A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
50 pág.
1. Conhecimentos Gerais Nordeste Prof. Joanilson

Pré-visualização | Página 9 de 31

574,8 
hab./km². 
 
•Agreste (20 municípios) – Arapiraca (sede); Campo 
Grande; Coité do Nóia; Craíbas; Feira Grande; Girau do 
Ponciano; Igaci; Junqueiro; Lagoa da Canoa; Limoeiro 
de Anadia; Olho D’água Grande; São Sebastião; 
Taquarana; Traipu; Palmeira dos Índios; Estrela de 
Alagoas; Belém; Tanque d’Arca; São Brás; Jaramataia. 
 
Essa região metropolitana foi criada no ano de 
2009. Apresenta uma área de aproximadamente 5.000 
km² e uma população que ultrapassa os 600 mil 
habitantes. 
 
•Natal (09 municípios) – Natal (sede), Ceará-Mirim; 
Extremoz; Macaíba; Monte Alegre; Nísia Floresta; 
Parnamirim; São Gonçalo do Amarante e São José do 
Mipibu. 
 
Profs.: Italo Trigueiro / Joanilson Jr. GEOGRAFIA DO NORDESTE – BNB 
 
 
15
 
Formada por nove municípios, a Região 
Metropolitana de Natal apresenta-se como uma das 
regiões de maior dinamismo econômico e social do Rio 
Grande do Norte. Do ponto de vista da urbanização, 
apresenta uma acentuada diferença, pois a população 
rural de alguns municípios é superior à população 
urbana. 
A região metropolitana corresponde a 5,16% do 
território estadual abrangendo uma superfície de 
2.719,574 km². Sua população atingiu 1.312.123 
habitantes (isto já representa mais de 40% da população 
do Rio Grande do Norte) com densidade demográfica de 
482,47 hab./km². (IBGE, 2009) 
 
•São Luís (04 municípios) - São Luis (sede), Paço do 
Lumiar; Raposa; São José de Ribamar. 
 
 
Fonte: IBGE, Contagem da População – 2007. Rio de Janeiro: IBGE, 2008. 
 
A região metropolitana de São Luís possui uma 
economia diversificada. Destacam-se a grande usina de 
alumínio (Alumar), segunda maior do país, a usina de 
ferro da Vale (ex-Vale do Rio Doce), o complexo 
portuário da ilha formado pelos terminais de Itaqui, Ponta 
da Madeira e Alumar, sendo um porto muito profundo e 
capaz de receber navios de grande calado. 
Nos demais municípios destacam-se atividades 
primárias como agricultura, pesca, extrativismo vegetal e 
exploração mineral. A infraestrutura da ilha conta com 
um aeroporto de médio porte (Marechal Cunha 
Machado), o porto do Itaqui, já mencionado, o terminal 
rodoviário de São Luís, estação ferroviária, e dois 
terminais para barcos de passageiros, um em São Luís o 
outro em São José de Ribamar. 
Fica sediado na região metropolitana de São Luís 
o centro de operações do CLA (Centro de Lançamento 
de Foguetes de Alcântara). De acordo com o IBGE 
(2008) a região metropolitana de São Luís apresenta 
uma área de 1.410,015 km², uma população total de 
1.211.270 habitantes e uma densidade demográficas de 
859 hab./km². 
 
•Sudoeste Maranhense (8 municípios) – Imperatriz 
(sede); João Lisboa; Buritirana; Senador La Rocque; 
Davinópolis; Governador Edison Lobão; Montes Altos; 
Ribamar Fiquene. Foi criada no ano de 2005. A 
população total estimada para 2009 é de 334.899 
habitantes de acordo com o IBGE. 
 
•João Pessoa (9 municípios) – João Pessoa (sede); 
Bayeux; Cabedelo; Conde; Cruz do Espírito Santo; 
Lucena; Mamanguape; Rio Tinto; Santa Rita; Alhandra; 
Pitimbu; Caapora. Criada no ano de 2003, a Região 
Metropolitana de João Pessoa apresenta uma área de 
2.741,923 km² e reúne cerca de um terço da população 
paraibana. Tem como destaque o porto de Cabedelo, 
que é a principal via de exportação e importação do 
estado. 
 
•Campina Grande (23 municípios) – Campina Grande 
(sede); Lagoa Seca; Barra de Santana; Caturité; Gado 
Bravo; Pocinhos; Matinhas; Serra Redonda; Aroeiras; 
Queimadas; Boqueirão; Esperança; Puxinanã; Ingá; 
Riachão do Bacamarte; Fagundes; Boa Vista; Montadas; 
Massarandura; Alagoa Nova; Areial; São Sebastião de 
Lagoa de Roça; Itatuba. Foi criada no ano de 2009 e 
possui cerca de 690 mil habitantes distribuídos em uma 
área de 4.974,123 km². A RMCG é a maior região 
metropolitana do interior nordestino. 
 
•Aracaju (4 municípios) – Aracaju (sede); São Cristovão; 
Barra dos Coqueiros e Nossa Senhora do Socorro. Foi 
criada em 1995 e possui uma população em torno de 
795 mil habitantes de acordo com a estimativa do IBGE 
(2009). 
 
RECURSOS NATURAIS DO NORDESTE 
 
A natureza fornece-nos todos os recursos 
naturais de sobrevivência, isto é, todos os meios 
materiais de existência. O homem, através do seu 
trabalho, transforma os recursos naturais em riquezas, 
ou seja, em produtos necessários ao ser humano. 
Podemos classificar os recursos naturais em 
renováveis e não-renováveis. 
 
•Renováveis: aqueles que, uma vez utilizados pelo 
homem, regeneram-se espontaneamente ou através de 
práticas conservacionistas: Ex.: água, ar, sol, solo, etc. 
•Não-Renováveis: aqueles que, uma vez esgotados, 
não mais se regeneram. Ex.: carvão mineral, ferro, 
petróleo. 
 
RECURSOS MINERAIS 
 
Entre as produções minerais do Nordeste, a de 
cloreto de sódio (sal) destaca-se como a mais 
importante. As maiores produções são oriundas do Rio 
Grande do Norte, cerca de 60% da produção nacional. 
Além do sal marinho destacaremos ainda: Caulim 
(CE/PB/PE), Cobre (BA), Chumbo (BA), Ferro (BA/CE), 
Fosforita (RN/PE), Gipsita (RN/PB/PE/BA), Manganês 
(PE), Tungstênio (RN) e Urânio (CE). 
 
AGRONEGÓCIO 
 
As últimas décadas foram fundamentais para o 
desenvolvimento da agricultura nordestina. Atualmente 
diversos projetos de fruticultura irrigada para a 
exportação instalam-se em inúmeros pontos do 
Nordeste. Petrolina e Juazeiro, são as áreas tradicionais 
de cultivo de cereais e regiões como o Vale do Rio Açu, 
no Rio Grande do Norte, formam o novo nordeste 
empreendedor. 
O estado da Bahia é o principal produtor agrícola 
da região, ele responde por 96,2% da produção de café, 
61,6% da produção de soja, 41,3% da produção de feijão 
e 41, 3% da produção de milho do Nordeste. O estado 
do Maranhão é o responsável pela maior produção de 
arroz do Nordeste brasileiro. O estado da Paraíba é o 
maior produtor de abacaxi e a Bahia o maior produtor de 
mamão da região. 
 
GEOGRAFIA DO NORDESTE – BNB Profs.: Italo Trigueiro / Joanilson Jr. 
 
 
16 
 
MOVIMENTO DA PRODUÇÃO DO AGRONEGÓCIO 
PELAS ESTRADAS FEDERAIS E PORTOS 
 
 
Fonte: Litoral e Sertão: natureza e sociedade no nordeste brasileiro. 
 
RECURSOS VEGETAIS 
 
•Carnaúba: utilizado na produção de cera, aplicação 
industrial: lubrificantes, vernizes, sabonetes, velas, óleo, 
madeira, medicamentos, folhas, coberturas, etc. 
(encontrado nos estados do CE, RN, PI, MA). 
•Babaçu: óleo comestível, celulose, ração animal, álcool, 
combustível, perfumes, bebidas, etc. (MA – 75% da 
produção). 
•Castanha de Caju: óleo comestível, doces, alimentos, 
etc. (CE-RN). 
•Caroá: cordas, barbantes, tecidos. (PE); 
•Lucuri: esteiras, doces, refrescos (fibras e frutos). (BA). 
•Oiticica: oliaginosa. (CE). 
•Piaçava: escovas, vassouras. (BA). 
 
A produção de flores vem apresentando 
desenvolvimento acentuado e em generosa expansão, 
principalmente a partir dos anos 1990. Os quatro 
principais produtores são Bahia, Pernambuco, Ceará e 
Alagoas. Com o direcionamento de investimentos 
observa-se o crescimento de atividades importantes para 
o desenvolvimento da região. 
 
 
Cultivo de flores do Campo da empresa Flora Fogaça, 
em São Benedito (CE), na Serra da Ibiapaba. 
 
PRINCIPAIS AGROPÓLOS DO NORDESTE 
 
PÓLOS CARACTERÍSTICAS 
Sul do Maranhão Culturas mecanizadas de soja, milho, arroz e feijão 
Piauí (Uruçuí-Gurguéia) Culturas mecanizadas de soja, milho, arroz e feijão 
Oeste da Bahia Setor de grãos entre o semi-árido e o cerrado. 
Pólo Jaguaribe-Açú-Mossoró 
No Ceará apresenta culturas 
diversificadas. Oeste do RN (pólo 
fruticultura) destaque para melão e 
manga. 
Pólo Cearense Cariri – Milho, feijão, banana. 
Pólo Petrolina-Juazeiro 
Situado no médio são Francisco é o 
maior complexo agroindustrial do 
Nordeste, destaque para as frutas 
para

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.