A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
336 pág.
arte visual

Pré-visualização | Página 11 de 50

elas 
têm nas mãos? Você consegue imaginar qual sua profissão? O que eles estavam fazendo ali? Do 
lado direito, no pé do primeiro militar, há uma linha inclinada e depois um peixe representa-
do. Esta figura possivelmente represente o Rio Nilo, indicando em que local o Faraó estava ca-
çando. Por que os militares estão representados menores que o Faraó?
Há também uma série de pequenos desenhos em volta, normalmente seguidos de linhas re-
tas na posição vertical. Esses pequenos desenhos eram a escrita dos egípcios naquela época, 
e se chamam hieróglifos. Você sabia que os hieróglifos foram desvendados? Quem os decifrou 
foi um francês chamado Jean-François Champollion (1790-1832) em seu último ano de vida e 
por isso ele é considerado o primeiro egiptólogo do mundo.
Relevo do templo em Meidnet Hamu (detalhe). Vigésima Dinastia. C. 1190-1160 a.C. (GARBINI, 
Giovanni. O Mundo da Arte: o mundo antigo.Editora Expressão e Cultura, 1966, p. 126)
<
47Você suporta arte?
Arte
48 Movimentos e Períodos
Ensino Médio
01. Certamente você percebeu que essa obra, embora visual, trata-se de uma espécie de narrativa. Es-
creva a história desta caçada.
02. Agora que você já conhece o sentido da lei da frontalidade e da hierarquia utilizada nas representa-
ções bidimensionais egípcias, faça uma composição obedecendo as mesmas regras. Escolha o te-
ma, por exemplo: política, esporte, educação, família ou outro que preferir. Mas lembre-se, tem que 
ter pelo menos três personagens para que seja representada a hierarquia, e não deve ser esqueci-
da a lei da frontalidade para ficar com característica de desenho egípcio.
	 ATIVIdAdE
A Parede na Idade Média
A Idade Média ocorreu entre os séculos V, que tem como marco 
a queda do Império Romano, e o XV, quando inicia o Renascimento. 
No início da Idade Média, os bárbaros invadiram a Europa ocidental 
e destruíram muitas das construções e obras de arte. Mais tarde foram 
construídos os grandes castelos, como esses que vemos nos livros de 
contos de fadas. Nesta época, as religiões pagãs entraram em declínio 
e a Igreja e o Cristianismo passaram a dominar a Europa. Neste perío-
do também ocorreu a Santa Inquisição, em que aqueles, considerados 
pagãos ou hereges, eram perseguidos e, muitas vezes, mortos em no-
me de Deus.
Na Idade Média, temos três períodos artísticos: o Bizantino, o Româ-
nico e o Gótico. Neles há uma ênfase no mundo espiritual, em detri-
mento do mundo físico, daí resulta que as imagens sofrem uma esque-
matização, não havendo preocupação com a perfeição anatômica. As 
principais técnicas utilizadas eram o mosaico e o afresco.
z
Afresco é um método de pintura mural que consiste na aplicação de co-
res diluídas em água sobre um revestimento de argamassa ainda fresco, de 
modo a facilitar a absorção da tinta.
Mosaico é uma imagem ou padrão visual criado por meio da incrustação 
de pequenas peças coloridas de pedra, mármore, vidro, esmalte ou cerâmi-
ca, justapostas e fixadas com cimento sobre uma superfície. Por exemplo, 
as pastilhas de cerâmicas fixadas em uma parede, um piso. 
(Houaiss, 2001).
49Você suporta arte?
Arte
Observe que o Imperador Constantino foi representado, no mosaico do Período Bizantino, 
com uma auréola na cabeça. Constantino foi o imperador romano que confirmou o cristianis-
mo como religião oficial do Império. 
Nas imagens sacras apenas a cabeça de Cristo e dos santos era envolvida por esse círculo 
dourado e brilhante. Como podemos interpretar a auréola na cabeça de Constantino? 
A auréola na cabeça de Cristo, dos santos e até mesmo de personagens como o imperador 
Constantino é um símbolo de poder. Na atualidade, quais objetos representam poder?
Veja a seguir a obra A Lamentação, de Giotto; nela as auréolas foram representadas apenas 
sobre as cabeças dos santos. Observe que o afresco parece dividido em duas partes. Quais são 
elas, e o que significam?
Giotto utilizou alguns artifícios de representação para destacar a figura do Cristo. Por exem-
plo, todos os personagens do quadro – anjos, santos e pessoas comuns – dirigem seu olhar pa-
ra Jesus. O caminho que aparece atrás das figuras que protegem Cristo simboliza a descida do 
Calvário. O que o artista consegue exprimir por meio desta representação?
Compare o afresco de Giotto com o mosaico representando Constantino e o Relevo Egíp-
cio do Templo em Meidnet Hamu. Note que diferentemente das obras do Egito Antigo quan-
do o Faraó, por ser o personagem mais importante, era representado maior, Giotto representou 
Cristo do mesmo tamanho dos outros personagens. Já em comparação com a figura de Cons-
tantino, em que a auréola foi representada sobre um imperador, Giotto representa as auréolas 
identificando os santos, os anjos e Cristo.
Detalhe do Mosaico A Virgem com Constantino e Justiniano. Basí-
lica de Santa Sofia, Istambul.
< GIOTTO di BONDONE, A Lamentação, 1305. Cappella dei Scrovegni, Pádua.<
50 Movimentos e Períodos
Ensino Médio
O Pergaminho como Suporte
Pergaminho é o nome dado a um tipo de couro de caprino, ou ovino 
próprio para se escrever, muito utilizado na Idade Média. Esta técnica foi 
aperfeiçoada no antigo reino de Pérgamo, daí seu nome. (Houaiss, 2001). 
No Ocidente, foram feitas no pergaminho as primeiras ilustrações 
de textos que conhecemos. Um dos tipos de ilustrações desta época 
era a “Iluminura”, que é aquela primeira grande letra decorada que 
costumamos ver nos textos de contos de fadas.
A Tela como Suporte 
Na Renascença passa-se a utilizar a tela como suporte para a pintura. 
Normalmente feita de tecido, por exemplo, algodão, cânhamo ou linho, 
esticado sobre um chassi ou caixilho, o uso da tela facilitava o transpor-
te das pinturas. 
O material utilizado era a tinta a óleo que, segundo Vassari, foi in-
ventada por Jan Van Eyck, um pintor do final do Período Gótico ou do 
início da Renascença. A terebintina, uma espécie de solvente oleoso, 
era misturada ao pigmento que depois era aplicada à tela. Esse proces-
so impedia a secagem rápida da tinta, possibilitando ao artista refazer 
parte do trabalho, modificar sombreados, mudar certas tonalidades pa-
ra dar maior realismo às obras.
z
z
SANDRO BOTTICELLI. Nascimento de Vênus, 1482.Têmpera sobre madeira, 1,72.5m x 2,78.5 m, Galleria degliUffizi, Florença. <
51Você suporta arte?
Arte
Note que esta obra pode ser, a partir da Vênus, dividida em du-
as partes, uma com Zéfiro flutuando e outra com a primavera. Obser-
ve que Botticelli, para conseguir uma boa organização visual, repre-
senta a Vênus com uma certa curvatura para o lado direito da obra. 
Para contrabalançar a Primavera com um tecido nas mãos sobre um 
fundo arborizado no lado direito da obra, o artista coloca dois perso-
nagens abraçados na parte superior esquerda. Isto dá o equilíbrio se-
reno à obra, passando a impressão que a Vênus nasce em meio a mui-
ta tranqüilidade.
Você consegue ver a linha de contorno? Não encontrou? Claro que 
não. Nesta época, os pintores deixaram de representar a linha de con-
torno como foi utilizada na Idade Média. O que ocorre, é que na ver-
dade, se você observar, a linha de contorno é uma invenção humana, 
não existindo na natureza. 
Em que momento os personagens parecem-se mais com os seres 
humanos de verdade, na Lamentação de Giotto ou no Nascimento de 
Vênus de Botticelli? Por quê?
Crie uma cena da mitologia grega. Mas antes reflita sobre algumas questões: Como poderia ser a re-
presentação de uma deusa do Amor e da Beleza na atualidade? Como você representaria o nascimento 
do amor e da beleza? Descreva os aspectos que você manteria iguais e quais você mudaria.
Utilize uma folha de papel sulfite para fazer esta representação e tente pintar com vários tons. Pode 
ser com lápis de cor ou tinta, se preferir. Depois, compare a sua composição com a de Botticelli. Exis-
tem semelhanças?

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.