo o tegumento, inclusive cabelos, unhas e mucosas. A 
localização, topografia e distribuição da lesão são essenciais para o seu diagnóstico. 
 Palpação: Verificar se há lesões sólidas, alteração de espessura, umidade, volume ou 
consistência da pele. Observar se a elasticidade, mobilidade e turgor da pele são compatíveis 
com a sua idade. 
 Digitopressão ou Vitropressão: Pressiona-se a lesão com os dedos ou com um vidro, 
provocando isquemia local, isso permite distinguir o eritema da púrpura ou de outras manchas 
vermelhas. 
 Compressão: Avaliar edemas, a compressão linear avalia se há dermografismo. 
 Anamnese 
 Perguntar ao paciente sobre a presença de sinais e sintomas subjetivos como prurido, ardor 
ou dor, atentando quanto a presença de fatores desencadeantes ou se é mais freqüente em 
determinada hora do dia. 
 É de fundamental importância saber a história da lesão, quando ela surgiu, se há fatores de 
melhora ou piora, se houve uso de alguma medicação tópica ou sistêmica, se houve exposição 
solar ou a outros agentes químicos e físicos. 
Os antecedentes médicos e familiares do paciente também são importantes, questionar 
quanto ao histórico de atopia, se há outros familiares com alguma desordem dermatológica. 
 
Vanessa Lys Boeira 
 
 
 
Lesões Elementares 
Denominam-se lesões elementares alterações no tegumento cutâneo determinadas por 
processos inflamatórios, degenerativos, circulatórios, neoplásicos, por distúrbios do 
metabolismo ou por defeitos de formação. Da combinação de lesões elementares surgem os 
sinais morfológicos que caracterizam síndromes e afecções. 
São classificadas de acordo com os seguintes grupos: 
1. Alterações de cor 
2. Elevações edematosas 
3. Formações sólidas 
4. Coleções líquidas 
5. Alterações de espessura 
6. Perdas e reparações 
 
1.Alterações de Cor 
 Mancha ou Mácula 
 Alterações na cor da pele sem relevo ou depressão. 
Manchas Vásculo-sanguíneas 
Ocorrem por vasodilatação, constrição, ou pelo extravasamento de hemácias. 
Eritema: Mancha vermelha por vasodilatação, que desaparece com digito ou vitropressão. 
Púrpura: Mancha vermelha por extravasamento de hemácias, não desaparece com 
vitropressão. Muda de coloração de acordo com o tempo por alteração da hemoglobina 
tornando-se arroxeada e depois verde-amarelada. É chamada de petéquia quando possui até 
1cm e de equimose quando possui mais de 1cm. 
 
 
 
Eritema malar: Eritema 
infeccioso 
Petéquias Equimose 
cliente
Realce
cliente
Realce
 
 
Manchas Pigmentares 
Manchas pigmentares ou discromias resultam de diminuição ou aumento de melanina ou 
depósitos de outros pigmentos e substâncias na derme. 
Leucodermia: mancha branca por diminuição ou ausência de melanina. 
Hipocromia: redução da pigmentação. 
Acromia: ausência completa de pigmentação. 
Hipercromia: Cor variável por aumento de melanina ou outros pigmentos como sais biliares 
e carotenóides. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2. Elevações edematosas 
São elevações circunscritas causadas por edema na derme ou hipoderme. 
Urtica: elevação efêmera, irregular, de tamanho e cor variável do branco-róseo ao vermelho 
pruriginosa, resulta do extravasamento de plasma com formação de edema dérmico. 
Angioedema: área de edema circunscrito, que pode ocorrer no subcutâneo, causando 
tumefação. 
 
Leucodermia gutata: sinal de fotoenvelhecimento 
cutâneo 
Máculas hipocrômicas: Hanseníase 
Máculas acrômicas: Vitiligo Máculas hipercrômicas: Melasma 
 
 
 
 
 
3. Formações Sólidas 
Resultam de processo inflamatório ou neoplásico, atinge isoladamente ou conjuntamente 
epiderme, derme e hipoderme. 
Pápula: lesão sólida, circunscrita, elevada e menor que 1 cm. 
Placa: lesão elevada, de superfície geralmente plana, maior que 1 cm, pode apresentar 
superfície descamativa, crostosa ou queratinizada, pode ser formada pela confluência de 
pápulas. 
Nódulo: lesão sólida, circunscrita, saliente ou não de 1 a 3 cm de tamanho. 
Nodosidade ou tumor: lesão sólida, circunscrita e maior que 3 cm, o termo tumor é utilizado 
preferencialmente para neoplasia. 
Goma: nódulo ou nodosidade que se liquefaz na porção central, podendo ulcerar e eliminar 
material necrótico. 
Vegetação: Lesão sólida e pedunculada, com aspecto de couve-flor e superfície friável. 
Verrucosidade: Lesão sólida, elevada, de superfície dura e inelástica, formada por 
hiperqueratose. 
 
Urticária Angioedema 
Pápulas: Escabiose Nódulo: Carcinoma Basocelular Tumor: Melanoma 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
4. Coleções Líquidas 
Lesões de conteúdo líquido que pode ser serosidade, sangue ou pus. 
Vesícula: elevação circunscrita de até 1cm, com conteúdo claro (seroso) que pode se tornar 
turvo (purulento) ou rubro (hemorrágico). 
Bolha ou Flictena: difere-se da vesícula apenas pelo tamanho, que é maior que 1cm. 
Pústula: elevação de até 1cm e de conteúdo purulento. 
Abscesso:possui tamanho variável, é formado por coleção purulenta da pele ou tecidos 
subjacentes. Sinais flogísticos podem estar presentes:edema, dor, rubor, calor. 
Hematoma: formada por derrame de sangue na pele ou tecidos subjacentes, difere-se da 
equimose por haver alteração de espessura. Pode infectar e haver presença de sinais flogísticos, 
e o conteúdo hemorrágico pode tornar-se purulento. 
 
 
 
 
 
Goma:Sífilis terciária 
Vegetação: Condiloma acuminado Verrucosidade: Nevo epidérmico verrucoso 
Vesículas: Herpes Simples Bolhas: Penfigóide bolhoso 
Pústulas: Acne 
Placa: Líquen Plano 
 
 
 
 
 
5. Alterações de Espessura 
Queratose: espessamento da pele por aumento da camada córnea, tornando-se áspera e com 
a superfície amarelada. 
Liquenificação: espessamento da pele com acentuação dos sulcos e da cor própria, 
apresentando aspecto quadriculado. 
Edema: aumento de espessura, depressível, cor da própria pele ou rósea-avermelhada por 
extravasamento de plasma. 
Esclerose: alteração da espessura com aumento da consistência da pele, tornando-se 
lardácea ou coriácea. A pele pode estar espessada ou adelgaçada, havendo hiper ou hipocromia 
associadas. Resulta de fibrose do colágeno. 
Atrofia: diminuição da espessura da pele. Ocorre redução do número e volume dos 
constituintes teciduais. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hematoma 
 Queratose: hiperqueratose plantar 
Liquenificação 
Abscesso 
 
 
 
 
 
6. Perdas e Reparações Teciduais 
Lesões oriundas da eliminação ou destruição patológicas e de reparações em tecidos 
subcutâneos. 
Escama: massa furfurácea, micácea ou foliácea que se desprende as superfície cutânea por 
alteração de queratinização. 
Exulceração: perda superficial somente de epiderme. 
Ulceração: perda circunscrita de epiderme e derme, podendo atingir hipoderme e tecidos 
subjacentes. 
Fissura: perda linear da epiderme e derme, no contorno de orifícios naturais ou em áreas de 
pregas e dobras.