A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
Escatologia   Doutrina das Últimas Coisas

Pré-visualização | Página 1 de 10

Escatologia 
A Doutrina das Últimas Coisas 
 
 
9 Morte Física 
9 Imortalidade da Alma 
9 Estado Intermediário da Alma 
9 O Retorno de Cristo 
9 O Arrebatamento da Igreja 
9 A Ressurreição Geral dos Mortos 
9 O Juízo Final 
9 Novo Céu e Nova Terra 
9 O Estado Final dos Ímpios e dos Justos 
 
 
9 Apêndice sobre o Milênio 
9 Bibliografia 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Apostila preparada por Kleber Cavalcante. 
 2
ÍNDICE 
 
 
 
 
Introdução ............................................................................................................................................3 
1. Morte física ......................................................................................................................................3 
2. Imortalidade da alma........................................................................................................................5 
3. Estado intermediário da alma...........................................................................................................7 
4. O retorno de Cristo...........................................................................................................................8 
5. O arrebatamento da Igreja..............................................................................................................11 
6. A ressurreição geral dos mortos.....................................................................................................12 
7. O juízo final ...................................................................................................................................14 
8. Novo céu e nova terra ....................................................................................................................17 
9. O estado final dos ímpios e dos justos ...........................................................................................18 
Apêndice sobre o Milênio ..................................................................................................................20 
BIBLIOGRAFIA ...............................................................................................................................24 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 3
Introdução 
 
A necessidade de um estudo chamado escatologia surgiu a partir de passagens 
da Escritura que falam sobre “os últimos dias” (Is 2.2, Mq 4.1), o “fim dos tempos” (1 Pd 
1.20) e “a última hora” (1 Jo 2.18). 
O termo “escatologia” se deriva da junção de dois vocábulos gregos: εσχατος 
(escatos: último, últimas coisas, fim) mais λογος (lógos, no grego; no latim, logia: palavra, 
estudo), resultando no “estudo das últimas coisas”, ou, como é conhecida, “a doutrina das 
últimas coisas”. 
Quando se estuda a escatologia, aprende-se sobre os fatos e eventos que estão 
relacionados ao fim de nossas vidas e ao nosso destino eterno. Estuda-se também a 
segunda vinda de Cristo e os eventos que marcarão o fim da presente era, culminando 
nas glórias eternas do futuro. 
Para os escritores bíblicos, os “últimos dias” tiveram início com a vinda de Cristo. 
Nós JÁ vivemos nos últimos dias, ainda que há coisas que só ocorrerão NO FIM destes 
últimos dias (At 2.16, 17; Hb 1.1, 2 e, novamente, 1 Jo 2.18). Já vivemos nos últimos dias 
profetizados pelos profetas do VT porque Cristo já inaugurou o Reino de Deus neste 
mundo e já consumou sua vitória na cruz do Calvário (Lc 11.20; Cl 2.13-15). Portanto, já 
desfrutamos das bênçãos vindouras, ainda que não de forma plena – por exemplo, 
estamos espiritualmente sentados nas regiões celestiais em Cristo, mas não fisicamente 
(Ef 2.6). A plenitude e a consumação de todas as coisas só ocorrerá quando da segunda 
vinda de Cristo. 
 
Divisão da Escatologia 
 
Divide-se em dois ramos de estudo: 
ª Escatologia Pessoal ou Individual 
Trata das coisas referentes à condição do indivíduo quando sua vida chega ao fim. 
São abordados: a morte física, a imortalidade da alma humana e o estado intermediário 
ou o lugar para onde a alma vai. 
Note que a Escatologia Individual aborda coisas que acontecem com o indivíduo 
entre sua morte física e sua ressurreição. É chamada “individual” porque isso não 
acontece com todos ao mesmo tempo. Afinal, uma pessoa morre hoje, outra morre 
amanhã etc. 
ª Escatologia Geral 
 Trata daquilo que envolve a humanidade como um grande grupo: retorno de Cristo 
(que todos verão), ressurreição geral (pela qual todos passarão, conforme expressa a 
palavra “geral”), arrebatamento da Igreja (não de um indivíduo crente, mas de todo o 
grupo de crentes), juízo final (para crentes e não-crentes) e o estado final dos justos e dos 
ímpios após o juízo. 
 
 
Escatologia pessoal ou individual 
 
1. Morte física 
 
 Descrita como a morte do corpo (Mt 10.28; Lc 12.4), o término da vida terrena 
(Mt 2.20; veja, por esse texto, que aqueles que sofrem a morte física deixam de viver 
 4
nesta terra. Por isso Jesus estava seguro.), e/ou separação entre o corpo e o espírito 
(Ec 12.7 cf. Gn 2.7; Tg 2.26a; At 7.59). Devo dizer, já no início deste estudo, que espírito 
e alma são normalmente usados na Bíblia como termos sinônimos. Isso ocorre porque 
tanto o espírito quanto a alma compõem a parte imaterial do homem, aquela parte 
invisível, espiritual, que não conseguimos ver (Ec 12.7 cf. Mt 10.28). Não dá para fazer 
uma distinção clara entre alma e espírito. Isso é impossível aos homens. Há apenas dois 
textos na Bíblia que parecem fazer isso, mas mesmo esses textos não esclarecem o 
assunto. Por exemplo, 1 Ts 5.23 menciona as duas palavras separadamente, mas isso 
não prova que são substâncias diferentes. O que temos aí é uma figura de linguagem 
chamada epizêuxe, um recurso utilizado para dar ênfase por meio da repetição de termos 
sinônimos. Costumamos usar bastante a epizêuxe quando queremos espantar um 
cachorro, dizendo: “chispa! Passa! Se manda!!!” Note que essas três palavras, embora 
diferentes, têm o mesmo significado. Jesus também usou a epizêuxe quando disse que 
devemos amar a Deus “de todo o nosso coração, de toda a nossa alma, de todo o nosso 
entendimento e de toda a nossa força” (Mc 12.30). É óbvio que Cristo não quis dividir o 
homem em quatro partes, mas apenas enfatizar que devemos amar a Deus com todo o 
nosso ser. Igualmente, o texto de 1 Ts 5.23 está afirmando que tanto a nossa parte física 
quanto a nossa parte espiritual (alma e espírito) devem permanecer irrepreensíveis até a 
volta de Cristo. O outro texto que parece fazer uma distinção entre o espírito e a alma do 
homem é Hb 4.12, mas esse texto pode ser entendido justamente como querendo dizer 
que a Bíblia é tão perscrutadora, tem uma capacidade tão poderosa de discernimento e 
sondagem que é capaz de fazer uma distinção que não podemos, qual seja, dividir alma e 
espírito. Ou seja, continuamos na mesma. 
 Vejamos mais algumas expressões bíblicas referentes à morte física: retorno ao 
pó (Gn 3.19c) deixar o tabernáculo (2 Pd 1.13, 14 cf. 1 Co 6.19); expirar (At 5.5, 6 e 
10); um sono ou um estar adormecido, dormindo (Jo 11.11-14; 1 Co 15.6; 1 Ts 4.13). 
Quanto a essa última expressão, devemos lembrar que quem “dorme” é o corpo do 
homem, não o seu espírito (Mt 27.52). Na morte física, o espírito se separa do corpo. 
Logo, dizer que a pessoa “está dormindo” nada mais é do que um eufemismo para referir-
se à morte física. Eufemismo é uma linguagem figurada muito utilizada quando se quer 
“suavizar” alguma expressão. O uso dessa linguagem é fácil de entender no que se refere 
à morte física, pois o corpo de um morto parece estar realmente dormindo. 
 A morte física fez parte do juízo condenatório de Deus (Gn 2.16, 17; 3.19c e 5.5). 
Observe que a morte foi um dos castigos pronunciados por Deus contra o homem.) 
 
Logo: 
De acordo com a Escritura, a morte física é o término da vida física pela separação