A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Sociedade e Inovação ,UCB, Exercícios (não avaliativos) e (Avaliativos)

Pré-visualização | Página 1 de 3

Sociedade e Inovação - Exercícios (não avaliativos) e (Avaliativos)
Exercícios (Não Avaliativos) 
Unidade 1 - Tecnologias
 Exclusão digital é um conceito que diz respeito às extensas camadas sociais que ficaram à margem do fenômeno da sociedade da informação e da extensão das redes digitais. O problema da exclusão digital se apresenta como um dos maiores desafios dos dias de hoje, com implicações diretas e indiretas sobre os mais variados aspectos da sociedade contemporânea. Nessa nova sociedade, o conhecimento é essencial para aumentar a produtividade e a competição global. É fundamental para a invenção, para a inovação e para a geração de riqueza. As tecnologias de informação e comunicação (TICs) proveem uma fundação para a construção e aplicação do conhecimento nos setores públicos e privados. É nesse contexto que se aplica o termo exclusão digital, referente à falta de acesso às vantagens e aos benefícios trazidos por essas novas tecnologias, por motivos sociais, econômicos, políticos ou culturais.
 Considerando as ideias do texto acima, avalie as afirmações a seguir:
 I. Um mapeamento da exclusão digital no Brasil permite aos gestores de políticas públicas escolherem o público-alvo de possíveis ações de inclusão digital.
II. O uso das TICs pode cumprir um papel social, ao prover informações àqueles que tiveram esse direito negado ou negligenciado e, portanto, permitir maiores graus de mobilidade social e econômica.
III. O direito à informação diferencia-se dos direitos sociais, uma vez que esses estão focados nas relações entre os indivíduos e, aqueles, na relação entre o indivíduo e o conhecimento.
IV. O maior problema de acesso digital no Brasil está na deficitária tecnologia existente em território nacional, muito aquém da disponível na maior parte dos países do primeiro mundo.
É correto apenas o que se afirma em: 
Resposta: I e II
Unidade 2 - Inovação
 (CESGRANRIO 2014 – FINEP) Os conceitos de grau de novidade e de difusão são importantes para o estudo da inovação. A difusão é o meio pelo qual as inovações se disseminam, através de canais de mercado ou não, a partir da sua primeira introdução para diferentes consumidores, países, regiões, setores, mercados e empresas. Sem difusão, uma inovação não tem impacto econômico.
Nesse contexto, verifica-se que: 
Resposta: As empresas pioneiras na implementação de inovações podem ser consideradas condutoras do processo de inovação, mas o impacto econômico das inovações vai depender da adoção das inovações por outras empresas..
Unidade 3 – Concorrência e Competitividade
Leia atentamente o texto abaixo para responder à questão.
Steve Blank explica por que grandes empresas não sabem inovar (Ron Ashkena)
O mais impressionante a respeito da lista de '50 Empresas mais Inovadoras' de 2013 da revista “FastCompany” é a relativa falta de empresas grandes e bem estabelecidas. Ao invés disso, a lista é dominada por grandes campeões tecnológicos dos últimos 20 anos, que integraram a inovação a seu DNA (Apple, Google, Amazon), e startups muito menores.
Isso não é muito surpreendente – empresas jovens só são capazes de sobreviver se encontrarem formas criativas de viabilizar novas ideias comerciais. Contudo, empresas bem estabelecidas possuem a mesma motivação para inovar e têm ainda mais recursos para investir. Portanto, por que a inovação não é uma característica das grandes empresas?
Para entender melhor essa questão, conversei recentemente com Steve Blank, empreendedor em série e coautor do livro “The Startup Owner's Manual” e pai do movimento das “startups light”. Ele cita três grandes razões pelas quais empresas bem estabelecidas têm dificuldade de inovar.
Em primeiro lugar, o foco das empresas bem estabelecidas é executar um modelo de negócios que já existe. Por outro lado, o principal trabalho de um startup é procurar um modelo de negócios funcional – trabalhar criativamente para encontrar a medida certa entre as necessidades dos clientes e o que a empresa pode oferecer de forma lucrativa.
Em segundo lugar, encontrar um modelo de negócios viável não é um processo linear que pode ser guiado por um plano de negócios. Ele exige a busca de novos caminhos e a realização contínua de ajustes. Sendo assim, criar um novo modelo de negócios é algo inerentemente arriscado e com muito mais chances de fracassar que de funcionar. Infelizmente, empresas estabelecidas tem pouca tolerância ao risco, o que só aumenta a possibilidade de que seus empreendimentos novos e inovadores fracassem.
Por fim, Blank destaca que as pessoas mais bem qualificadas para procurar novos modelos de negócios e conduzir experimentos interativos, geralmente, não são as pessoas que se saem bem no comando de unidades de negócios preexistentes. Empreendedores internos têm mais chance de serem os rebeldes que questionam as velhas formas de fazer as coisas e que possuam grande tolerância à falha. 
Ainda assim, ao invés de escolher essas pessoas para criar novos empreendimentos, as grandes empresas geralmente selecionam gestores de grande potencial que possuem ascompetências desejadas e são mais fáceis de controlar. 
Em resumo: o processo de começar um novo negócio – independentemente da originalidade da ideia – é completamente diferente de gerenciar uma empresa bem sucedida. Portanto, se você quer que sua empresa cresça de forma orgânica, é preciso organizar seus esforços em torno dessa diferença.
Fonte: (Ron Ashkenas é sócio-gerente da Schaffer Consulting e atualmente é executivo residente na Escola de Negócios Haas da Universidade da Califórnia em Berkeley. Seu livro mais recente é 'Simplesmente Eficaz'.). Adaptado.
De acordo com o texto, analise as afirmativas abaixo. 
I. A revista “FastCompany” publicou uma lista de 50 Empresas Mais Inovadoras de 2013. O que surpreende é o fato de que, entre estas, constam poucas empresas grandes e bem estabelecidas. 
II. Empresas jovens são mais inovadoras e criativas, enquanto empresas bem estabelecidas visam a executar um modelo de negócios preexistentes. 
III. Gerenciar uma empresa bem sucedida é como começar um novo negócio com empreendedorismo, tecnologia e originalidade. 
É correto o que se afirma em: 
Resposta: I e II, apenas..
Unidade 4 - Tecnologias de Informação e Comunicação
No que diz respeito ao uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação (TIC) nas práticas pedagógicas fundamentadas nas teorias críticas, é INCORRETO afirmar:
Resposta: A mediação tecnológica é adotada com o objetivo primeiro de estabelecer relações intrínsecas entre educação e preparação para o mundo do trabalho, observando, sobretudo, a lógica da competitividade instaurada no mundo globalizado.
Unidade 5 - Empreendedorismo
(FUNDAÇÃO DOM CINTRA – 2014 – FIOCRUZ) O empreendedorismo coorporativo tem sido empregado, de forma crescente, como estratégia corporativa por empresas e organizações públicas e privadas, que atuam em ambiente competitivo, de densidade científica, sobretudo tecnológica.
Dentre as afirmações abaixo, assinale a que NÃO faz parte do rol de motivos que levam as empresas a adotar tal estratégia:
Resposta: Explorar recursos corporativos pouco utilizados.
Unidade 6 – Plano de Negócio
 (INEP – 2011 – ENADE) O plano de negócios é um documento usado para descrever um empreendimento e o modelo de negócios que sustentam a empresa. Sua elaboração envolve um processo de aprendizagem e autoconhecimento e ainda permite ao empreendedor situar-se no seu ambiente de negócios. (DORNELAS, J. C. A. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. Rio de Janeiro: Campus, 2001, p. 97)
A respeito do plano de negócios, avalie as seguintes afirmações:
I. O plano de negócios é importante para gerenciar de forma mais eficaz a empresa e tomar decisões acertadas e identificar oportunidades e transformá-las em diferencial competitivo para a empresa.
II. Porque permite estabelecer comunicação interna eficaz na empresa e convencer o público-alvo externo: fornecedores, parceiros, clientes, bancos, investidores, etc. sobre os benefícios e os

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.