FICHAMENTO GESTÃO ESTRATTÉGICA DE COMPRAS E FORNECEDORES
4 pág.

FICHAMENTO GESTÃO ESTRATTÉGICA DE COMPRAS E FORNECEDORES

Pré-visualização1 página
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

Fichamento de Estudo de Caso

Nome do aluno (a) Carlos Emanoel Franco Nascimento

Trabalho da disciplina: Gestão estratégica de compras e fornecedores
Tutor: Prof: Audemir Leuzinger de Queiroz

Local: Juiz de Fora / MG
Ano: 2018

Estudo de Caso :

TÍTULO: Algumas descobertas preliminares das práticas compras no Japão e Estados Unidos
 Subtítulo: Processo de compras no modelo Jit nos EUA e Japão

O trabalho do autor baseia-se em estudos de empresas norte-americanas e japonesas em relação as práticas de compras e relação de vendedor / fornecedor.
O foco das operações japonesas e americanas está relacionamento diretamente ao sistema JIT ( just in time), o texto em estudo abrange a estratégia no ramo de compras.
O sistema just in time é definido como a execução de um processo no momento certo e na hora certa, no artigo abordado ao executar a compra com JIT, o fornecedor se torna uma estação que mantém um ponto em especifico no processo de fabricação, no caso em questão o fornecedor iria ‘’ terceirizar’’ as operações do fabricante, e a ideia de anular os inventários seria atingida. Vale ressaltar que as entregas seriam feitas apenas uma unidade por vez, ocasionando gastos nos transportes.
As compras com JIT se resume em anular desperdícios, perdas e ineficiência no processo de compras. Podemos citar algumas informações relevantes no qual de refere compra convencional e com JIT.
Nas compras convencionais em razão do tamanho do lote torna-se as entregas irregulares ( apenas uma entrega por dia). Já nas entregas com JIT o volume de mercadorias e menor, facilitando as entregas ou seja várias entregas por dia. Nas compras convencionais os inventários são usados e mantidos, já nas compras com JIT o inventário tem pouca utilidade, pois as entregas são executadas com grande frequência.
Estudos apontam que a compra convencional seria um modelo contraditório, pois o comprador tenta minimizar o preço dos bens comprados. Os fornecedores são mantidos no plano estratégico e os contratos por sua vez tendem a ser de curto prazo e o relacionamento entre vendedor e comprador e mantido dentro da normalidade.
Em meados de 1986 ocorreu estudos com gerentes da área de compra de dez fabricantes diferentes. Estudos no qual o conteúdo seria as praticas de compra dos fabricantes japoneses e norte-americanos
O objetivo do estudo estava relacionado em buscar o que diversas empresas pensavam e agiam quando o assunto JIT era relacionado no ramo das compras. Vale ressaltar que nem todas as empresas usavam o sistema JIT em seu processo de compras.
As empresas japonesas que declararam que usavam o sistema JIT em suas operações ( Toyota, Roland, e Hino motors), demonstrou que a frequência de entrega para as peças adquiridas variou de acordo com os custos de armazenamento relativo do item comprado.
No mercado americano foi priorizado o volume de peças para entrega de acordo com o tamanho e o custo relativo ao serviço. Itens com grande volume como exemplo chapas de aço, conjuntos de gabinete dentre outros foram entregues com JIT e foram produzidos no modelo ‘’ offshore’’ ( atividades abertas onde ocorre menor tributação).
No mercado americano e no mercado japonês, peças adquiridas foram selecionadas para entrega JIT, de acordo com critérios estes sendo estes tamanho físico, custo do item comprado, proximidade demográfica do fornecedor.
Os cartões kanbam é apenas uma das muitas formas de programação de ordens de compra, no Japão não se encontrou nenhuma empresa fora da indústria automobilística que usava o sistema kanban. Sendo que apenas a Toyota estava usando os cartões kanban
Nos EUA não era diferente , o kanban era designado apenas para produtos selecionados. A politica norte-americana de trabalhar com um numero menor de fornecedores e a capacidade de implementar o JIT deu inicio a uma nova diretriz a ‘’ fonte única’’. Os gerentes norte-americanos tiveram um alto nível de satisfação com os resultados da diretriz
No Japão a fonte única permitiu que os fabricantes mantivessem preços competitivos e altos níveis de serviço. Vale ressaltar que os gerentes japoneses, não eram adeptos da estratégia em questão, eles acreditavam na estratégia de fontes múltiplas para garantir os preços competitivos, e garantir os elevados níveis de qualidade. Podemos citar a Toyota que usava até cinco fornecedores diferentes para o mesmo item comprado.
A estratégia pelos americanos e japoneses para a escolha dos fornecedores eram basicamente as mesmas, elas se enquadravam em avaliar os procedimentos de controle de qualidade de seus fornecedores. Dentre essas avaliações se enquadravam: Avaliação da qualidade dos produtos dos fornecedores, analise dos procedimentos de controle de qualidade do fornecedor, avaliação ao cumprimento de cronogramas, comprometimento do fornecedor ao que se refere em cortar custos e revisão periódica das finanças dos fornecedores.
O acordo de compra eram basicamente os mesmos entre japoneses e norte-americanos, as estratégias de compras no sistema JIT era executada em curto prazo de três a dezoito vezes e informal no máximo três paginas
As compras realizadas no sistema JIT necessitam de controles de qualidade estritos e adesão pertinente ao controle ( cronograma de entrega).
Os gestores envolvidos no processo de compra aprovaram o sistema JIT e reconheceram os benefícios do mesmo.

FONTE: Biblioteca Estácio de Sá