penal 4
2 pág.

penal 4

Disciplina:Direito Penal23.419 materiais311.939 seguidores
Pré-visualização1 página
DIREITO PENAL I - CCJ0007

Título

Caso Concreto 4

Descrição

Caso concreto

Leia o caso concreto abaixo e responda às questões formuladas.

Belízia e Adamastor mantém um relacionamento estável e moram juntos há um ano, entretanto

Adamastor esconde da amada uma dívida de R$5.0000,00 por temor que ela o abandone em

decorrência da mentira. Cobrado da dívida, ele decide pegar emprestado o valor com Belízia

sem o conhecimento desta. Desta forma, forja um investimento e diz a ela que o rendimento será

enorme em um curto período de tempo. Belízia transfere a referida quantia para a conta corrente

de Adamastor certa de que terá a restituição e os respectivos frutos em breve. Sendo certo que,

desde o início, Adamastor induziu Belízia a erro a fim de pagar sua dívida sem contar à amada,

em tese, sua conduta configura a figura típica de estelionato, previsto no art.171, do Código

Penal.

Ante o exposto, com base nos estudos acerca da Interpretação e Integração da norma penal,

responda de forma objetiva e fundamentada:

a) qual fundamento será utilizado pela defesa para fins de aplicação do disposto no art.181, I, do

Código Penal?

RESPOSTA: O Código Penal, pelo art. 181, prevê isenção de pena para quem comete algum

dos crimes contra o patrimônio, previstos no Título II da sua parte especial, sem violência ou

grave ameaça, contra cônjuge, ascendente ou descendente, desde que a vítima seja menor de

60 (sessenta) anos. A essa isenção dá-se o nome de escusa absolutória. Embora o dispositivo

legal refira-se a cônjuge, a verdade é que a imunidade também alcança os casos de união

estável, reconhecida por lei como entidade familiar (CC, art. 1.723 e s.), estabelecendo, assim,

tal como no matrimônio, direitos e obrigações de ordem patrimonial.

b) Diferencie analogia, interpretação analógica e interpretação extensiva.

RESPOSTA: A analogia é uma forma de auto-integração da lei, uma forma de aplicação da

norma legal, um método de integração do sistema jurídico, que pressupõe a ausência de lei que

discipline especificamente a situação que enseja a extensão de uma norma jurídica de um caso

previsto a um caso não previsto, com fundamento na semelhança entre ambos. Como não há

norma reguladora para a hipótese, empresta-se uma lei existente aplicada a um caso, para outro

similar.

A interpretação analógica, ela é o processo de averiguação do sentido da norma jurídica,

valendo-se de elementos fornecidos pela própria lei, através de método de semelhança. Ocorre

sempre que o legislador apresenta uma forma casuística (fechada) seguida de uma fórmula

genérica (aberta).

A interpretação extensiva, é o processo de extração do autêntico significado da norma,

ampliando-se o alcance das palavras legais, a fim de se atender a real finalidade do texto. Nesta,

existe uma norma regulando a hipótese, de modo que não se aplica a norma do caso análogo,

não mencionando, tal norma, expressamente essa eficácia, devendo o intérprete ampliar seu

significado além do que estiver expresso.

Questão objetiva.

Motorista é preso por embriaguez ao volante após acidente em Itapetininga Segundo a PM,

acidente foi registrado no Jardim Itália. Condutora do outro veículo foi socorrida com ferimentos

leves. (disponível em: https://g1.globo.com/sp/itapetininga-

regiao/noticia/2018/07/23/policiaprende-motorista-por-embriaguez-ao-volante-em-

itapetininga.ghtml, atualizado em 23/07/2018 11h37) Um homem foi preso suspeito de dirigir

embriagado após se envolver em um acidente com outro carro, neste domingo (22), no bairro

Jardim Itália, em Itapetininga (SP). De acordo com a polícia, a batida aconteceu no cruzamento

entre a rua Antonio Fogaça de Almeida e Expedicionários Itapetininganos. Devido ao impacto, a

motorista do veículo atingido foi socorrida com ferimentos leves e levada ao Hospital Regional.

Ainda segundo a polícia, o motorista que causou o acidente não ficou ferido, mas durante o

atendimento da ocorrência os policiais notaram que ele estava embriagado. Porém, o homem se

negou a fazer o teste do bafômetro. Após o acidente, o motorista foi levado para a delegacia,

onde foi autuado por embriaguez ao volante. Uma fiança de R$ 1 mil foi arbitrada e, após

pagamento, ele foi liberado. A CNH dele foi suspensa.

No caso exposto, uma vez que a condutora do outro veículo sofreu lesões corporais culposas,

surge o denominado conflito aparente de normas entre figuras típicas do Código Penal e do

Código de Trânsito Brasileiro, (CTB. Lei n.9503/1997). O referido conflito deverá ser solucionado

pelo princípio:

a) Alternatividade

b) Especialidade

c) Consunção

d) Subsidiariedade.

RESPOSTA: Letra B.