A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
23 pág.
APOL   Problemas Metafísicos

Pré-visualização | Página 4 de 7

o aparecer à representação de uma coisa em si, coisa em si que se deixa compreender metafisicamente como vontade. Esta vontade é o verdadeiro ser do mundo que se pensa como livre.  Assim, matéria e vontade constituem (objetiva e subjetivamente) a substância do mundo; a coisa em si se converte, deste modo, em vontade, figura conceitual que nos ajuda a compreender o ser do mundo e o fenômeno como representação de um sujeito; daí a consideração do mundo como Vontade e como Representação, título de sua volumosa obra, O Mundo como Vontade e Representação”.  (Livro-base, p. 172-173)
	
	C
	O homem manifesta a sua essência pela forma que escolhe viver.
	
	D
	A solução do problema da vida vem na forma de uma existência ética e religiosa.
	
	E
	O homem possui uma tripla formação substancial: intelecto, alma e mente.
Questão 1/2 - Filosofia Geral: Problemas Metafísicos
Leia a seguinte citação:
“A filosofia de Descartes volta-se contra a tradição e a autoridade dos sábios da cultura. Nesse empreendimento de crítica e reconstrução das bases do conhecimento, ele desenvolve um método diferenciado”.
Fonte: Texto elaborado pelo autor da questão.
Considerando o livro-base Os caminhos da reflexão metafísica: fundamentação e crítica,  quais as características do método proposto por Descartes? Leia as alternativas a seguir e assinale aquela que contém a resposta correta:
Nota: 50.0
	
	A
	Descartes formula uma metodologia que constituirá a base para o método estruturalista.
	
	B
	Descartes formula uma metodologia historicista, investigando a origem dos fenômenos.
	
	C
	Descartes começa a duvidar de tudo, convertendo a dúvida em método, ou dúvida metódica.
Você acertou!
“Nesse empreendimento, Descartes nos convoca a praticar uma dúvida radical, atacando decididamente os fundamentos sobre os quais se sedimentam nosso saber”. (Livro-base, p. 158)  
	
	D
	Para Descartes, o método de investigação da natureza deve se basear na experiência sensorial, no exame e na síntese do que os sentidos captam.
	
	E
	O método cartesiano foi a aplicação da matemática na investigação da realidade, confirmando que o universo é matematizável, como ensinava Pitágoras.
Questão 2/2 - Filosofia Geral: Problemas Metafísicos
Leia o fragmento de texto a seguir: 
“Existe, porém, uma coisa de que não posso duvidar, mesmo que o demônio queira sempre me enganar. Mesmo que tudo o que penso seja falso, resta a certeza de que eu penso. Nenhum objeto de pensamento resiste à dúvida, mas o próprio ato de duvidar é indubitável. ‘Penso, cogito, logo existo, ergo sum’."
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integramente, ele está disponível em: <http://www.cerberusmagazine.com/a-filosofia-de-descartes/> Acesso em 06 jun. 2018.
O cogito representou uma intuição metafísica. Considerando o livro-base Os caminhos da reflexão metafísica: fundamentação e crítica,  leia as alternativas que seguem e, na sequência, assinale aquela que apresenta, de forma correta, o sentido metafísico do cogito:
Nota: 50.0
	
	A
	O cogito representa a descoberta da lógica imanente que habita a mente de todos os sujeitos
	
	B
	Para Descartes, somente por meio da matemática o homem alcança a verdade.
	
	C
	O sentido do sujeito encontra-se no objeto que ele conhece, naquilo que o cerca.
	
	D
	O cogito atesta a existência de Deus como intuição inata que habita a mente humana.
	
	E
	O cogito é o espírito que se volta a si mesmo e que funda a metafisica do sujeito pensante.
Você acertou!
“O cogito [...] se manifesta mediante a intuição quando o espírito se volta sobre si mesmo [...]. A partir deste fundamento inquestionável, para Descartes, seria possível compreender toda a realidade sendo, portanto, uma metafísica do sujeito pensante”. (Livro-base, p. 159)
Questão 1/2 - Filosofia Geral: Problemas Metafísicos
Leia o fragmento de texto a seguir:
"Assim que a idade me permitiu sair da sujeição a meus preceptores, abandonei inteiramente o estudo das letras; e resolvendo não procurar outra ciência que aquela que poderia ser encontrada em mim mesmo ou no grande livro do mundo, empreguei o resto de minha juventude em viajar, em ver cortes e exércitos, conviver com pessoas de diversos temperamentos e condições".
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integramente, ele está disponível em: <https://www.recantodasletras.com.br/ensaios/5074711> Acesso em 06 jun. 2018.
A aventura filosófica e investigativa da filosofia de Descartes o levou a formular uma concepção que relaciona dúvida e método.  Considerando o livro-base Os caminhos da reflexão metafísica: fundamentação e crítica e as aulas, explique essa concepção.
Nota: 50.0
	Espera-se que o aluno apresente os seguintes argumentos:
“[Descartes] coloca sob dúvida os fundamentos anteriores [...]. Nesse empreendimento, Descartes nos convoca a praticar uma dúvida radical, atacando decididamente os fundamentos sobre os quais se sedimentam nosso saber”. (Livro-base, p. 158)
Questão 2/2 - Filosofia Geral: Problemas Metafísicos
Leia o fragmento de texto a seguir e, em seguida, analise a imagem que faz alusão aos dois mundos de Platão e sua alegoria da caverna:
“Como já em Sócrates, assim em Platão a filosofia tem um fim prático, moral; é a grande ciência que resolve o problema da vida. Este fim prático realiza-se, no entanto, intelectualmente, através da especulação, do conhecimento da ciência. Mas - diversamente de Sócrates, que limitava a pesquisa filosófica, conceptual, ao campo antropológico e moral - Platão estende tal indagação ao campo metafísico e cosmológico, isto é, a toda a realidade”.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integramente, ele está disponível em: < http://www.pucsp.br/pos/cesima/schenberg/alunos/brunodiegues/gnosiologia.htm> Acesso em 06 jun. 2018.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integramente, ele está disponível em:   <http://luuhfurtado.blogspot.com/2012/04/teoria-dos-dois-mundos-platao.html> Acesso em 06 jun. 2018.
Considerando o conteúdo do livro-base Os caminhos da reflexão metafísica: fundamentação e crítica, explique a alegoria da Caverna de Platão.
Nota: 40.0
	Espera-se que o aluno apresente os seguintes argumentos:
“Essa alegoria descreve como ‘homens’, no fundo de uma caverna estão comprometidos com a visão das coisas do mundo material, compreendido por Platão como sombras (imagens) do mundo circundante. Pensando a possibilidade de que tais homens se disponham a encontrar a verdade, que se encontra por trás de tais objetos, os quais são sucessivamente apresentados à sua percepção, Platão sinaliza que haveria, em primeiro lugar, a necessidade de um esforço por tal tarefa. A busca pelo saber não é atividade das mais simples e exige um comprometimento que pode ser, inicialmente, desalentador. Isso se daria pela impossibilidade de contemplação da verdade em si mesma, tamanho o ofuscamento do Sol no exterior da caverna. Os olhos daqueles que buscam a verdade precisam ser acostumados a tal luminosidade. Mesmo assim, o desprendimento das amarras que os prendiam no interior da caverna já seria um indício de que estariam mais próximos do verdadeiro ‘ser’, o qual, segundo Platão, possui uma realidade separada, exterior, o mundo das ideias perfeitas e em si mesmas.” (Livro-base, p. 85)
Questão 1/12 - Filosofia Geral: Problemas Metafísicos
Considere o excerto a seguir:
“A consciência de que há, entre a Filosofia e a Ciência, relações muito estreitas revela-se, desde logo, na afirmação invariavelmente repetida de que a Filosofia é a ‘mãe das ciências’ “.
Após esta avaliação, caso queira ler o texto integramente ele está em: SERRA, J. M. P. Filosofia e ciência. Covilhã, Universidade da Beira Interior,  2008. 
Considerando o excerto anterior e conteúdo do livro-base Os caminhos da reflexão metafísica: fundamentação e crítica sobre a relação entre métodos da Filosofia e das ciências particulares, leia as assertivas que seguem, marcando V para as verdadeiras e F para as falsas:
I.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.