Relatório QUIMICA ANALITICA leite de magnesia
12 pág.

Relatório QUIMICA ANALITICA leite de magnesia


DisciplinaQuimica Analitica Avancada70 materiais552 seguidores
Pré-visualização2 páginas
UNIVERSIDADE ALTO VALE DO RIO DO PEIXE \u2013 UNIARP
CURSO DE FARMÁCIA
GISELE RICARDO
TITULOMETRIA DE NEUTRALIZAÇÃO
LEITE DE MAGNÉSIA
CAÇADOR
2018
1. INTRODUÇÃO
A prática consiste em determinar o Teor do Hidróxido de Magnésio em Leite de magnésia.
Leite de magnésia é a suspensão (solução) de hidróxido de magnésio - Mg(OH)2 - em água Sua ação laxante deve-se à reação dela com o Ácido clorídrico do suco gástrico , formando cloreto de magnésio - MgCl2 - que é deliqüescente, ou seja, absorve muita umidade, chegando até mesmo a se dissolver na água absorvida do meio. Desse modo, lubrifica-se os intestinos, neutralizando a prisão de ventre.
 Em doses moderadas, serve também para ação antiácida, devido às suas propriedades alcalinas (reação de salinização do ácido clorídrico), mas prefere-se os bicarbonatos para tal.
A volumetria tem sido usada para a realização de análises quantitativas há mais de 200 anos. Sendo tradicionalmente considerada como um método primário de análise, é muito utilizada para validar outros métodos secundários
A análise titulometria ou volumetria está baseada na operação de titulação de uma solução por outra, cujas características devem ser perfeitamente conhecidas. Quando em uma titulação o volume de solução é monitorado o procedimento é chamado de volumetria.
Numa titulação, a quantidade desconhecida de um composto é determinada através da reação deste com um reagente padrão ou padronizado. As reações devem ser simples, com estequiometria conhecida, rápidas e, durante a titulação, devem ocorrer mudanças químicas ou físicas (temperatura, condutividade, pH), principalmente no ponto de equivalência.
A volumetria de neutralização compreende titulações de espécies ácidas com uma solução padrão alcalina e titulações de espécies básicas com solução padrão ácidas. Comumente, o ponto final na volumetria de neutralização é sinalizado com o auxílio de indicadores ácidos-básicos. É, assim, muito importante, posto que cada indicador possua uma zona de transição própria, conhecer o ponto da escala do pH em que se situa o ponto de equivalência da titulação, e mais do que isso, a maneira como varia o pH no curso da titulação, particularmente em torno do ponto de equivalência.
O leite de magnésia utilizado nesse experimento é Leite de Magnésia Philips.
O objetivo dessa prática é calcular a porcentagem de hidróxido de magnésio Mg(OH2) presente no leite de magnésia.
2. REVISÃO BIBLIOGRAFICA
2.1. Titulometria de Neutralização
 Análise volumétrica, ou titulometria, consiste, basicamente, em determinar o volume de determinada solução de concentração exatamente conhecida, necessário para reagir quantitativamente com outra solução, cuja concentração quer se determinar. A solução de concentração exatamente conhecida é denominada solução padrão; e a operação que determina o volume de solução necessário para reagir com a solução problema é denominada titulação.
Quando a quantidade de substância cuja concentração quer se determinar e a quantidade de solução padrão adicionada são quimicamente equivalentes, tem-se o ponto de equivalência (ou ponto final teórico). Qualquer propriedade que varie bruscamente nas imediações do ponto de equivalência pode servir, em princípio, para a localização deste. 
Com soluções padrões ácidas podem ser determinadas substâncias alcalinas. Com soluções padrões alcalinas são determinadas substâncias ácidas. Tem-se assim, duas variantes da titulometria de neutralização: a acidimetria e a alcalimetria.
Tanto na acidimetria como na alcalimetria, o ponto estequiométrico coincide com o ponto de neutralidade (pH = 7), sempre que a reação se processa entre ácidos e bases fortes. Nos demais casos, a hidrólise faz com que o ponto estequiométrico se situe na região ácida ou alcalina. São as condições do equilíbrio, em cada caso particular, que determinam o valor do pH em que se situa o aludido ponto.
Numa titulação é necessário conhecer com grande exatidão a concentração de uma das soluções envolvidas (titulado ou titulante). Entretanto, algumas soluções freqüentemente usadas em titulação, como por exemplo, a de NaOH e de HCl, não podem ser preparadas com concentração exata. Assim sendo, prepara-se uma solução de concentração aproximada e a concentração exata é determinada pelo emprego de um padrão primário na forma de uma solução cuja concentração seja conhecida. Essa operação é denominada padronização da solução. 
O conhecimento do valor do pH em que se situa o ponto estequiométrico e da maneira como varia o pH no curso da titulação é de fundamental importância para o estudo do problema de identificação do ponto final. Comumente, o ponto final nas titulações da titulometria de neutralização é acusado mediante o emprego de indicadores de pH.
Um meio muito usado é o que consiste em adicionar à solução a ser titulada um reagente auxiliar ou indicador, capaz de produzir mudança de coloração quando a reação se completou. O ponto em que isso ocorre é chamado ponto final. O ponto de equivalência e o ponto final não coincidem necessariamente. A diferença entre eles é chamado erro da titulação, o qual pode ser determinado experimentalmente.
Indicadores são substâncias que mudam de cor na presença de íons H+ e OH- livres em uma solução, e justamente por esta propriedade são usados para indicar o pH, ou seja, como o próprio nome já diz, os indicadores indicam se uma solução é ácida ou básica.
Existem vários tipos de indicadores, veja abaixo a relação de alguns e como agem em meio a soluções:
Papel tornassol: Esse método é feito através do papel tornassol vermelho ou azul, este tipo de papel ao entrar em contato com uma determinada solução muda de cor. Exemplo: O papel tornassol azul em presença de uma solução ácida muda da cor azul para a vermelha. Isso ocorre porque os íons reagem mudando o arranjo dos átomos. O papel tornassol vermelho em contato com uma base muda da cor vermelha para a azul. 
Solução de fenolftaleína: Esta solução é um indicador sintético que ao se dissolver em água se ioniza originando íons. Os íons liberados são H+ e OH- que estabelecem um equilíbrio em meio aquoso. Quando se adiciona fenolftaleína em uma solução incolor, esta ao entrar em contato com uma base ou ácido muda de cor. Exemplo: se adicionarmos solução de fenolftaleína em um meio ácido ela fica incolor, pois o aumento da concentração de H+ desloca o equilíbrio. Por outro lado, se o meio for básico, a solução de fenolftaleína se torna rósea (rosa claro a rosa escuro).
Alaranjado de metila: solução que em meio ácido fica vermelha e em meio básico fica amarela.
Como já citado a titulação é o processo empregado na química para determinar a quantidade de substância de uma solução pelo confronto de outra com outra espécie química.
A substância de interesse em qualquer determinação recebe o nome de analito. A espécie química com concentração definida recebe o nome de titulante, que é, em geral, uma solução obtida a partir de um padrão primário. 
No entanto, padronizando-se uma solução comum,esta também pode ser utilizada. A solução a ter sua concentração determinada recebe o nome de titulado.
Padrão primário consiste em uma substância química sólida ou líquida estável, que não absorve nem libera umidade e, geralmente, possui peso molecular alto. O peso molecular alto contribui favoravelmente para diminuir os erros na padronização, uma vez que poderão ser pesadas quantidades maiores do padrão no momento de preparar soluções. É denominado primário porque através dele determina-se diretamente a concentração exata da solução a ser padronizada.Solução padronizada, por sua vez, é aquela cuja concentração, expressa em normalidade ou molaridade, é conhecida com quatro números decimais, necessários devido à precisão com que as balanças analíticas pesam o décimo do miligrama.
Entre as soluções mais usadas estão as de NaOH (hidróxido de sódio), HCl (ácido clorídrico)