A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
Exercícios UNO História

Pré-visualização | Página 47 de 50

mais sustentação.”
A partir do contexto apresentado, analise as afirmativas que se seguem e escreva V para
as afirmativas verdadeiras ou F para afirmativas falsas, quanto à formação dos Estados
Nacionais.
( ) Os Estados Nacionais se formaram tendo em vista as necessidades da burguesia em
superar os entraves políticos ao seu desenvolvimento, enquanto classe ligada ao
comércio.
( ) Para a concentração dos poderes nas mãos do rei, pressuposto necessário à forma-
ção dos Estados Nacionais, além da aliança rei/burguesia, a tese do “direito divi-
no”, de Thomas Hobbes, serviu de base teórica para justificar a existência do Esta-
do Absolutista.
( ) Os “valores” e “forças” referenciados no texto acima dizem respeito aos valores e
forças do feudalismo que, no início da Idade Moderna, ainda não haviam sido to-
talmente destruídos.
( ) O Estado moderno absolutista, enquanto mecanismo de poder econômico ligado
aos interesses mercantis da burguesia, na fase de transição do feudalismo ao capi-
talismo, rompeu com os privilégios da nobreza feudal e da Igreja católica.
( ) A autoridade monárquica e a formação dos Estados Nacionais, no início da Idade
Moderna, foram favorecidas pelo crescente poder dos senhores feudais em seus
burgos e pelo poder temporal e espiritual da igreja e dos papas.
20. UFGO-PS
“A consciência da oposição entre “antigo” e “moderno” e, com ela, a formação de um concei-
to de modernidade surgiram durante o século XVI, com o Renascimento. À visão religiosa do
mundo feudal começa a contrapor-se uma outra secular, laica. Tal mudança coloca o homem no
centro do universo (antropocentrismo), abrindo novas perspectivas para o pensamento político e
religioso, assim como para o desenvolvimento das ciências.”
Assinale, a seguir, os fatos que caracterizam a Idade Moderna, colocando (C) para as
certas e (E) para as erradas.
( ) Os dogmas religiosos do catolicismo perdem o monopólio da explicação do mun-
do, e o método experimental passa a ser valorizado como meio de acesso ao conhe-
cimento da realidade.
( ) O Renascimento europeu corresponde à era das grandes navegações e das conquis-
tas, contudo tem como contrapartida, no processo de colonização do Novo Mundo,
o massacre de civilizações avançadas (inca, asteca, etc.).
( ) A formação do Estado Moderno está relacionada com o fortalecimento da nobreza
feudal que, aliada à Igreja, funda uma nova ordem política, baseada na centraliza-
ção do poder.
( ) A Reforma promove uma profunda revisão religiosa e política na sociedade européia
do século XVI, marcando a passagem do mundo feudal para o mundo moderno.
21. UFPE Sobre as guerras e revoltas que fortaleceram a formação dos Estados Modernos
europeus, relacione as colunas abaixo.
1. Portugal ( ) Guerra das Duas Rosas
2. Espanha ( ) Guerra dos Cem Anos
3. Inglaterra ( ) Guerra da Reconquista
4. França ( ) Revolução de Avis
A seqüência correta é:
a) 1,4,2, e 3 b) 3,4,1 e 2 c) 3,4,2 e 1 d) 2,1,4 e 3 e) 1,4,3 e 2
HISTÓRIA - Idade moderna I (até o final do século XVII)
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
8
22. UFPB As Reformas Religiosas são parte fundamental do nascimento do Mundo Mo-
derno, ocorrido entre os séculos XV e XVI. De fato, a religião esteve na base da organi-
zação sócio-política dos Estados absolutistas. Nesse sentido, é incorreto afirmar:
a) A Reforma Protestante iniciou-se a partir da ruptura de Martinho Lutero, monge agos-
tiniano, com a hierarquia da Igreja Romana, apoiada por parte significativa dos prín-
cipes alemães.
b) A Reforma Anglicana está associada à afirmação do absolutismo inglês, mantendo boa
parte da liturgia original do catolicismo romano, mas atribuindo à Coroa a chefia da Igreja.
c) A Reforma Calvinista deu origem a duas importantes correntes protestantes conheci-
das por puritanismo, na Inglaterra, e huguenote, na França. Ambas perseguidas pelas
respectivas monarquias, por não seguirem a religião oficial de seus Estados.
d) A Contra-Reforma deu-se em resposta às mudanças ocorridas na sociedade, resultan-
te da ruptura dos protestantes, tendo-se estruturado a partir do Concílio de Trento
(1545) e se apoiado nas monarquias católicas, como a França, a Espanha e Portugal.
e) A Reforma Presbiteriana se deu nos países da Europa do Leste, apoiando-se no abso-
lutismo Russo e influenciando o catolicismo no modelo de catequese propagado pela
Companhia de Jesus.
23. U. Santa Ursula-RJ O Renascimento é considerado por muitos historiadores como um
marco na revolução intelectual do Ocidente. Ocorreu primeiro na Itália e pode ser carac-
terizado por modificações nas artes em geral e em alguns conceitos anteriormente acei-
tos como imutáveis.
Assinale o mais correto:
a) O humanismo, o heliocentrismo e o uso da fé como base para todo e qualquer pensa-
mento ou criação artística.
b) As idéias de Santo Tomás de Aquino, a estética e os conceitos medievais.
c) O rompimento com a cultura e estética medievais, a valorização da cultura greco-
romana, o racionalismo e o mecenato.
d) A resistência da burguesia aos novos valores.
e) O teocentrismo, a aceitação dos dogmas da Igreja, o anti-naturalismo.
24. F.M. Triângulo Mineiro-MG
“Quase 500 anos depois que o monge agostiniano Martinho Lutero expôs publicamente suas
95 teses religiosas, nas quais condenava o comércio de indulgências pela Igreja Católica Romana
e dava início à Reforma, que cindiu o mundo cristão ocidental católicos e luteranos retomam o
diálogo. (...) a Igreja Católica e a Federação Luterana Mundial assinam hoje o primeiro documento
comum após séculos de afastamento.”
VLAHOU, Assimina. O Estado de S. Paulo, 31/10/99.
A cisão e o afastamento a que o texto se refere inserem-se no contexto:
a) de reação de setores da Igreja à implantação do Absolutismo Monárquico;
b) de transformações no início da Modernidade, com o aumento das críticas à Igreja;
c) da crise das instituições do antigo regime europeu, notadamente da Igreja;
d) da manutenção da hegemonia da Igreja, como durante a Idade Média.
e) do expansionismo marítimo promovido pelas igrejas reformadas.
25. Mackenzie-SP Renascimento é a denominação usual para as mudanças de caráter cultu-
ral ocorridas nos países europeus durante o período que vai, aproximadamente, de 1300
a 1650. No campo das ciências e das artes podemos considerar como expressões desse
período os trabalhos de:
a) René Descartes, Ludwig van Beethoven e Thomas Malthus.
b) Augusto Comte, Adam Smith e Igor Stravinsky.
c) Fillippo Marinetti, Luigi Russolo e R. Colligwood.
d) Johann Kepler, Josquin des Prés e William Shakespeare.
e) Richard Wagner, Georg Wilhelm Hegel e Francisco Goya.
HISTÓRIA - Idade moderna I (até o final do século XVII)
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
9
26. U.E. Ponta Grossa-PR Sobre o mercantilismo, linha de pensamento e de ação que, nos
séculos XVI, XVII e XVIII, uniu política e economia, na teoria e na prática, e que se
ligou na Europa ao surgimento do estado Nacional Moderno e ao fortalecimento do po-
der real, assinale o que for correto.
01. Não constituiu um sistema nem uma doutrina, pois não se articulou a partir de um
princípio universal e tampouco apresentou visão da totalidade dos fenômenos anali-
sados.
02. Na Espanha, onde era conhecido como Bulionismo, seus adeptos defendiam o au-
mento das exportações sobre as importações, para ampliar a estocagem de lingotes
de ouro e prata.
04. No século XVIII, o mercantilismo alterou sua visão a respeito das colônias e
suas práticas com relação a elas, passando a tratá-las como centros econômicos
autônomos.
08. Na França, onde era chamado de Colbertismo, seus adeptos procuravam evitar a
importação e desenvolver as manufaturas, aplicando um protecionismo alfandegário
para afastar a concorrência estrangeira.
16. O modelo Colbertista se expandiu para os países situados na periferia européia
(Rússia,