A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
RESUMO INSTITUCIONAL

Pré-visualização | Página 1 de 2

Institucional I – resumo- Unid. IV 
Desafios Lógicos 
DE QUE FORMA ESSES DESAFIOS CONTRIBUEM CONOSCO PARA ALÉM DA DIVERSÃO? 
Cada novo elemento desses funciona como uma letra nova que compõe a palavra no jogo da “forca”. 
Tais informações sobre a situação direcionam para a melhor escolha, ao reduzir cada vez mais o 
número de opções disponíveis. Se você compra um automóvel sem considerar exatamente suas 
necessidades, pode ficar insatisfeito com a aquisição. Nesse caso, você perdeu o desafio, caiu na 
forca. 
Jogo da Velha 
"NO JOGO DA VELHA, HÁ UM ESFORÇO CONTÍNUO DE PREVER OS MOVIMENTOS DO OPONENTE                           
PARA PREJUDICÁ-LO." 
Neste jogo, temos uma situação um pouco diferente da forca, uma vez que um bom jogador vai fazer 
suas escolhas tendo em vista não apenas o objetivo de completar uma sequência de células. É 
preciso também impedir que o outro consiga completar a sequência. 
Em outras palavras, no jogo da forca existe certo nível cooperação, pois uma letra certa que você 
adivinha poderá ajudar o oponente a descobrir a palavra. Já no jogo da velha, há um esforço 
contínuo de prever os movimentos do oponente para prejudicá-lo. Se os dois jogadores forem 
capazes de considerar todas as opções de jogada um do outro, o resultado será um jogo sem 
vencedor: deu velha. 
Para Reflexão- ​Com o jogo da velha podemos observar, portanto, que há casos em que nossas 
decisões não dependem apenas de nossas ações e que é preciso considerar também como se 
movem outros atores em cada situação. Em alguns contextos, haverá pura cooperação ou 
competição; em outros, essas dimensões vão se misturar em variadas proporções. 
Sudoku 
O Sudoku é um exemplo de como uma escolha pode impactar numa cadeia enorme de decisões. Um 
acerto leva a outros acertos, enquanto um erro desencadeia vários passos equivocados. E, mais 
uma vez, é fácil encontrar analogias com nosso cotidiano. Na medida que as decisões se tornam 
mais complexas, é preciso articular com cuidado as diferentes variáveis. Se já teve que decidir entre 
duas ofertas de trabalho, por exemplo, você, com certeza, resolveu um problema muito mais difícil do 
que encontraria na matriz 9x9 do Sudoku. 
Uma Vida de Jogos e o Desafio da Lógica 
Nesta unidade, analisamos alguns conhecidos jogos, de modo a compreender suas lógicas de 
funcionamento, assim como a semelhança entre essas brincadeiras e situações da vida cotidiana. 
Foi possível discutir a forma como decisões simples do dia a dia envolvem diferentes variáveis, 
podendo ser encaradas como verdadeiros desafios lógicos, resolvidos de maneira individual, coletiva 
ou mesmo competitiva. 
 
Institucional I – resumo- Unid. V 
Mídia 
O ENTENDIMENTO NÃO É UMA TAREFA EXCLUSIVA DE FILÓSOFOS E MATEMÁTICOS. 
 
O raciocínio lógico seria esse caminho que nos ajuda a entender o mundo e contribui para que 
possamos estabelecer bases comuns para a convivência com outros indivíduos.Sempre que 
quisermos explicar algo para alguém, entender as causas de um acontecimento ou prever as 
consequências de uma ação, estaremos navegando no terreno da lógica. 
 
 
Em outras palavras, o entendimento não é uma tarefa exclusiva de filósofos e matemáticos, embora 
as abordagens que essas áreas do conhecimento deram para o estudo da lógica possam contribuir 
para afinar esse senso lógico que já carregamos conosco. 
Conhecer um pouco mais os princípios do raciocínio lógico é um caminho produtivo para 
compreender melhor as atitudes humanas, fomentar o desenvolvimento científico e aprimorar nossa 
capacidade de tomar decisões. 
Abordamos aqui apenas a argumentação baseada em operações lógicas. Entretanto, é preciso 
considerar que nem todo processo de convencimento é puramente lógico. Argumentos também 
podem ser construídos a partir de articulações com aspectos afetivos ou éticos, como bem propõe a 
arte da Retórica. Interseções entre as duas áreas são bem-vindas, relevantes e desde já apontamos 
tais possibilidades. 
Desde os Primórdios 
O uso do raciocínio lógico para solucionar problemas está presente em variadas narrativas históricas, 
mitológicas ou religiosas.Em um claro exercício de pensamento lógico, baseado em conhecimentos 
prévios (que chamamos de premissas). A lógica está em tudo, sendo a base de nossa própria 
condição humana. Quando ela é desprezada, caminhamos perigosamente para longe da civilização. 
 
A Lógica Como Disciplina 
Embora o pensamento seja um tema de interesse para diferentes culturas e povos, consideramos 
que os pensadores da Grécia Antiga foram os pioneiros em construir um campo de estudos sobre o 
raciocínio lógico. Tales de Mileto e Pitágoras garantiram o desenvolvimento do pensamento lógico na 
Matemática. E o método socrático, de buscar a verdade por meio de questionamentos que 
revelassem as contradições em crenças equivocadas, apontou o caminho para que Aristóteles 
formulou os princípios da lógica, como ficou conhecida no ocidente. 
Conceito-​Para Aristóteles, a lógica teria como objeto de estudo o pensamento, assim como as leis e 
demais regras que o controlam. O filósofo trabalhou, então, com estruturas chamadas silogismos, 
que, em sua forma de apresentação, demonstravam ser incontestavelmente válidas. A estrutura de 
um silogismo conduz a uma linha clara que estabelece uma conexão entre premissas, aceitas como 
verdadeiras, e que nos levam a considerar uma conclusão de forma absolutamente correta. 
 
Exemplo- Premissas: 
a. Todos os homens são 
mortais. 
b. Sócrates é homem. 
Conclusão-​ Sócrates é mortal 
 
Princípio de identidade:​ tudo é 
igual a si mesmo. 
Fórmula: ​A é A. 
Exemplo:​ Um peixe é um peixe. 
 
 
Princípio da não contradição: 
duas afirmações contraditórias 
não podem ser simultaneamente 
verdadeiras. 
Fórmula:​ A não é não-A. 
Exemplo:​ Um peixe não pode 
ser um não-peixe. 
 
 
Princípio do terceiro excluído: 
uma coisa ou é ou não é; dessa 
forma, não existe uma 
alternativa a essas duas 
possibilidades. 
Fórmula:​ A é B ou A não é B. 
Exemplo:​ Ou aquilo é um peixe 
ou aquilo não é um peixe. 
Tais princípios funcionam como a base da Lógica Clássica, fundamentando um caminho que 
historicamente foi abraçado pela a ciência para a compreensão do mundo. 
Atenção- Historicamente, foi construída a noção de que o universo das emoções e das paixões 
humanas seria completamente oposto (e até um inimigo) do pensamento racional, mas não é bem 
assim. 
 
 
 
Lógica, Emoções, Pensamento e Ação 
AS EMOÇÕES TÊM PAPEL ​FUNDAMENTAL NOS PROCESSOS DE TOMADA DE DECISÃO. 
 
Hoje em dia, autores de diferentes áreas, como a própria Filosofia, Neurobiologia e Psicologia, têm 
se dedicado a encontrar articulações entre tais dimensões da experiência humana. 
Por esta via alternativa, entende-se que as ​paixões teriam certa ​razoabilidade. Isto é: nossa 
afetividade seria baseada em certas relações de causa e consequência, construídas em nossos 
organismos, com diferentes graus de consciência ou reflexão. 
Isso abriria caminho para uma compreensão mais apurada das nossas ações. Se, por exemplo, 
sentimos ​medo ao ver alguém de posse de uma arma, é porque compreendemos que objetos como 
esse podem ferir. 
Por