A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Atelectasia (1)

Pré-visualização | Página 4 de 5

ou por pressão externa.
Muitas cirurgias, principalmente a de colocação do marcapasso, podem causar atelectasia. Isso porque a anestesia altera a dinâmica de entrada e saída de ar dos pulmões, a absorção de gases e a pressão, o que combinado pode levar a algum grau de colapso nos alvéolos.
Fatores de risco
Fatores que aumentam o risco de atelectasia incluem:
Nascimento prematuro, quando os pulmões ainda não foram completamente desenvolvidos
Qualquer condição que interfira na tosse espontânea
Doenças pulmonares como bronquite, asma e fibrose cística
Confinamento em uma cama com pouca movimentação
Cirurgias abdominais ou torácicas recentes
Uso recente de anestesia geral
Fraqueza dos músculos respiratórios
Obesidade
Ter entre um e três anos de idade
Problemas para engolir, principalmente em adultos mais velhos
Respiração superficial
Últimas perguntas sobre Atelectasia
Sintomas
Sintomas de Atelectasia
Os sintomas de atelectasia não são óbvios, mas, caso tenha sintomas, o paciente pode experimentar:
Dificuldade para respirar
Respiração rápida e superficial
Febre baixa
Tosse
Diagnóstico e Exames
Buscando ajuda médica
Atelectasias significantes provavelmente ocorrerão quando a pessoa já está em um hospital, contudo, é necessário procurar um médico caso a pessoa apresente problemas para respirar. Outras condições além das atelectasias podem causar esse sintoma e elas merecem atenção. Caso esteja extremamente difícil respirar, procure cuidados de emergência imediatamente.
Na consulta médica
É bem provável que o paciente já esteja sob cuidados médicos quando a atelectasia aconteça, mas, caso não esteja, ele pode consultar o clínico geral ou um pneumologista.
Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:
Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram, mesmo que não pareçam relacionados à atelectasia
Tente se lembrar e adicionar à lista o que estava fazendo quando sentiu os sintomas e em quanto tempo eles diminuíram
Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
Se possível, leve um acompanhante
O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:
Os seus sintomas têm sido constantes ou ocasionais?
Há algo que faça eles aparecerem?
O que você faz para melhorá-los? O que pode piorá-los?
Teve febre?
O pneumologista ainda pode pedir que você colha uma amostra da secreção para análise.
Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes de sair do consultório. Para atelectasia, algumas perguntas básicas incluem:
Provavelmente, o que está ocasionando meus sintomas?
Quais testes eu preciso fazer?
Os meus sintomas são temporários ou crônicos?
Eu devo seguir alguma restrição (alimentar, exercícios etc.) enquanto estou tratando a atelectasia?
Tenho as outras seguintes condições de saúde, elas podem interferir na atelectasia? Devo tomar alguma outra ação?
Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.
Diagnóstico de Atelectasia
Normalmente os médicos indicam um exame de raios-x do tórax do paciente para diagnosticar atelectasia. Em crianças com sintomas de infecções respiratórias, especialmente pneumonia, o exame pode mostrar a presença de um corpo estranho, que é a causa mais comum de atelectasia em crianças.
Para determinar outras causas, o médico pode pedir os seguintes exames:
Ultrassom
Oximetria
Tomografia computadorizada
Broncoscopia
Tratamento e Cuidados
Tratamento de Atelectasia
O tratamento para atelectasia depende da razão dos sintomas aparecerem. Em pequenas áreas o pulmão pode se curar sem tratamento. Se for ligada a outra situação de saúde, como um tumor, o tratamento pode envolver a remoção ou encolhimento da área afetada com cirurgia, quimioterapia ou radioterapia.
Para pacientes que fizeram ou farão cirurgias nas vias respiratórias, é importante usar técnicas para respirar fundo e ajudar a expandir a área colapsada. Alguns exercícios que os fisioterapeutas respiratórios recomendam são:
Tossir
Posicionar o corpo de forma que a cabeça fique mais baixa que o tronco, fazendo com que o muco seja drenado mais facilmente do fundo dos pulmões
Dar suaves tapas sobre a área colapsada para soltar o muco
Inalações com oxigênio ajudam a aliviar os sintomas da respiração curta
Medicação
Em alguns casos pode ser necessário usar remédios para o tratamento de atelectasia. Entre eles:
Broncodilatadores inalados, que abrem os brônquios para que a respiração fique mais fácil
Acetilcisteína, que ajuda o muco a ficar mais fino para ser eliminado com a tosse
Pulmozyme, principalmente usado para limpar tampões de muco em crianças
Dependendo do caso, o médico pode indicar procedimentos mais invasivos para a remoção das obstruções, que podem ser feitas sugando o muco ou por broncoscopia
Convivendo (prognóstico)
Complicações possíveis
Atelectasia pode causar as seguintes complicações:
Baixa oxigenação sanguínea (hipoxemia)
Fibrose pulmonar
Pneumonia
Insuficiência respiratória
Atelectasia tem cura?
A expectativa para atelectasia depende de cada caso. Em adultos, a atelectasia normalmente dura pouco tempo, os alvéolos pulmonares que entraram em colapso se encherão de ar novamente e o problema estará resolvido.
Geralmente a atelectasia não demanda cuidados durante toda a vida do paciente. Contudo, se atinge grandes áreas do pulmão – especialmente em bebês, crianças pequenas ou adultos com algum problema respiratório pré-existente – ela pode ser fatal se não tratada rapidamente.
Se a atelectasia persistir, ela pode não deixar que o pulmão limpe o muco de forma eficiente, o que gera infecções, como pneumonia.
Prevenção
Prevenção
Para diminuir os riscos de atelectasia a pessoa deve:
Não deixar objetos pequenos com crianças, elas podem coloca-los na boca, engoli-los ou eles acabarem presos nas vias respiratórias
Parar de fumar
Respirar corretamente e fazer exercícios para uma respiração profunda, especialmente após cirurgias
Se estiver de cama, o paciente deve mudar de posição frequentemente
Referências
Manual Merk
Instituto Nacional Americano de Coração, Pulmão e Sangue
Clínica Mayo
5)
O que é atelectasia pulmonar e como tratar
Dr. Arthur Frazão
Clínico geral
Janeiro 2018
A atelectasia pulmonar é uma complicação respiratória que impede a passagem de ar suficiente, devido ao colapso dos alvéolos pulmonares. Isso normalmente acontece quando existe fibrose cística, tumores no pulmão ou quando o pulmão ficou cheio de líquido devido a uma pancada forte no peito, por exemplo.
Dependendo de quantos alvéolos são afetados, a sensação de falta de ar pode ser mais ou menos intensa e, por isso, o tratamento também poderá variar de acordo com a intensidade dos sintomas.
No entanto, em qualquer caso, se existir suspeita de atelectasia é recomendado ir rapidamente no hospital, para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento mais adequado, já que se o pulmão continuar sendo afetado pode existir risco de vida.
Possíveis sintomas
Os sintomas mais comuns da atelectasia incluem:
Dificuldade para respirar;
Respiração rápida e superficial;
Tosse persistente;
Dor constante no peito.
Normalmente a atelectasia acontece em pessoas que já estão internadas, como complicação do estado de saúde, no entanto, caso se sinta algum destes sintomas é muito importante avisar rapidamente um médico ou enfermeiro.
Como confirmar o diagnóstico
Em caso de suspeita de atelectasia, o médico pode pedir vários exames, como raio X do peito, tomografia, oximetria e broncoscopia, para confirmar a presença de alvéolos pulmonares colapsados.
O que pode casuar atelectasia
A atelectasia normalmente acontece quando uma via do pulmão está obstruída ou existe excesso de pressão fora dos alvéolos. Alguns problemas