A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
Exercícios UNO História

Pré-visualização | Página 37 de 50

cul-
turais da colonização brasileira;
d) a campanha ressalta os aspectos de etnocídio e escravidão que marcaram a coloniza-
ção portuguesa no Brasil, derrubando os mitos a respeito de uma democracia racial
nos trópicos;
e) a campanha realça o papel dos portugueses na direção e organização da colonização
brasileira, omitindo ou relegando a posições subalternas a presença de indígenas e
africanos.
60. UFMS
“Em 1992, por ocasião dos 500 anos da viagem de Colombo, houve intenso e extenso debate
nas Américas e na Europa sobre o vocabulário adequado para descrever a chegada dos europeus
ao continente. Uma crítica devastadora foi então feita ao uso da palavra “descobrimento”, ou
“descoberta”, por representar um insuportável etnocentrismo europeu. De fato, só foi descobri-
mento para os europeus. Aqui viviam, em 1492, cerca de 50 milhões de habitantes, não muito
menos que a população da Europa.”
CARVALHO, José Murilo de. Folha de São Paulo, 3/10/1999.
Nestes últimos anos, o termo descobrimento voltou a ser empregado para anunciar as
celebrações oficiais de 500 anos da chegada de Pedro Álvares Cabral do Brasil. Para os
críticos atuais, o problema do uso do referido está no fato de que
01. falar em “descobrimento” implica dizer que as gentes e civilizações americanas só
tinham passado a ter existência real após a chegada dos europeus.
02. falar em “descobrimento” implica dar um tom falsamente neutro a um processo que
foi violento e genocida.
04. favorece a percepção de que a escrita da História é universal, da qual todos os povos
participam.
08. o genocídio, que a palavra “descobrimento” oculta, não ocorreu em territórios da
América Portuguesa, pois os povos indígenas ali encontrados não haviam produzido
civilizações.
16. o genocídio, que a palavra “descobrimento” esconde, não ocorre na América Espa-
nhola, pois os espanhóis construíram parcerias com os povos indígenas para a explo-
ração do ouro.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
HISTÓRIA - A primeira etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
22
Essa ilustração, referente ao trabalho colonial, apresenta elementos humanos e materiais
que permitem concluir que a atividade que está sendo realizada corresponde
a) à torrefação de café;
b) à fundição de metais preciosos;
c) à fabricação de farinha de mandioca;
d) ao preparo de pães;
e) à produção de açúcar.
61. PUC-DF Observe a figura abaixo:
62. UFGO-PS
“Os ritos semibárbaros dos Piagas
Cultores de Tupã, e a terra virgem
Donde, como dum trono, enfim se abriram
Da cruz de Cristo os piedosos braços;
As festas e batalhas mal sangradas
Do povo americano agora extinto
(...)
Agora inúteis setas, vão mostrando
A marcha triste e os passos mal seguros
De quem, na terra dos seus pais, embalde
Procura asilo, e foge o humano trato.”
O trecho da poesia Os timbiras, de Gonçalves Dias, apresenta o índio como representante
do povo americano e realça o sentido destruidor do
contato entre os índios e europeus na América portuguesa.
Relativamente a esse contato, sabe-se que
( ) a unidade cultural permitiu a articulação de formas de resistência, entre as várias
tribos, como modo de conter o avanço da colonização sobre as terras indígenas.
( ) o índio esteve presente na imaginação européia, nos séculos XVII e XVIII, por meio
dos relatos de viagens e da elaboração de utopias que criaram o mito do bom selvagem.
( ) o domínio da floresta, o conhecimento da fauna e da flora, o regime alimentar forma-
ram um conjunto de conhecimentos que foram incorporados pelos colonizadores.
( ) no século XIX, o índio dominou a imaginação de nossos artistas, transformando-se
em mito na obra de escritores românticos, como José de Alencar e Gonçalves Dias.
Identificando-o como símbolo da nacionalidade, tais escritores deixavam de lado,
quase sempre, o sentido destruidor da conquista européia.
63. U. Católica Dom Bosco-MS D. João III, ao implantar o sistema de capitanias hereditá-
rias no Brasil, tinha como objetivo
a) garantir a posse da terra, ameaçada pelos estrangeiros, principalmente franceses.
b) estabelecer um governo centralizado, visando evitar as incursões inglesas no litoral.
c) aplicar o capital português excedente em empreendimentos lucrativos além-mar.
d) cumprir um acordo feito com a Espanha, para enriquecer a Península Ibérica através
do açúcar brasileiro.
e) ocupar o sertão brasileiro, disputado pelos espanhóis após o Tratado de Tordesilhas.
Fonte: Inácio, I. C. e De Lucca, T. R. – Documentos do Brasil Colonial. SP. Ática, 1993.
HISTÓRIA - A primeira etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
23
64. UnB-DF A grande lavoura, no Brasil colonial, organizou-se para oferecer em grande escala,
para o exterior, gêneros tropicais produzidos em quantidade ínfima na Europa. A exploração
agrária, por esse motivo, manteve as características condicionadas pelos objetos mercantis.
Com auxílio dessas informações, julgue os itens abaixo, colocando C (certo) ou E (errado).
( ) Na grande lavoura colonial, que veio a se tornar parte da estrutura da formação
social e econômica brasileira, o latifúndio foi a saída para a obtenção de avultada
quantidade de produtos com baixo custo de produção.
( ) O sistema de donatários permitiu incrementar a transferência de imigrantes, à me-
dida que o governo português tornou disponíveis recursos financeiros e extensões
consideráveis de terra no Brasil para os interessados.
( ) Os “objetivos” mencionados no texto estavam enquadrados na lógica do capital
industrial; ou seja, a produção de matérias-primas nas colônias deveria, sobretudo,
reduzir o custo de vida na Europa.
( ) A exploração colonial fez parte de um conjunto de relações que envolveram o de-
clínio da aristocracia fundiária européia, o fortalecimento das monarquias nacio-
nais centralizadas e a ascensão da burguesia mercantilista das metrópoles.
65. UFMS
“Há muito a formação do povo brasileiro vem sendo estudada por antropólogos, historiadores
e sociólogos. Todavia, recentemente geneticistas da Universidade Federal de Minas Gerais apre-
sentam novos dados científicos sobre as origens dos brancos brasileiros: “A formação da popula-
ção brasileira tem provocado debates. Embora todos concordem que somos o produto de um
complexo processo de miscigenação entre ameríndios, europeus e africanos, as opiniões diver-
gem sobre os detalhes e o resultado desse processo. Afinal, quanto há de ameríndio, europeu e
africano em cada um de nós? Nosso estudo genético com DNA de brasileiros brancos revela que
a esmagadora maioria das linhagens paternas da população branca do país veio da Europa, mas
que, surpreendentemente, 60% das linhagens maternas são ameríndias ou africanas”
PENA, Sérgio D.J. et al. Retrato molecular do Brasil. Ciência Hoje.
Rio de Janeiro, 2000, v. 27, n. 159 p.16-25, p.16.
Com base nessa citação é correto afirmar que:
01. estudos genéticos são importantes para uma melhor compreensão de certos aspectos
da História do Brasil.
02. é inegável a contribuição de mulheres ameríndias e africanas na formação do povo
brasileiro, prova de sua diversidade genética.
04. é pertinente a tese do caráter triíbrido do povo brasileiro, quer dizer, que ele tenha
surgido a partir da miscigenação inicial ocorrida entre africanos, europeus e indígenas.
08. se muitos brancos brasileiros tomarem consciência de que também descendem de
mulheres ameríndias e africanas, talvez então seja menos difícil a construção de uma
sociedade mais justa, solidária e harmônica.
16. estudo genéticos comprovam que os brasileiros vivem em uma verdadeira democra-
cia radical e que, portanto, não há necessidade de existirem leis que proíbam a prá-
tica do racismo no país.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
66. UnB-DF Não foi a primeira, nem a última vez... Na