A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
33 pág.
Atelectasia (1)

Pré-visualização | Página 5 de 5

que podem causar este tipo de alterações são:
Acúmulo de secreções nas vias respiratórias;
Presença de um objeto estranho no pulmão;
Pancadas fortes no peito;
Pneumonia;
Presença de líquido no pulmão;
Tumor pulmonar.
Além disso, após uma cirurgia também é comum que surja atelectasia, pois o efeito do anestésico pode provocar colapso de alguns alvéolos. No entanto, nesse casos é usado um ventilador para garantir que o ar entra adequadamente nos pulmões.
Como é feito o tratamento
O tratamento para a atelectasia é feito de acordo com a causa e a intensidade dos sintomas, sendo que nos casos mais leves podem nem ser necessário qualquer tipo de terapia. Já se os sintomas forem mais intensos, podem ser usados exercícios respiratórios para tentar abrir os alvéolos pulmonares, como tossir, respirar fundo algumas vezes ou dar leves toques sobre a região afetada para soltar o acúmulo de secreções.
Nos casos mais graves, pode ser necessário recorrer a cirurgia, para limpar as vias aéreas ou até para remover a parte afetada do pulmão, permitindo que volte a funcionar corretamente.
Sempre que existe uma causa identificável da atelectasia, como tumor ou presença de líquido no pulmão, deve-se sempre tratar o problema para garantir que a atelectasia não volta a surgir.
6)
Atelectasia pulmonar: o que é isso?
sexta-feira, 19 de abril de 2013 - Atualizado em 26/09/2013
Avalie este artigo
O que é atelectasia pulmonar?
Os pulmões são órgãos extensíveis, cheios de ar, onde se dão as trocas do oxigênio, que vai alimentar o organismo, carreado pela circulação sanguínea, pelo gás carbônico, que os pulmões eliminam por meio da expiração.
A atelectasia pulmonar não é uma doença, mas uma síndrome que pode ocorrer em várias doenças e que consiste na falta de aeração e consequente colapso de parte ou da totalidade de um pulmão, devido a um bloqueio dos brônquios ou bronquíolos. O pulmão, ou parte dele, então “murcha”. Além do prejuízo respiratório, também ocorrem diminuição da oxigenação e outros distúrbios cardiovasculares.
Quais são as causas da atelectasia pulmonar?
As causas mais comuns da atelectasia pulmonar são:
Acúmulo de secreções espessas, formando uma “rolha” que obstrui os brônquios ou bronquíolos.
Compressão por um tumor.
Derrame plural (líquido na cavidade pleural).
Pneumotórax (ar na cavidade torácica).
Aspiração de corpo estranho (principalmente nas crianças).
A atelectasia também ocorre em seguida a uma anestesia geral, sobretudo depois de cirurgias efetuadas no tórax ou no abdome superior.
Quais são os principais sinais e sintomas da atelectasia pulmonar?
Os sintomas da atelectasia pulmonar variam em função da extensão da lesão e da velocidade de sua instalacão. Nas atelectasias agudas, em geral, são: dor torácica, tosse e dificuldade para respirar. Nos casos em que a atelectasia se desenvolve aos poucos, os sintomas não costumam ser muito evidentes e muitas vezes são confundidos com os da doença causal. As atelectasias demoradas podem acabar gerando complicações como infecções, dilatações brônquicas e fibrose pulmonar.
Como o médico diagnostica a atelectasia pulmonar?
Além dos sinais e sintomas, que podem dar uma primeira pista, o médico poderá confirmar o diagnóstico através da radiografia ou da tomografia computadorizadado tórax. O exame físico pode não ajudar muito porque a atelectasia só dá sinais se o colapso pulmonar for extenso. No entanto, ele pode mostrar diminuição da mobilidade torácica, retração costal, dispneia, tosse, diminuição na expansibilidade do pulmão no lado da atelectasia, etc. Em muitos casos, a broncoscopia (exame feito através de um tubo que porta uma câmera de vídeo em sua extremidade) é capaz de detectar o problema. No que se refere a exames bioquímicos, a gasometria mostrará hipoxemia, hipercapnia e alcalose respiratória. Os exames radiológicos, por seu turno, revelarão hipertransparência, aumento da densidade na área colabada, deslocamento do mediastino para o lado da atelectasia, elevação do diafragma e outros sinais típicos que o médico deverá saber avaliar.
Como o médico trata a atelectasia pulmonar?
O tratamento da atelectasia pulmonar depende da sua causa e tem como objetivo re-expandir o pulmão colabado. Se houver infecção bacteriana deve-se usar antibióticos. Os mucolíticos (medicamentos que facilitam a expectoração) poderão ajudar na eliminação das secreções. A fisioterapia pulmonar também pode contribuir com a mobilização das secreções e a broncoscopia pode ser usada para a aspiração dessas secreções. Se a obstrução dos brônquios for motivada pela aspiração de um corpo estranho para as vias aéreas, a broncoscopia pode ser usada para removê-lo, mas se isso não for suficiente, tem-se de apelar para a cirurgia. Ela também, em geral, será necessária para a remoção de tumores.
Como evolui a atelectasia pulmonar?
A evolução da atelectasia pulmonar depende da condição que a causa. Algumas são inteiramente solucionáveis, sem sequelas; outras podem se complicar com infecçõesou insuficiências respiratórias graves e algumas podem, inclusive, exigir cirurgias.
Como prevenir a atelectasia pulmonar?
Depois de uma intervenção cirúrgica o indivíduo deve respirar profundamente, tossir regularmente (sem grande esforço) e começar a se movimentar o mais cedo possível.
Os indivíduos fumantes devem deixar de fumar por seis a oito semanas após uma cirurgia.
Os indivíduos com dificuldades neurológicas ou pulmonares devem usar os aparelhos apropriados para o seu caso.
ABCMED, 2013. Atelectasia pulmonar: o que é isso?. Disponível em: <http://www.abc.med.br/p/sinais.-sintomas-e-doencas/349219/atelectasia-pulmonar-o-que-e-isso.htm>. Acesso em: 10 mai. 2018.