A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
1º Portfólio

Pré-visualização | Página 1 de 2

�PAGE �
�PAGE \* MERGEFORMAT�10�
SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO
JULIANO GONÇALVES DE OLIVEIRA
PRODUÇÃO TEXTUAL INDIVIDUAL
ALFENAS/MG
2014�
JULIANO GONÇALVES DE OLIVEIRA
PRODUÇÃO TEXTUAL INDIVIDUAL
Portifólio apresentado à Universidade Norte do Paraná – UNOPAR, como requisito parcial para a obtenção de média bimestral nas disciplinas de: Organização do Trabalho Pedagógico; Filosofia da educação e pensamento pedagógico; Psicologia da educação e da aprendizagem; Seminário da Prática II. 
Orientador: Prof. Vinícius Vignoli
ALFENAS/MG
2014
�
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO	04
2 DESENVOLVIMENTO	05
2.1 A IMPORTÂNCIA DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA A OR-
GANIZAÇÃO ESCOLAR	05
3 CONSIDERAÇÕES FINAIS	10
REFERÊNCIAS	11
�
1 INTRODUÇÃO
O trabalho em questão faz uma abordagem sobre o seguinte tema: A importância do Projeto Político Pedagógico para a organização escolar. Muitos fatores contribuem para os encaminhamentos das ações escolares enquanto estratégias que regulamentam a organização da escola, dentre eles o Projeto Político Pedagógico. 
O objetivo deste trabalho e destacar a importância do Projeto Político Pedagógico para a organização escolar. 
O projeto político-pedagógico define a concepção de educação, de homem e de sociedade, determina a metodologia de trabalho, o currículo e a avaliação da aprendizagem e também institucional, bem como as formas de gestão e outros aspectos que compõem o processo educativo de uma instituição de ensino. 
No avanço para a qualidade do ensino, muitos pesquisadores e educadores têm realizado estudos acerca do projeto político-pedagógico para a organização da escola. 
Para referenciar essa análise buscaram-se subsídios teóricos nas considerações de Ilma Passos Alencastro Veiga e Márcia Andreia Grochoska, que apresentaram uma reflexão sobre as características e construção do Projeto Político Pedagógico e sua importância na organização educacional. 
Para se compreender a instituição de ensino e os elementos que a compõem, é necessário realizar uma reflexão com relação à sua organização. 
E nesse processo, busca-se refletir acerca da importância do projeto político-pedagógico. 
A organização da escola baseia-se em um novo enfoque, onde se conta com a participação coletiva, para que a escola avance em seus contextos organizacionais. 
E neste aspecto, o projeto político-pedagógico torna-se o elemento fundamental. Por isso, este trabalho aborda, de uma maneira clara e objetiva, todos os aspectos relacionados a esse documento, para a melhor compreensão e análise da sua importância para a obtenção de uma educação de qualidade. 
2 DESENVOLVIMENTO
2.1 A IMPORTÂNCIA DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA A ORGANIZAÇÃO ESCOLAR
	O Projeto Político Pedagógico (PPP) tem sido um dos temas principais nos estudos de educadores nas instituições escolares em todas as esferas: nacional, estadual e municipal, na busca pela melhoria da qualidade do ensino. 	
	Para Grochoska (201, 54), “o PPP é o elemento fundamental para a organização da escola”. Nele se define o trabalho pedagógico, a missão da escola, as questões curriculares e metodológicas, as concepções, a avaliação, o tipo de gestão adotado, o perfil de aluno e do professor e outros pressupostos que definem a dinâmica escolar. 
	Na concepção de Veiga (2003) apud Grochoska (2011), o projeto político-pedagógico exige uma profunda reflexão sobre as finalidades da escola, seu processo de construção aglutina crenças, convicções, conhecimentos da comunidade escolar, do contexto social e científico, constituindo-se em compromisso político e pedagógico coletivo. 
	Veiga (2002), com base em Ferreira (1975, p. 144), define o Projeto Político Pedagógico no sentido etimológico, que vem do latim projectu, particípio passado do verbo projicere, que significa lançar para diante. Plano, intento, desígnio.
	Assim, construir o projeto na escola significa planejar o que se deve fazer com base no que se tem e buscando realizar o possível. 
	Conforme ressalta Veiga (2002) o PPP vai além de um simples agrupamento de planos de ensino e de atividades diversas. Ele não deve ficar arquivado ou ser considerado apenas uma atividade burocrática. Ele é construído e vivenciado por todos que estão envolvidos no processo educativo da escola. 
	Este documento trata-se do resultado de uma discussão que transmite a realidade da escola e vai além dos pressupostos pedagógicos. Ele “pressupõe o envolvimento de diferentes instâncias que atuam no campo da educação, além do coletivo da escola” (VEIGA, 2004, p.55 apud GROCHOSKA, 2011, p.55). 
	Assim, conforme assinala Veiga (2002), todo projeto pedagógico da escola é também, um projeto político, no sentido de compromisso com a formação do cidadão para um tipo de sociedade. 
	Conforme a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9.394/1996 (BRASIL, 2006), no seu artigo 22, inciso primeiro, a construção dos projetos pedagógicos acontecem da seguinte forma: “os estabelecimentos de ensino terão a incumbência de elaborar e executar sua proposta pedagógica”. 
	Nesse sentido, percebe-se a clareza da competência das instituições de ensino na elaboração dos projetos pedagógicos. 
	 Mas é preciso compreender o significado da expressão “Projeto Político Pedagógico”, e para isso 	EYNG (2002, p.6) define: 
Projeto porque faz uma projeção da intencionalidade educativa para futura operacionalização, a teologia, ou seja, a finalidade de cada organização educativa expressada nos seus processos e metas propostos. Político porque coletivo, político porque consciente, político porque define uma posição de grupo, político porque expressa um conhecimento próprio, contextualizado e compartilhado. Político, porque supõe uma proposta coletiva consciente, fundamentada e contextualizada para a formação do cidadão. Pedagógico porque define a intencionalidade formativa, porque expressa uma proposta de intervenção formativa, refletida e fundamentada, ou seja, a efetivação da finalidade da escola na formação para a cidadania. 
	Então, o seu entendimento pode ser o ponto de partida para as discussões dentro das escolas. Sendo assim, ele é a principal ferramenta na gestão e organização escolar. 
	O PPP é um documento dinâmico da escola porque trata das diretrizes do ensino e evidencia as relações que lá acontecem, consolidando o planejamento da organização escolar. Por meio desse documento toda a escola passa a desenvolver a autonomia, assim, ele se legitima pelo grau de participação de todos os envolvidos no processo educativo. 
	Veiga (2002, p. 3 - 4) destaca os princípios norteadores do projeto político-pedagógico, que norteiam a escola democrática, pública e gratuita:
Igualdade de condições para acesso e permanência na escola. 
Qualidade que não pode ser privilégio de minorias econômicas e sociais. 
Gestão democrática é um princípio consagrado pela Constituição vigente e abrange as dimensões pedagógica, administrativa e financeira. 
Liberdade. O princípio da liberdade está sempre associado à ideia de autonomia. 
Valorização do magistério: princípio central na discussão do projeto político pedagógico. 
Compreende-se que o PPP é o resultado da discussão e construção de um grupo, onde se sistematiza os anseios e os objetivos de uma comunidade escolar. 
Grochoska (2011) enumera algumas características que se deve levar em conta na elaboração do projeto político-pedagógico, com base nas afirmações de VEIGA (2003, p.11):
A construção do projeto político pedagógico deve ser um processo participativo de decisões;
A organização do trabalho pedagógico deve demonstrar os pontos de conflitos e contradições;
Toda a comunidade escolar deve ser instigada a participar, para que seja de fato um projeto coletivo, baseado nos princípios solidários

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.