Dicionário Logistico
60 pág.

Dicionário Logistico


DisciplinaDicionário194 materiais373 seguidores
Pré-visualização33 páginas
nível de inventário 
requerido. 
Planejamento de Distribuição - Distribution Planning 
\u2013 Em nível tático, são todas as atividades de 
planejamento relacionadas com alocação de 
recursos de transporte (e.g. reservas de navio, 
caminhões, carretas, etc.), de armazenagem 
(e.g. dimensionamento de espaço de 
estocagem, locação de áreas, etc.), 
movimentação de materiais (e.g. locação de 
equipamentos, equipes e definição de turnos 
de trabalho) e processamento de pedidos. Em 
nível estratégico, refere-se às atividades de 
análise de localização de plantas, seleção de 
modais de transporte, análise de 
investimentos de veículos/containers e 
definição de estratégias de abastecimento 
para os Canais de Distribuição. 
Planejamento de Inventário - Inventory Planning \u2013 A 
aplicação de modelos de simulação ou 
analíticos baseados em parâmetros pré-
estabelecidos para estimar o comportamento 
de inventário ao longo do tempo, para fins de 
gerenciamento do grau de alocação de ativos 
necessários para suportar uma operação e 
para medição de performance. Usualmente, 
esses modelos são bastante agregados e não 
enxergam o inventário em nível de SKU e sim 
por família ou categoria de inventário (e.g. 
matéria prima, produto acabado, MRO, WIP, 
etc.). Modelos de planejamento de inventário 
partem de parâmetros como política de 
inventário, custo dos produtos, percentual de 
itens locais e importados, tempos de trânsito e 
volumes de produção. 
Planejamento de Materiais - Materials planning \u2013 
Refere-se a todas as funções de planejamento 
ligadas à alocação de materiais ao longo do 
tempo para satisfazer uma demanda. Essas 
funções de planejamento podem 
compreender, mas não se limitar, ao 
planejamento de distribuição, produção, 
matérias primas (nacionais e importadas), 
introdução e descontinuidade de produtos e 
alterações de componentes. Em empresas de 
manufatura discreta, as funções de 
planejamento de materiais normalmente são 
suportadas pelos módulos de DRP, MPS e 
MRP dos sistemas de gestão corporativa 
(ERP\u2019s). Do ponto de vista organizacional, 
usualmente a área responsável pela função 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 46
Planejamento de Materiais também é 
responsável pela função de execução (e.g. 
colocação de Ordens de Compra, Follow-up, 
etc.) e controle do fluxo de materiais ao longo 
da Cadeia. 
Planejamento de Necessidades de Distribuição - 
Distribution Requirements Planning (DRP) \u2013 
Uma técnica de planejamento similar ao 
conceito de MRP, que consolida a demanda 
em SKU\u2019s de n locais (e.g. Depósitos e 
Centros de Distribuição) para gerar 
necessidades líquidas de despachos para 
centros de produção. Essa técnica é similar ao 
MRP por que se baseia nos mesmos 
princípios de planejamento: escalonamento 
das necessidades no tempo (time phasing), 
cálculo de necessidades líquidas (netting) e 
demanda dependente. No caso da rede de 
distribuição possuir múltiplos níveis, a 
explosão de necessidades acontece de forma 
sucessiva (e.g. depósitos locais, depósitos 
regionais e depósito das plantas). O DRP 
parte das demandas inseridas por SKU para 
cada um dos depósitos, das posições de 
inventário (nos depósitos e em trânsito) e de 
parâmetros de planejamento (e.g. dias de 
estoques no depósito, tempo de 
ressuprimento, etc.) e alimenta o Plano Mestre 
de Produção das plantas que fornecem esses 
SKU\u2019s. Termos relacionados: MPS, MRP. 
Planejamento de Recursos de Capacidade \u2013 
Resource Requirement Planning (RRP) - 
Terminologia APICS. Compara as Horas 
Standard Requeridas contra as Horas 
Standard Disponíveis. Esse recurso também é 
conhecido como Planejamento Grosseiro de 
Capacidade \u2013 Rough Cut Capacity Planning 
(RCCP). São exemplos típicos de variáveis 
que são avaliadas para balancear a equação 
entre demanda e capacidade: Horas-extras; 
Uso de recurso alternativo; Sub-contratação; 
Contratar mais pessoas; Adicionar um 
equipamento; Substituir produto concorrente 
no recurso que está sobrecarregado; Reduzir 
quantidades do pedido; Produzir algum 
produto antecipadamente; Postergar a 
produção no recurso sobrecarregado e 
compensar o atraso comprimindo o lead time 
de alguma atividade posterior. 
Plano Agregado - Aggregate Plan \u2013 Um plano 
elaborado para médio prazo de alocação de 
capacidade, estoques, compras e capital. O 
termo \u2018agregado\u2019 decorre do fato desses 
planos não utilizarem dados detalhados (e.g. 
volume de produção por item e por semana), 
mas sim agregados (e.g. por mês e por família 
de produtos). Outros dados que costumam 
fazer parte do plano agregado é o volume de 
ordens pendentes (backlogs), disponibilidade 
de caixa e orçamento dos meses 
contemplados no horizonte de planejamento. 
Através do Plano Agregado deve ser possível 
identificar quais as possíveis estratégias para 
atender uma demanda, o nível de recursos 
que será necessário ao longo do tempo 
(capacidade, estoques, mão de obra, caixa, 
etc.) e os eventuais conflitos entre demanda e 
capacidade a serem solucionados. Decisões 
típicas decorrentes da análise e revisão desse 
plano são: alterações de turnos de trabalho, 
requisições de novos investimentos, 
terceirização de atividades, estratégia de 
descontos em períodos sazonais, formação de 
bancos de estoques para atender picos de 
demanda futuros. Enquanto que o Plano 
Mestre de Produção \u2013 MPS - é elaborado em 
nível de SKU e revisado com alta freqüência 
(semanal, quinzenal) o Plano Agregado é 
elaborado por família de produtos e revisado 
poucas vezes por ano (trimestral, semestral). 
Plano de Ação \u2013 Action Item - É o produto de um 
planejamento capaz de orientar as ações que 
devem ser implementadas. Serve como 
referência às decisões, permitindo que seja 
feito o monitoramento dos indicadores de 
desempenho. De uma forma organizada, o 
Plano de Ação identifica as ações e as 
responsabilidades pela sua execução. Apesar 
de ser considerada uma ferramenta de caráter 
gerencial, ela se aplica à realidade das 
equipes responsáveis por algum tipo de 
aprimoramento no planejamento e condução 
de suas atividades. Todo Plano de Ação deve 
estar estruturado de forma a permitir a rápida 
identificação dos elementos necessários à 
implementação do projeto. Esses elementos 
básicos podem ser descritos pelo que se 
convencionou chamar 5W1H. (Why \u2013 Por que 
deve ser executada a tarefa (justificativa); 
What \u2013 O que será feito (etapas); How \u2013 
Como deverá ser realizada cada tarefa/etapa 
(método); Where \u2013 Onde cada tarefa será 
executada (local); When \u2013 Quando cada uma 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 47
das tarefas deverá ser executada (tempo); 
Who \u2013 Quem realizará as tarefas 
(responsabilidades); How much \u2013 o segundo 
H já vem sendo usado na prática, pois ele 
representa quanto será despendido para a 
implementação do Plano de Ação. Assim, 
tem-se também a possibilidade de 
trabalharmos com o 5W2H. 
Plano de Negócios - Business Plan \u2013 Um documento 
que tem por objetivo detalhar uma estratégia 
para longo prazo, no qual são projetados os 
dados de faturamento, custos, expectativas de 
resultados, orçamento e fluxo de caixa (com 
as respectivas fontes de financiamento) e 
outras premissas econômicas. Um plano de 
negócios é geralmente expresso na moeda 
local e dividido por famílias de produtos e 
unidades de negócio. Os Planos de Negócio 
são geralmente revisados anualmente ou são 
o resultado numérico de um Plano 
Estratégico. Os novos investimentos de capital 
estão inseridos no Plano de Negócios, após 
sua aprovação no estudo de viabilidade 
técnica. Uma vez aprovado, o Plano de 
Negócios pode ser desdobrado para Planos 
Táticos, tais como o Plano de Vendas e 
Operações (PV&O). 
Poka Yoke - Poka Yoke \u2013 Dispositivo à prova de 
falha - A aplicação de técnicas e dispositivos 
simples que auxiliam a prevenir