RESENHA  FILME CONTOS PROIBIDOS
5 pág.

RESENHA FILME CONTOS PROIBIDOS


DisciplinaEducação7.409 materiais21.135 seguidores
Pré-visualização1 página
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE
CAMPUS FLORESTA \u2013 CZS
CENTRO DE EDUCAÇÃO E LETRAS - CMULTI
CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
JESSICA DE SOUZA FREIRE, JOHNES LIMA RODRIGUES, LUÍS FERNANDO CERQUEIRA SILVA, LURIELI DA SILVA COSTA, MARIA TANILA ROSAS NUNES
		
RESENHA CRÍTICA DO FILME CONTOS PROIBIDOS DO MARQUÊS DE SADE 
Cruzeiro Sul-AC
 2018
JESSICA DE SOUZA FREIRE, JOHNES LIMA RODRIGUES, LUÍS FERNANDO CERQUEIRA SILVA, LURIELI DA SILVA COSTA, MARIA TANILA ROSAS NUNES
RESENHA CRÍTICA DO FILME CONTOS PROIBIDOS DO MARQUÊS DE SADE 
Trabalho proposto pelo professor como parte integrante da avaliação da N1, na disciplina de Leitura e Produção de Texto, da Universidade Federal do Acre - Campus Floresta \u2013 CZS \u2013 Centro Multidisciplinar \u2013 CMULTI do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.
Prof. Me. Ericson Araújo da Costa
Cruzeiro Sul-AC
 2018
 O filme Contos proibidos do Marquês de Sade, é um filme dirigido por Philip Kaufman e foi produzido no ano de 2000 pela Alemanha, Estados Unidos e Reino Unido, do gênero drama com uma pintada de terror, e originalmente no idioma inglês. O tema do filme procura mostrar sensualidade e agressividade mesclado a uma estranha sutileza. Um filme realmente intrigante, pois, traz à tona assuntos polêmicos como religião, política e sexualidade. 
 Como o próprio nome do filme expressa, o mesmo conta a história de um indivíduo profano e extremo em seus devaneios sexuais, na frenética tentativa de compartilhar com a sociedade da época suas imaginações mais profundas e voluptuosas. Este personagem se trata de Marquês de Sade. 
 A narrativa se desenvolve em meio a uma sociedade católica durante a revolução francesa, no século XVIII, que tem seus rígidos códigos de conduta, fazendo uma crítica aguçada da hipocrisia da sociedade, por incitar e excitar a curiosidade e o desejo através das histórias escritas por marquês. Mas o que acontecera com Marquês de Sade? Onde ele vivia? Ele foi internado num sanatório, ou melhor dizendo, num hospício para não continuar a escrever seus contos. Para não ficar realmente louco, ele desanda a escrever, auxiliado por uma moça camareira que trabalhava nesse asilo. O tal asilo mental é, porém, coordenada por um padre que proíbe o marquês, definitivamente de prosseguir escrevendo seus contos imorais. 
 A amizade entre a Madeline e o Marquês só aumenta; quando então Napoleão Bonaparte envia ao asilo um renomado médico, com o objetivo de curar o marquês de sua aparente loucura. No entanto, a vinda do médico faz com que o caráter subversivo do marquês fique cada vez mais forte. Sua situação fica ainda mais caótica, fazendo com que o proíbam de escrever suas histórias. Porém dentro do asilo Sade se mantém livre em volta de suas peças de teatro, e desde o início enfatizada sobre as paredes de um hospícios, e que para Sade, nada mais era do que o paraíso de seus jogos profanos, o lugar onde desenvolvia e dava asas a sua imaginação, dando vida a personagens em volta de contos libertinos, que geravam não só escândalo mais interesse pelas próprias pessoas que apreciavam os contos de Sade, pois ele mostrava em suas peças o lado casual e luxurioso em torno dos prazeres carnais que no período era excomungado pelo clero e meio social. 
Após ser totalmente proibido de escrever em seu quarto. O padre responsável pelo asilo toma uma decisão drástica, decide retirar todas as penas do quarto de Sade, o que faz com que seus mais profundos demônios se desesperem. Portanto, vemos o início dos processos sócio comunicativos abordados no filme. 
Ao assistirmos o filme, percebemos o tremendo poder da comunicação para Sade, pois para ele ato de escrever era como seu fôlego de vida, não podia viver sem. Ao ser impedido de escrever com as penas e papel, ele viu seu extinto de sobrevivência fluindo em suas veias, procurando então veementemente uma forma de dar continuidade aos seus contos eróticos, para tanto, usou o osso de galinha com o vinho para escrever em suas roupas. Ao descobrirem tamanha façanha, ele foi impedido novamente. Qual seria a saída agora? 
A sócio comunicabilidade de Sade não parou, poderiam tentar impedi-lo de escrever, mas a escrita estava em sua alma, porém como um demônio atormentado a procura de almas, assim Sade achou outra saída, o sangue de seu corpo seria uma tinta perfeita para uma nova história, foi então que Sade decidiu furar seus dedos reiniciar suas histórias. Ao ser impedido, Marquês decidiu contar sua mais célebre história erótica, contando a história como a brincadeira do telefone sem fio.
Sade acabou causando uma verdadeira revolução na literatura de época pois levava aos seus escritos muita paixão e emoção pelo que sentia e quis transpor em seus escritos mesmo eles tratando de aspectos não bem visto pela sociedade da época pois ele deixa claro temas transversais tais como, pornografia religiões e imoralidade
 O filme trata a busca pelo direito de ser livre de ser aquilo que você realmente desejasse ser independentemente dos valores pregados na época em questões religiosas o Marquês de Sade libertinou e desenvolveu um novo jeito de literatura de fora de época mostrando e enfatizando o amor por aquilo que realmente lhe dava anseio de vida pois retrata e mostrar em seus contos tudo que em seu universo particular existia e trasponha tudo isso na ponta da pena de seus infortúnios escritos e soltos aos murmúrios do muros até a sociedade que por hora a outra o condenava por suas palavras libertas e aterradoras e além de tudo trata se de um filme cômico, reflexivo alegre e triste nós mostrando alguns valores que jamais deve ser esquecidos tais como a não desistência do marquês após ser privado de suas regalias e seus objetos de escrita mantem se focado o tempo todo e existente naquilo que sabia fazer de melhor, influenciar toda uma sociedade e todos ao seu redor em volta daquilo que mais amava com sua literatura que se encontra dispersa nos caminhos de sua alma castigada pelos conceitos dogmáticos de época ao fim após acontecimentos trágicos .
Sendo assim, embora o filme seja construído nas perspectivas humanas mais sombrias, como nossos desejos sexuais mais impuros e promíscuos, este aborda a comunicação escrita a Priore, como o meio mais pertinente na época, para impregnar os devaneios do Marquês, tal posição do filme, gera no espectador o entendimento substancial da magnitude da escrita associada ao intrínseco desejo de também usá-la. Ademais o filme enfatiza que a sócio comunicação permanece mesmo em meio as condições mais adversas, quando há um ser insaciável por expor veementemente suas ideias e convicções, esse é um efeito positivo gerado em cada interlocutor. Portanto como disse Nelson Mandela: \u201cSe falares a um homem numa linguagem que ele compreenda, a tua mensagem entra na sua cabeça. Se lhe falares na sua própria linguagem, a tua mensagem entra-lhe diretamente no coração.\u201d A comunicação tem um poder absurdamente perspicaz nas relações humanas, seja para críticas, meras conversações, ou até propagação mútuo de desejos, o que em Contos Proibidos do Marquês de Sade, vemos perfeitamente tal aplicação.