A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Aula 9 Sistema de endomembranas

Pré-visualização | Página 1 de 2

Composto por cisternas, sacos e túbulos, distribuídos por todo o citoplasma, que se comunicam entre si. A comunicação pode ser direta ou por vesículas transportadoras.
Vesículas brotam de um compartimento doador
Viajam pelo citosol em busca do compartimento receptor com fusão de membranas
Uma parte da membrana e do conteúdo do doador se transferem para a membrana e para o compartimento do receptor
O SISTEMA DE ENDOMEMBRANAS
1
Formado pelo retículo endoplasmático (liso, rugoso e o envoltório nuclear ), o complexo de golgi, os endossomos e os lisossomos;
Membranas constituídas de uma dupla camada lipídica com uma das faces voltada para o citosol e a outra para a cavidade da organela (face citosólica e luminal);
Membrana possui glicolipídios e glicoproteínas, intrínsecas e periféricas, e carboidratos orientados para a cavidade da organela.
RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO (RE)
Composto por uma rede de sacos e túbulos achatados, conectados, de membrana contínua e uma única cavidade (lúmen do retículo ou espaço cisternal);
Ocupa mais de 10 % do volume total da célula
O citoesqueleto é quem o mantém em posição mais ou menos fixa no citoplasma;
Dividido em RE rugoso e RE liso, com áreas de transição;
RER é bastante desenvolvido em células com síntese proteica bastante ativa;
Algumas proteínas passam por proteólise limitada formando os fragmentos ativos. 
Local de glicosilação inicial da maioria das glicoproteínas.
Adição de radicais hidroxila, sulfato e fosfato às proteínas.
Retículo Endoplasmático Rugoso
Os ribossomos são aderidos à face citosólica, compondo os polissomos ou polirribossomos por associação com RNA mensageiro;
A afinidade dos ribossomos é em função de receptores específicos na membrana ausentes no REL.
As proteínas destinadas ao RE se inserem na membrana ou são liberadas na cavidade do organela
A síntese se inicia no ribossomo livre no citosol;
O ribossomo se liga à membrana do RE pelo peptídeo sinalizador (peptídeo-sinal) específico;
Proteínas liberadas na cavidade do RER possuem o sinal localizado somente na porção amina da molécula
As proteínas que se inserem na membrana possuem o peptídeo sinal e um sinal de ancoragem
A HSP70 garante o dobramento da proteína na cavidade do RE
Não contém ribossomos;
Responsável pela síntese de ácidos graxos, fosfolipídios de membrana, esteróides e lipoproteínas.
É o principal depósito de cálcio (Ca2+) da célula; 
A membrana do autofagossomo é fornecida pelo REL.
Desintoxicação: no REL dos hepatócitos, enzimas neutralizam substâncias tóxicas para as células, sejam derivadas do metabolismo da célula ou incorporadas do exterior.
Retículo Endoplasmático Liso (REL)
Síntese de esteróides nas células das gônadas e glândulas supra-renais; 
Nos hepatócitos, na síntese de lipoproteínas que circulam no sangue e bilirrubina;
Nos hepatócitos, desfosforilação da glicose 6-fosfato em glicose;
Síntese de glicoproteínas formadas por ligações N-glicosídicas. A ligação do carboidrato é feita pelo grupo amida de uma asparagina. A síntese continua no complexo de golgi. 
Síntese de triglicerídeos, nas células epiteliais do intestino delgado, a partir da absorção de ácido graxo e glicerol. 
COMPLEXO DE GOLGI
Localizado entre o retículo endoplasmático e a membrana, e entre eles os endossomos e lisossomos;
Moléculas provenientes do RE chegam ao complexo de golgi por moléculas transportadoras, percorrem-no, desprendem-se dele e chegam à membrana plasmática e aos endossomos;
Local onde as moléculas sofrem modificações necessárias para suas atividades biológicas;
Na célula secretora polarizada, ocupa a posição intermediária entre o núcleo e a superfície onde a secreção é liberada;
Formado por dictiossomos (do grego díktyon, rede, sôma, corpo) que são sacos membranosos achatados circundados por vesículas de membrana mais ou menos esféricas;
A pilha de sacos tem três regiões definidas como cis, medial e trans.
Estrutura
As proteínas seguem da região cis para a medial e para a trans;
Em cada região, há enzimas que modificam proteínas secretoras e de membrana de forma diferente, dependendo da estrutura e do seu destino;
A proteína é transportada para fora do complexo em vesículas de transporte;
Vesículas de transporte, denominadas de vesículas revestidas, são circundadas por uma grade proteica externa composta de clatrina.
Glicosilação dos lipídios das membrana celulares, isto é, adição de glicose, galactose, fucose, ácido siálico, etc, à molécula do lipídio;
Glicosilação de proteínas (glicosilação final) formadas por ligações O-glicosídicas. A ligação do carboidrato à cadeia proteica é feita pelo grupo OH de uma serina ou treonina;
A glicosilação deixa a glicoproteína resistente às proteases e tem importante papel regulatório, por exemplo na transdução de sinal. 
Adição de sulfato (sulfatação) à fração glicídica de glicoproteínas e proteoglicanas
Proteólise de proproteína em uma proteína ativa. Ex: pró-insulina > insulina
Funções
As vesículas transportadoras se originam na membrana citoplasmática ou nas membranas dos organelas do sistema de endomembranas;
A formação da vesícula é auxiliada por coberturas proteicas denominadas de COP (Coat Protein) e cobertura de clatrina;
Há dois tipos de cobertura COP, denominadas de COPI e COPII:
COPI – geram as vesículas formadas no lado de entrada do complexo de golgi e as que retornam ao RE;
COPII – geram as vesículas formadas no RE e se dirigem para a face de entrada do complexo de golgi;
FORMAÇÃO DAS VÉSICULAS TRANSPORTADORAS
23
Cobertura de clatrina – gera vesículas que surgem da membrana plasmática durante a endocitose e as que se formam no lado de saída do complexo de golgi e se dirigem aos endossomos e à membrana plasmática durante a secreção regulada.
As unidades COP I e II são construídas no citosol e se aderem à membrana e a curvam
A conexão à membrana é feita através da proteína ARF (Adenisine Diphospahte Ribosylation Factor) e pelo domínio citosólico do receptor da molécula a ser transportada;
Depois que as vesículas se desprendem, as ARF e COP se desligam e ficam livres no citosoL.
COMO AS VESÍCULAS SE FORMAM???
25
A cobertura de clatrina é formada de subunidades denominadas TRISQUÉLIONS;
Os trisquélions são colocados em uma área circunscrita no lado citosólico da membrana e encaixados entre si até formar um poliedro com aspecto de cesta;
A ligação dos trisquélions à membrana confere a ela a força mecânica que provoca uma curvatura;
Os trisquélions também se unem ao domínio citosólico dos receptores das substâncias que entram na célula por endocitose regulada;
Como os receptores variam, para unir-se a eles, os trisquélions necessitam de uma outra proteína chamada de adaptina
29
Secreção é a liberação do conteúdo das vesículas transportadoras no meio extracelular;
Na secreção constitutiva, as moléculas são secretadas de forma automática, a medida que o complexo de golgi emite as vesículas que as transportam;
Na secreção regulada, as moléculas são retidas no citoplasma, dentro das vesículas transportadoras, até a chegada de uma substância indutora ou sinal que ordene sua liberação.
Secreção constitutiva e regulada
Endocitose é o mecanismo que permite a entrada de macromoléculas e partículas nas células;
Tipos de endocitose: pinocitose e fagocitose.
Pinocitose é a entrada de líquido junto com macromoléculas e dissolvidas no soluto;
Pinocitose inespecífica, as substâncias ingressam automaticamente sem presença de receptores;
Pinocitose regulada, as substâncias interagem com receptores específicos na membrana plasmática, que desencadeia a formação de vesículas pinocíticas; 
Uma substância pode entrar em uma célula mas não em outra;
A fagocitose ocorre em poucos tipos celulares (macrófagos e neutrófilos) e permite a incorporação de partículas grandes e estruturadas por intermédio do fagossomo;
Pode ser favorecida