Dicionário Logistico
60 pág.

Dicionário Logistico


DisciplinaDicionário194 materiais372 seguidores
Pré-visualização33 páginas
desmontados. Esta opção é adotada quando 
não há disponibilidade no destino final de um 
processo, que permitirá a finalização da 
montagem para a obtenção do produto final. 
Essa condição de transporte normalmente não 
permite uma otimização da utilização do 
serviço de transporte. Por exemplo, uma 
empresa decide vender caminhões em um 
outro continente, mas o mercado ainda não 
permite montar uma fábrica inteira nesse novo 
mercado. Ela pode decidir produzir as peças 
na fábrica de origem e deixar a montagem 
final no país de destino. Enviando tudo 
desmontado em \u2018kits\u2019, ela estaria adotando a 
estratégia de CKD. Se a empresa, no entanto, 
não tiver uma linha de pintura, ela não poderá 
levar as peças estampadas da cabine 
desmontadas. Portanto, as cabines terão que 
ser soldadas e pintadas antes do transporte, o 
que caracterizaria um \u2018kit\u2019 parcialmente 
desmontado (SKD). Termo relacionado: CKD. 
SKU - Stock Keeping Unit \u2013 (1) A unidade mais 
discreta de identificação de um produto no 
estoque para fins de planejamento e controle. 
Levam em consideração dois atributos, o 
código do item e a quantidade acondicionada 
numa dada embalagem. (2) uma unidade que 
compreende uma combinação única de forma, 
embalagem, funções e modo de estocagem. 
Por exemplo, se um item possui 3 diferentes 
tamanhos de embalagens para ser estocado, 
existem 3 SKU\u2019s distintos para esse item. Por 
exemplo, uma empresa que possui 10.000 
itens e cada um deles pode ser acondicionado 
em 2 diferentes tamanhos de embalagem, a 
empresa controla 20.000 SKU\u2019s. Outro 
exemplo, apesar de conter o mesmo produto, 
cada embalagem de Coca-Cola é um SKU 
distinto, tanto na visão dos clientes como da 
empresas envolvidas na sua comercialização. 
Sortimento eficiente de produtos \u2013 Efficient Product 
Sorting \u2013 Dentro das práticas preconizadas 
pelo ECR, é o ato de otimizar os estoques e 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 57
espaços da loja na interface com o 
consumidor. Ou seja, ao estabelecer o mix 
ideal de produtos que satisfaça as 
necessidades do conjunto de clientes de 
determinada loja, obter-se-á um aumento no 
volume de vendas, na rentabilidade e no giro 
dos estoques. 
SSCC - Serial shipping container code - É uma 
estrutura de identificação de 18 caracteres, 
usada principalmente para pallets e caixas 
que contém produtos valiosos ou delicados, 
seguindo a padronização EAN/UCC 128. 
Suavização Adaptativa - Adaptive Smoothing \u2013 Em 
previsão de demanda, uma técnica de 
suavização exponencial, na qual a constante 
de suavização é automaticamente ajustada 
em função de um ou mais atributos. Por 
exemplo, a medida de erro da previsão, 
características do calendário (lançamento, 
ressuprimento, fim de vida) ou do volume. 
Tara \u2013 tare - deadweight - diferença de peso, cheio 
menos vazio; peso próprio do veículo, 
acrescido dos pesos da carroçaria e 
equipamento, do combustível, expresso em 
quilogramas; peso vazio; peso morto. 
Tara de um Veículo, de um Contêiner - container 
tare, tare, vehicle tare - peso vazio de um 
veículo ou de um contêiner vazio. 
Tarifa de Carga Geral - General Cargo Rate \u2013 No 
transporte aéreo, o valor do frete é fornecido 
em dólares americanos por faixas de peso (kg 
ou Lb). A Tarifa Normal vigora para cargas de 
9 a 45 kg; a Tarifa por Quantidade discrimina 
as seguintes faixas: de 45 kg a 100 kg; de 100 
kg a 300 kg; de 300 kg a 500 kg e de 500 kg 
em diante. Essas faixas de peso têm um 
ponto chamado break point, a partir do qual é 
sempre mais interessante declarar um peso 
maior, pois ao passar para a faixa seguinte o 
frete se reduz. Nesse caso, é importante 
consultar sempre o agente de carga, para 
determinar o procedimento mais conveniente. 
A Tarifa de Carga Geral é válida para cargas 
de qualquer natureza. 
Tarifa Especifica de Cargas - Specific Commodites 
Rates \u2013 No transporte aéreo, tarifa cobrada 
sobre fretes específicos, para algumas 
mercadorias identificadas por códigos. A 
Tarifa específica é menor que a Tarifa de 
Carga Geral, para a mesma faixa de peso. 
Cabe ao exportador solicitar à companhia 
aérea a inclusão de uma mercadoria na Tarifa 
Específica de Cargas. A companhia aérea 
encaminhará o pleito à Iata, que, em reunião 
colegiada, estudará o mérito da solicitação. 
Nos casos em que a solicitação é atendida, o 
novo valor do frete (obviamente menor que o 
anterior) passa a constar da Tarifa Iata. Tendo 
sido concedida, a nova tarifa pode ser 
utilizada por qualquer exportador. 
Tarifa Mínima \u2013 Minimum Rate - No transporte aéreo, 
é o valor mínimo de frete estipulado na tarifa, 
independentemente da quantidade 
embarcada. 
Tarifa ULD - UDL Rate \u2013 No transporte aéreo, tarifa 
para uma unidade de embarque completa 
(contêiner, pallet). Nesse caso, os serviços 
são House to House. 
Tarifas Classificadas - Class Rates \u2013 No transporte 
aéreo, são descontos ou acréscimos 
incidentes sobre mercadorias específicas, 
principalmente sobre pequenos lotes de alto 
valor. 
Taxa de Saída - Throughput \u2013 A quantidade de 
material que é produzida por um processo por 
unidade de tempo. 
TCO - Total Cost of Ownership \u2013 Custo Total de 
Propriedade - O custo total de um ativo 
durante o seu ciclo de vida de utilização, 
desde a aquisição até a sua disposição final. 
O TCO inclui, além dos custos de aquisição 
do bem, licenças de utilização, contratos de 
manutenção, custos operacionais, 
atualizações, reformas e disposição do bem. 
Tempo de Ciclo - Cycle Time \u2013 O tempo total 
requerido para uma operação ser executada, 
sem considerar perdas e tempos mortos. 
Tempo de Ciclo do Caixa - Cash-to-Cash Cycle 
Time \u2013 O tempo que leva para a entrada no 
Caixa dos valores gastos com a aquisição de 
insumos. Fórmula de cálculo: Total de dias em 
estoque (material prima, estoque em processo 
e produto acabado) + Prazo do Contas a 
Receber \u2013 Tempo médio de Contas a Pagar a 
Fornecedores de insumos. Termos 
relacionados: Capital de Giro e Giro de 
Inventário. 
Dicionário de Logística e Operações v 1.3 Carlos E. Panitz 58
Capital de Giro \u2013 Working Capital \u2013 É o valor em 
caixa, disponível para financiar as atividades 
operacionais da empresa, especialmente o 
processo de produção. 
Tempo de Geração da Ordem - Order Lead Time \u2013 
O tempo total do processo interno, necessário 
para transformar uma demanda em uma 
Ordem e transmiti-la ao fornecedor. 
Tempo de Preparação \u2013 set-up time \u2013 tempo 
despendido na preparação de um 
equipamento ou linha de produção para 
produzir um outro produto. 
Tempo de ressuprimento de Compra - Purchasing 
Lead Time \u2013 O tempo total entre a decisão da 
compra de um item e a sua disponibilidade 
para despacho pelo fornecedor. Esse tempo 
pode compreender a soma dos tempos de 
liberação da Ordem, Produção do item, 
embalamento e preparo para o despacho. 
Tempo de Trânsito - Transit Time \u2013 O tempo 
necessário para mover produtos fisicamente 
entre dois locais distintos. Esse tempo pode 
compreender não apenas operações de 
transporte, mas também operações de 
consolidação, transbordo, aduaneiras e de 
reserva de espaço, numa determinada rota de 
viagem. 
Tempo Takt - Takt Time \u2013 Determina o ritmo de 
produção necessária para nivelá-la com a taxa 
de consumo média do cliente e torna-se a 
batida de qualquer sistema de produção 
enxuta. Forma de cálculo: tempo de produção 
disponível dividido pela taxa média de 
consumo do cliente. Por exemplo, assumindo 
que a demanda media mensal é de 10.000 
unidades, que a quantidade de dias úteis 
arbitrada é de 20 dias/mês e que a 
disponibilidade de minutos por dia é de 420 
minutos, o tempo takt será igual a 420 
[minutos/dia] / (10.000 [unidades/mês] / 20 
[dias/mês] ) = 0,84 minutos por unidade. Isso 
significa que uma unidade deveria estar sendo 
produzida a cada 0,84 minutos. Os