LIVRO LOGÍSTICA REVERSA KLS UNOPAR COMPLETO
240 pág.

LIVRO LOGÍSTICA REVERSA KLS UNOPAR COMPLETO


DisciplinaLogística Reversa2.116 materiais39.465 seguidores
Pré-visualização50 páginas
U
N
O
PA
R
LO
G
ÍSTIC
A
 REV
ERSA Logística
Reversa
Adriano Rosa Alves
Marcio Ronald Sella
Alessandra Petrechi de Oliveira
Logística Reversa
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) 
 Alves, Adriano Rosa 
 
 ISBN 978-85-8482-202-7
 1. Logística empresarial. 2. Administração de material. 
Sella, Marcio Ronald. II. Oliveira, Alexandra Petrechi de. 
Título. 
 CDD 586
Sella, Alessandra Petrechi de Oliveira. \u2013 Londrina: Editora e 
Distribuidora Educacional S. A., 2015.
 236 p. : il.
A474L Logística reversa / Adriano Rosa Alves, Márcio Ronald
© 2015 por Editora e Distribuidora Educacional S.A 
Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida 
ou transmitida de qualquer modo ou por qualquer outro meio, eletrônico ou mecânico, 
incluindo fotocópia, gravação ou qualquer outro tipo de sistema de armazenamento e 
transmissão de informação, sem prévia autorização, por escrito, da Editora e 
Distribuidora Educacional S.A.
Presidente: Rodrigo Galindo
Vice-Presidente Acadêmico de Graduação: Rui Fava
Diretor de Produção e Disponibilização de Material Didático: Mario Jungbeck
Gerente de Produção: Emanuel Santana
Gerente de Revisão: Cristiane Lisandra Danna
Gerente de Disponibilização: Nilton R. dos Santos Machado
Editoração e Diagramação: eGTB Editora
2015
Editora e Distribuidora Educacional S. A. 
Avenida Paris, 675 \u2013 Parque Residencial João Piza
CEP: 86041 -100 \u2014 Londrina \u2014 PR
e-mail: editora.educacional@kroton.com.br 
Homepage: http://www.kroton.com.br/
I.
III.
Sumário
Unidade 1 | Logística e seus conceitos
Seção 1 - Os conceitos e fundamentos da logística e canais de 
distribuição
1.1 | Fundamentos da logística
1.2 | A importância e a missão da logística
1.3 | A interface de marketing e logística
1.4 | A cadeia de suprimentos orientada para o mercado
1.5 | A cadeia de suprimentos sincrônica
1.6 | Gerenciando a cadeia global
Seção 2 - Os canais de distribuição reversa: fundamentos; 
competitividade e questões legais
2.1 | Conceitos de canais de distribuição e logística reversa
2.2 | A logística reversa como estratégia empresarial 
2.3 | A legislação aplicada sobre a logística reversa no Brasil
2.4 | Aspectos da implantação da Logística Reversa
2.5 | O gerenciamento de resíduos sólidos no Brasil
2.6 | A logística reversa \u2013 elementos de um instrumento sustentável
Unidade 2 | Canais de distribuição reversos de bens pós-consumo
Seção 1 - O produto logístico de pós-consumo
1.1 | Natureza e classificação dos bens pós-consumo
1.2 | Tendência à descartabilidade dos bens de consumo
1.3 | Consumo, consumismo e consumo sustentável
 1.3.1 | Lançamento de novos produtos
 1.3.2 | Produção de eletroeletrônicos
 1.3.2.1 | Telefonia móvel
 1.3.2.2 | Informática
 1.3.3 | Produção de materiais plásticos
 1.3.3.1 | Embalagens descartáveis: indústria alimentícia
 1.3.4| Produção de automóveis
9
13
13
17
20
23
26
29
35
35
39
42
45
46
48
59
63
63
64
66
67
68
71
72
74
77
80
Seção 2 - Natureza dos canais de distribuição reversos de bens 
de pós-consumo 
2.1 | Os canais reversos de reuso
2.2 | Os canais reversos de remanufatura
2.3 | Os canais reversos de reciclagem
2.4 | Planejamento operacional na cadeia de valor da logística reversa
 2.4.1 | Plano de preparação e acondicionamento
 2.4.2 | Plano para coleta e transporte
 2.4.3 | Plano de beneficiamento
 2.4.4 | Plano de destinação final
2.5 | Ciclos reversos abertos e fechados de reciclagem
 2.5.1 | Canais de distribuição reversos de ciclo aberto
 2.5.2 | Canais de distribuição reversos de ciclo fechado
2.6 | A logística reversa e a política nacional de resíduos sólidos
Unidade 3 | Canais de distribuição reversos de bens pós-venda
Seção 1 - Identificação do produto pós-venda
1.1 | Barreiras à logística reversa \u2013 pós-venda
Seção 2 - Categorias de fluxos reversos de pós-venda
2.1 | Categoria Comercial
 2.1.1 | Retornos não contratuais
 2.1.1.1 | E-commerce (erros de expedição do pedido)
 2.1.2 | Retornos contratuais
 2.1.2.1 | Retorno de produtos em consignação
 2.1.2.2 | Retorno de embalagens retornáveis
 2.1.3 | Retorno de ajuste de estoques de canal
 2.1.3.1 | Baixa rotação de estoque
 2.1.3.2 | Excesso de estoque no canal
 2.1.3.3 | Efeitos sazonais de produtos
2.2 | Categoria garantia/qualidade
 2.2.1 | Qualidade intrínseca
 2.2.2 | Validade de produto: expiração do prazo de validade
 2.2.3 | Recall de produtos
2.3 | Seleção e destinos dos produtos que retornam do pós-venda
2.4 | Políticas reversas de empresas no Brasil
113
117
123
129
131
131
131
132
132
133
138
138
139
139
139
140
142
144
148
151
85
86
86
87
92
92
94
95
97
97
97
98
99
Unidade 4 | Logística ambiental: competitividade e sustentabilidade 
empresarial
Seção 1 - Sustentabilidade e gestão ambiental 
1.1 | Ambientalismo
 1.1.1 | Evolução do desenvolvimento sustentável ambiental
1.2| Desenvolvimento sustentável
1.3 | As organizações e a responsabilidade ambiental
1.4 | Gestão ambiental
1.5 | Gestão ambiental da cadeia de suprimentos
Seção 2 - Logística ambiental como fator de competitividade 
empresarial
2.1 | Logística ambiental
 2.2.1 | Logística verde x logística reversa
 2.2.2 | Logística reversa 
2.3 | Responsabilidade ambiental como prática estratégica de logística
2.4 | Práticas estratégicas ambientais de logística
2.5 | Estratégias ambientais logísticas
2.6 | As práticas de responsabilidade ambiental em logística
2.7 | Os fatores motivadores para adoção de práticas de responsabilidade 
ambiental na atividade logística
2.7 | Logística verde como fator de competitividade 
 2.7.2 | Estratégias de logística ambiental
163
167 
170
173
176
179
186
191
201
201
202
205
207
208
209
211
216
217
220
Apresentação
A Logística Reversa está associada, normalmente, às funções de pós-venda 
e pós-consumo. Quase sempre o enfoque é em levar de volta a alguns poucos 
centros um conjunto muito grande de materiais que foi distribuído para o consumo 
através da logística direta.
A logística direta tem o papel de levar os produtos e serviços do produtor 
para alguns centros de distribuição, destes para o mercado e finalmente para o 
grande público consumidor. Já a Logística Reversa faz o papel inverso, pegando 
os produtos altamente dispersos e devolvendo-os às suas origens para tratamento, 
disposição final ou reciclagem. Porém, precisamos começar a ampliar essa visão 
e começar a enxergar o apelo à sustentabilidade da logística reversa, atualmente 
chamada de Logística Verde ou Ambiental. Não podemos mais simplesmente 
dar destino adequado aos produtos no pós-consumo, mas também controlar os 
resíduos gerados nas organizações.
De acordo com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (estabelecida pela Lei 
nº 12.305, de 2 de agosto de 2010), a Logística Reversa pode ser definida como 
\u201cinstrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto 
de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos 
resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em 
outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada\u201d.
A Logística Reversa, como sabemos, tem uma preocupação centrada no fluxo 
reverso de materiais e produtos tanto no pós-venda como no pós-consumo. Já a 
Logística Ambiental tem uma preocupação mais abrangente, preocupando-se com 
a avaliação e minimização dos problemas ambientais associados às atividades de 
Logística Empresarial, passando pelas
Jennifer
Jennifer fez um comentário
oi boa tarde
0 aprovações
Melo
Melo fez um comentário
TB estou precisando do livt tem como me mandar pelo e-mail allisonfcfilho@gmail.com grato.
0 aprovações
Melo
Melo fez um comentário
TB estou precisando do livt tem como me mandar pelo e-mail allisonfcfilho@gmail.com grato.
0 aprovações
Carregar mais