Simulado AV1 - Direito Penal III
3 pág.

Simulado AV1 - Direito Penal III


DisciplinaDireito Penal III7.234 materiais58.930 seguidores
Pré-visualização2 páginas
DIREITO PENAL III 
 
 
1a Questão (Ref.:201703510396) Acerto: 0,2 / 0,2 
João Paulo Cruz, morador do apartamento 13 do Edifício Cartago, subtraiu, para uso de sua 
filha, brinquedo de diversão infantil pertencente à área de lazer do Edifício. Pode-se afirmar 
sobre a conduta de João Paulo, que: (OAB/SP. Dezembro/2003) 
 
 
não praticou crime algum, visto que os bens comuns são de livre disposição dos 
moradores do edifício; 
 praticou o delito de furto de coisa comum; 
 
praticou o delito de apropriação indébita 
 
praticou o delito de estelionato; 
 
 
 
2a Questão (Ref.:201704322929) Acerto: 0,2 / 0,2 
(2016. CESPE. TRT - 8ª Região (PA e AP)Prova: Analista Judiciário - Área Judiciária) Assinale a 
opção correta, considerando a lei e a jurisprudência dos tribunais superiores. 
 
 
O uso de revólver de brinquedo no crime de roubo justifica a incidência da majorante 
prevista no Código Penal, por intimidar a vítima e desestimular sua reação. 
 Na aplicação dos princípios da insignificância e da lesividade, as condutas que produzam 
um grau mínimo de resultado lesivo devem ser desconsideradas como delitos e, 
portanto, não ensejam a aplicação de sanções penais aos seus agentes. 
 
Para a configuração dos crimes contra a honra, exige-se somente o dolo genérico, 
desconsiderando-se a existência de intenção, por parte do agente, de ofender a honra da 
vítima. 
 
A idade da vítima é um dado irrelevante na dosimetria da pena do crime de homicídio 
doloso. 
 
A conduta de vender ou expor à venda CDs ou DVDs contendo gravações de músicas, 
filmes ou shows não configura crime de violação de direito autoral, por ser prática 
amplamente tolerada e estimulada pela procura dos consumidores desses produtos. 
 
 
 
3a Questão (Ref.:201704322932) Acerto: 0,2 / 0,2 
(2016. VUNESP. TJ-RJ. Juiz Substituto) O Soldado Stive, da Polícia Militar do Estado do Rio de 
Janeiro, de serviço, juntamente com sua companheira de serviço, Soldado Julieta, durante 
abordagem a uma civil conhecida como Chapinha, por imprudência e sem intenção, efetuou um 
disparo de arma de fogo que veio a atingir fatalmente Chapinha. Diante da conduta praticada 
pelo Soldado Stive, é correto afirmar que o policial militar cometeu 
 
 crime militar de homicídio culposo. 
 
crime comum de feminicídio. 
 
crime comum de homicídio culposo. 
 
crime comum de lesão corporal seguida de morte. 
 
crime militar de feminicídio. 
 
 
 
4a Questão (Ref.:201704096370) Acerto: 0,2 / 0,2 
O agente NÃO será punido por tentativa de homicídio doloso quando: (OAB/MG DEZ.2004. 
modificada) 
 
 embora o agente não soubesse, efetua disparos contra pessoa que morrera minutos 
antes de enfarto agudo do miocárdio. 
 
querendo matar a vítima, utiliza meio eficaz para a consumação do crime. 
 
na tentativa imperfeita de homicídio. 
 
ocorrer o arrependimento posterior. 
 
na tentativa branca de homicídio 
 
 
 
5a Questão (Ref.:201703541839) Acerto: 0,2 / 0,2 
Assinale a alternativa correta: 
 
 
A utilização de cópia de chave caracteriza a qualificadora da chave falsa no crime de 
furto. 
 
Caso alguém que trabalhe durante a noite seja vítima de um furto enquanto dorme 
durante o dia, é possível aplicar por analogia a majorante do repouso noturno. 
 
O furto praticado por empregado doméstico será sempre qualificado pelo abuso de 
confiança. 
 Caracteriza furto a subtração dolosa de energia elétrica, desde que não tenha ocorrido 
alteração do medidor para o interior do imóvel, caso em que se caracterizará o 
estelionato. 
 
 
 
6a Questão (Ref.:201704206358) Acerto: 0,2 / 0,2 
Arlete, em estado puerperal, manifesta a intenção de matar o próprio filho recém nascido. Após 
receber a criança no seu quarto para amamentá-la, a criança é levada para o berçário. Durante 
a noite, Arlete vai até o berçário, e, após conferir a identificação da criança, a asfixia, causando 
a sua morte. Na manhã seguinte, é constatada a morte por asfixia de um recém nascido, que 
não era o filho de Arlete. Diante do caso concreto, assinale a alternativa que indique a 
responsabilidade penal da mãe.(OAB/FGV Exame de Ordem Unificado 2010.2. MODIFICADA) 
 
 Crime de infanticídio, pois houve erro quanto à pessoa. 
 
Crime de homicídio, pois, o erro acidental não a isenta de responsabilidade. 
 
Crime de homicídio, pois, uma vez que o art. 123 do CP trata de matar o próprio filho 
sob influência do estado puerperal, não houve preenchimento dos elementos do tipo. 
 
Apenas pelo crime de auto-aborto como autora. 
 
Não será responsabilizada face à excludente de culpabilidade inexigibilidade de conduta 
diversa decorrente do estado puerperal 
 
 
 
7a Questão (Ref.:201704143565) Acerto: 0,2 / 0,2 
Em relação ao crime de homicídio (CP, art. 121) É INCORRETO afirmar: 
 
 O homicídio simples é crime hediondo, conforme prevê a Lei n. 8.072/90 (Lei de Crimes 
Hediondos). 
 
Considera-se homicídio qualificado por motivo torpe aquele praticado para garantir a 
vitória em concurso de beleza. 
 
O homicídio qualificado é delito hediondo (Lei n. 8.072/90), deixando de ser quando 
cabível o privilégio previsto no art. 121, §1º, do Código Penal. 
 
Caracteriza homicídio privilegiado o fato de o agente cometer o crime impelido por 
motivo de relevante valor social ou moral, ou sob o domínio de violenta emoção, 
provocada por ato injusto da vítima. 
 
Se Clemenza pretendendo atirar em Don Barzini, que se encontrava conversando com o 
seu segurança, percebe que, assim agindo, pode atingir este último, deverá ser punido a 
título de dolo eventual caso lhe seja indiferente o resultado da sua ação: morte de Don 
Barzini ou de seu segurança. 
 
 
 
8a Questão (Ref.:201704092434) Acerto: 0,2 / 0,2 
"A", porque momento antes "B" estuprara sua filha, quer matá-lo, porém confunde-o, na 
escuridão, com "C" e alveja fatalmente este. "A" responde por: 
 
 
homicídio qualificado contra "C" (recurso que tornou impossível a defesa do ofendido). 
 
homicídio culposo contra "C"; 
 
homicídio culposo contra "C" e tentativa de homicídio contra "B"; 
 homicídio privilegiado contra "C" (violenta emoção logo após a injusta provocação da 
vítima); 
 
nenhuma das alternativas anteriores. 
 
 
 
9a Questão (Ref.:201704096441) Acerto: 0,2 / 0,2 
Ana e Bruna desentenderam-se em uma festividade na cidade onde moram e Ana, sem 
intenção de matar, mas apenas de lesionar, atingiu levemente, com uma faca, o braço esquerdo 
de Bruna, a qual, ao ser conduzida ao hospital para tratar o ferimento, foi vítima de acidente de 
automóvel, vindo a falecer exclusivamente em razão de traumatismo craniano. Acerca dessa 
situação hipotética, é correto afirmar, à luz do CP, que Ana: 
 
 deve responder apenas pelo delito de lesão corporal. 
 
não deve responder por delito algum, uma vez que não deu causa à morte de Bruna. 
 
deve responder pelo delito de homicídio consumado. 
 
praticou conduta atípica, pois o resultado morte foi uma fatalidade. 
 
deve responder pelo delito de homicídio na modalidade tentada. 
 
 
 
10a Questão (Ref.:201704096398) Acerto: 0,2 / 0,2 
Joana, jovem de 23 anos, inconformada por ter engravidado por acidente de um colega de 
faculdade, decide realizar o aborto e, para tanto, procura uma clínica abortiva clandestina 
situada em município próximo ao seu. Lá chegando, é prontamente atendida pela recepcionista 
da clínica que a esclarece sobre o procedimento cirúrgico, bem como exige que a mesma assine 
um termo eximindo o médico e sua equipe de qualquer responsabilidade em relação às 
possíveis consequências das manobras abortivas. Nervosa e ansiosa por resolver logo o 
problema, Joana assina